+55 (61) 4101-6508 / 4101-6509

Giro nos Estados

Pesquisas em saúde terão mais R$ 9,9 milhões em Minas Gerais

R$ 9,9 milhões é o valor que a pesquisa em saúde do Estado de Minas Gerais vai receber em investimentos da FAPEMIG. Os recursos serão repassados por meio do Edital 24/09, Pesquisa para o SUS (PPSUS): Gestão Compartilhada em Saúde, que acaba de divulgar a lista de projetos aprovados. Com o objetivo de apoiar estudos e pesquisas que promovam o desenvolvimento tecnológico em saúde, fortalecendo a gestão e a eficiência do SUS, o Programa já lançou cinco editais em Minas Gerais. Foram mais de R$ 28 milhões destinados a pesquisas no Estado e cerca de 100 trabalhos concluídos. Nesta edição, os projetos são voltados para o desenvolvimento de biotecnologias, produtos ou processos para a prevenção, diagnóstico e tratamento de doenças infecciosas negligenciadas. Entre as 20 propostas aprovadas, estão pesquisas relacionadas a leishmanioses, dengue, HTLV e bioprospecção de moléculas.

As linhas temáticas exigidas no edital foram definidas a partir do workshop “Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS): identificação de demandas”, realizado em 2009, reunindo parceiros e representantes das principais instituições que desenvolvem pesquisa em saúde no Estado, com o objetivo de identificar suas principais necessidades. No evento, pesquisadores de diversas instituições tiveram a oportunidade de apresentar suas propostas a representantes das três instituições parceiras no PPSUS: FAPEMIG, Ministério da Saúde (MS) e Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), que, com base nas apresentações, definiram a destinação dos recursos. Eles foram remanescentes do total reunido na parceria mais recente entre MS, SES-MG e FAPEMIG, em que cada um dos parceiros investiu R$ 6 milhões no Programa.

O presidente da FAPEMIG, Mario Neto Borges, destaca a importância do diálogo direto com pesquisadores e instituições da área de saúde. “Considerando que os recursos do Programa são para financiar pesquisa em áreas prioritárias de atendimento à saúde no Estado, a iniciativa se reveste de importância crucial com vistas à alocação de recursos na busca de soluções de problemas de saúde pública específicos de Minas Gerais. Faz parte da política de Governo que as entidades se articulem. Dialogar com os centros de pesquisa faz parte da nova filosofia da FAPEMIG e isso tem dado certo”, diz.

Para conhecer as propostas aprovadas no edital 24/09, clique aqui.

Propostas indeferidas também podem ser visualizadas neste link.

Fonte: Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais

Compartilhe:

    Próximos Eventos