+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

População vulnerável da Paraíba recebe assistência de projeto de extensão da UEPB durante pandemia

Catadores de materiais recicláveis, ciganos, comunidades indígenas, venezuelanos, público LGBTQIA+, ambulantes, moradores de assentamentos e demais populações vulneráveis da Paraíba que, diante da pandemia da Covid-19, passaram a ter evidenciadas dificuldades e carências de direitos e necessidades básicas, estão sendo assistidas por entidades paraibanas com o apoio logístico do projeto de extensão “Mobilização, inclusão e formação de catadores/as de materiais recicláveis da cidade de João Pessoa: uma experiência necessária”, vinculado ao Câmpus V da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).

A iniciativa conta com a parceria entre UEPB, Ministério Público Federal (MPF), Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social (SEDHS) do Governo do Estado da Paraíba, Defensoria Pública e União PB – Seção Estadual da União BR. Além disso, diversas lideranças, a exemplo da Central Única das Favelas (CUFA), cooperativas de catadores e demais entidades que atendem populações vulneráveis, fazem a articulação das doações de grupos empresariais que entregam máscaras, álcool gel, materiais de higiene, alimentos, entre outros itens, para que estes cheguem aos grupos necessitados.

A entrega das doações, obedecendo a um cronograma estabelecido em comum acordo com todas as entidades parceiras, compete ao projeto da UEPB, por meio da equipe envolvida na iniciativa e da estrutura disponibilizada pela Instituição, sobretudo com o caminhão adquirido com recursos do edital de financiamento ao qual esta ação foi submetida (o projeto foi aprovado em edital do Ministério do Trabalho e Secretaria de Economia Solidária do Governo Federal, em 2013, o que permitiu a aquisição de diversos equipamentos e montagem de estruturas de apoio à população de catadores).

Recentemente, foram entregues 522 cestas básicas para a população cigana do Sertão do Estado. Parte das doações foram para as comunidades Otávio Maia, Pedro Benício Maia, Manoel Valério Correia, Vicente Vidal de Negreiros, da cidade de Sousa, e também em São João do Rio do Peixe e na Serra da Arara. Os alimentos entregues foram doados pela Fundação Coca-Cola.

Uma das lideranças dos ciganos contemplados com as doações, Francisco de Figueiredo destaca a importância dessa iniciativa para auxiliar essa população no momento em que, além do preconceito e invisibilidade que afeta a população cigana, a falta do alimento e de condições básicas de subsistência são preocupações constantes. “Nosso povo é sofrido e muitos não têm emprego. Diante dessa pandemia, ficou muito difícil para os ciganos e isso aqui já ajuda na sobrevivência”, destaca.

De acordo com a professora Fátima Araújo, coordenadora do projeto de extensão da UEPB, desde o início da pandemia diversas ações foram realizadas em todo o Estado. Já foram entregues 9 mil unidades de álcool gel, 5 mil cestas básicas e foram recebidas 40 mil máscaras cortadas para serem costuradas por um grupo de costureiras vinculado ao Instituto Federal da Paraíba (IFPB).

“Precisamos enfatizar que todas essas ações contam com o apoio fundamental das lideranças destes grupos, que nos auxiliam na distribuição destas doações. No Sertão do Estado, por exemplo, contamos com a ajuda primordial do Instituto Frei Beda de Desenvolvimento Social. Todos os dias estamos com novas entregas e ações sendo realizadas para atender a essa população carente. Embora nosso projeto tenha iniciado com o objetivo de atender aos catadores de recicláveis de João Pessoa, atualmente, diante da necessidade e do apoio que encontramos das diversas entidades parceiras, estamos atendendo os diversos grupos de vulneráveis em todo o Estado”, explica a docente.

Sobre o projeto

O projeto de extensão “Mobilização, inclusão e formação de catadores/as de materiais recicláveis da cidade de João Pessoa: uma experiência necessária” foi criado em 2013 com o objetivo de dar apoio para a formalização e organização das cooperativas, promover a alfabetização e o letramento e, assim, possibilitar melhores condições de vida para catadores de materiais recicláveis da Zona da Mata (João Pessoa, Bayeux e Santa Rita).

Além de ações de alfabetização, o projeto já realizou formações de empreendedorismo, consultoria jurídica, adquiriu Equipamentos de Proteção Individual, balanças, prensas, geladeira, fogão, carrinhos de coleta, um caminhão que auxilia na logística da atividade de cooperativas de catadores atendidas pelo projeto, entre outros itens que visam proporcionar melhorias nas condições de trabalho e de vida destes catadores.

As atividades do projeto são acompanhadas por docentes da UEPB e discentes do curso de Ciências Biológicas do Câmpus V da UEPB vinculados ao componente curricular “Educação Ambiental”.

Fonte: UEPB

Próximos Eventos