+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Pesquisadores da UFS destacam a importância do consumo das Pancs

As plantas alimentícias não convencionais, conhecidas como Pancs, são espécies de plantas que foram muito consumidas no passado e, ao longo do tempo, foram perdendo sua importância alimentar, cultural e econômica. Elas possuem uma ou mais partes que podem ser consumidas na alimentação humana.

De acordo com a técnica do laboratório de análises de alimentos e bebidas, Iraê Oliveira Moura, do Departamento de Farmácia da UFS, “as plantas intituladas como não convencionais variam entre as diferentes regiões geográficas, afinal, o que é convencional em uma localidade pode não ser em outra, devido aos aspectos climáticos e culturais”.

Iraê Moura é técnica do laboratório de análises de alimentos e bebidas do Departamento de Farmácia. (fotos: Arquivos pessoais)
Iraê Moura é técnica do laboratório de análises de alimentos e bebidas do Departamento de Farmácia. (fotos: Arquivos pessoais)

O consumo das Pancs pode representar vantagens diversas como complementação nutricional, maior diversidade de sabores na cozinha e menor uso de agrotóxicos, afinal, boa parte desses vegetais surgem de forma espontânea e possuem grande capacidade de adaptação. Adicionar essas plantas à dieta também contribui para a preservação da biodiversidade e a manutenção das culturas alimentares nas quais essas espécies estão ou estiveram inseridas.

Tiago Oliveira é professor do Departamento de Farmácia da UFS
Tiago Oliveira é professor do Departamento de Farmácia da UFS

É importante destacar, entretanto, que não são quaisquer plantas que devem ser consumidas. O professor Tiago Branquinho Oliveira, também do Departamento de Farmácia da UFS, alerta para o risco vinculado ao consumo de espécies desconhecidas, não identificadas corretamente e nem estudadas. Ele ainda orienta que, para minimizá-lo, deve-se consumir somente plantas que já apresentam um histórico de consumo popularmente conhecido, bem como respeitar o modo como elas são historicamente preparadas.

Esse estudo foi tema de um episódio do podcast “SE é Ciência”, produzido por alunos e professores da Universidade Federal de Sergipe.

Fonte: UFS em 05/07/2021

Próximos Eventos