Giro nos Estados

Pesquisadores recebem apoio financeiro do Governo do Tocantins

Na manha desta quarta-feira, 27, durante a abertura oficial de mais uma edição do Fórum das Águas, o titular da Sedecti – Secretaria do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação; e presidente da Fapt – Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins, Paulo Massuia, e o secretário da Semades – Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Alan Barbiero, anunciaram os nomes de 10 pesquisadores contemplados com bolsas oferecidas pelo Governo do Estado.

O benefício é oferecido através do Programa de Pesquisa em Recursos Hídricos, uma parceria entre Fapt e Semades. Os pesquisadores foram selecionados por meio do Edital 16. Os temas de todos os estudos são voltados para o desenvolvimento e manutenção dos recursos hídricos do Estado.

Entre os inscritos, foram classificados professores de três instituições de ensino e de pesquisa, que registraram projetos dos mais variados temas dentro da área hídrica. O valor destinado A cada pesquisa pode chegar à R$ 100 mil. As propostas dos pesquisadores foram analisadas por técnicos da Fapt.

Quando os nomes foram anunciados, muitos pesquisadores foram surpreendidos positivamente. Foi o caso da professora de Engenharia Ambiental da UFT – Universidade Federal do Tocantins, Iracy Martins. Ela inscreveu um projeto que pretende recuperar áreas degradas utilizando recursos da Engenharia Natural.

“Foi uma surpresa! É o primeiro projeto aprovado nessa área, aqui na região norte. Eu estou muito feliz e agradecida ao Governo do Estado porque eu tenho certeza que essa é a saída para a recuperação das áreas degradadas, principalmente aquelas que margeiam os olhos d’água”, afirmou Martins.

Para o secretário Alan Barbiero, da Semades, esse é um incentivo que pode gerar novas formas de cuidar e renovar o meio ambiente. “Cada projeto tem uma peculiaridade, um deles, por exemplo, propõe o desenvolvimento de um sistema de informação para gestão de recursos hídricos”, lembrou.

“Incentivar a pesquisa é a melhor forma de disseminar conhecimento”, resumiu o secretário da Sedecti, Paulo Massuia. Projetos nascem nas universidades e centros de pesquisa, mas não têm outra finalidade que não beneficiar a população. “Temos mão de obra qualificada dentro das instituições de ensino do Tocantins e é dever do Governo do Estado dar condições para que esses professores produzam cada vez mais”.

Fonte: SDCT-TO

Próximos Eventos