Giro nos Estados

Pesquisadora da UFPel ganha prêmio inédito na América Latina

Professora do Centro de Ciências Químicas, Farmacêuticas e de Alimentos da Universidade Federal de Pelotas (CCQFA/UFPel), a pesquisadora Márcia Foster Mesko foi a escolhida para receber o prêmio JAAS Emerging Investigator Lectureship (Prêmio Pesquisador Emergente), que reconhece o trabalho de jovens pesquisadores do mundo inteiro. A distinção é concedida pela revista Journal of Analytical Atomic Spectometry (Jornal de Espetometria Atômica Analítica), da Royal Society of Chemistry (Real Sociedade de Química) e é a primeira vez que é outorgada a um cientista da América Latina.

A revista avalia aspectos como número de publicações, outros prêmios conquistados, impacto científico da pesquisa em termos mundiais e outros elementos que apontem para uma carreira destacada de repercussão mundial entre pessoas com até dez anos de doutorado. Os candidatos são sugeridos por indicações do mundo todo, a partir das quais é feita a escolha por parte do Journal.

Egressa da UFPel, Márcia Mesko desenvolve pesquisas na área de determinação de elementos – ou seja, que possibilitem avaliar a quantidade de elementos e onde eles são encontrados – especialmente se tratando de halógenos, como iodo e bromo, e metais, como cádmio e chumbo. Os halógenos, destaca a docente, são estudados nesse segmento por poucos grupos no mundo.

A professora orienta e lidera pesquisas ligadas a métodos para determinação de elementos, que podem ser avaliados em suportes como alimentos, material biológico e cosméticos. Os estudos contribuem para o desenvolvimento de métodos de preparo de amostras e técnicas de determinação de elementos que sejam viáveis inclusive para uso industrial. A docente integrou trabalhos que avaliaram, por exemplo, a presença de cádmio e chumbo em batons e de iodo em alimentos.

“Ficamos contentes pela distinção do Brasil em relação ao resto do mundo, em especial de uma mulher”, destaca a professora, que salienta o apoio do trabalho por órgãos de fomento como Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (Fapergs) e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). “Esse é um retorno do trabalho desenvolvido não só para a Universidade, mas para a sociedade”, pontua.

Além do reconhecimento internacional, Márcia Mesko receberá um valor de £ 2 mil para participar de um evento científico com a finalidade de mostrar o trabalho que desenvolve. A pesquisadora deverá ser uma das palestrantes de um encontro sobre Espectometria Atômica na França, no início do próximo ano.

Quem é Márcia Mesko
Possui graduação em Bacharelado e Licenciatura em Química pela UFPel (2002), mestrado (2004) e doutorado (2008) em Química (Química Analítica) pela Universidade Federal de Santa Maria. Foi professora da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (2006 a 2008) na área de Ciências dos Alimentos e coordenadora do Curso Superior de Tecnologia em Agroindústria da unidade de Cruz Alta. Atuou como Química da Farmacopéia Brasileira (Agência Nacional de Vigilância Sanitária, ANVISA), por mais de quatro anos desenvolvendo e avaliando monografias para o controle de qualidade de produtos farmacêuticos. Foi pesquisadora do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial – INMETRO, produzindo materiais de referência certificados de fármacos, onde os CRMs de captopril e diclofenaco sódico os primeiros destes materiais produzidos na América do Sul. Foi fundadora dos Cursos de Bacharelado em Farmácia (2010) e Bacharelado em Química Forense (2012) da UFPel. Foi coordenadora do Curso de Bacharelado em Farmácia (2010 a 2013) da UFPel. É professora Associada I da UFPel (desde 2009), e atua nos Cursos de Bacharelado em Farmácia e Química Forense, além de pesquisadora nos Programas de Pós-Graduação em Química (desde 2010) e Bioquímica e Bioprospecção (desde 2012) da UFPel. Foi coordenadora adjunta do Programa de Pós-Graduação em Química (2015 a 2017). Atualmente, é coordenadora do Programa de Pós-Graduação Bioquímica e Bioprospecção (2016 a 2018). Foi tesoureira da Divisão de Química Analítica da Sociedade Brasileira de Química – SBQ (05/2014 a 05/2016) e, atualmente, é vice-diretora desta Divisão da SBQ (05/2016 a 05/2018). É membro do comitê assessor da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul – FAPERGS desde 2013. Tem experiência na área de química, com ênfase em química analítica para a determinação de elementos traço, atuando principalmente nos seguintes temas: preparo de amostras, determinação de metais e não metais, espectrometria atômica, controle de qualidade, e análise de alimentos e medicamentos. Com o desenvolvimento de sua tese de doutorado e de publicações com o sistema de combustão iniciada por micro-ondas, o National Institute of Standards and Technology (NIST, USA), recentemente utilizou o método proposto de combustão iniciada por micro-ondas para a certificação de um material de referência de carvão (SRM 2682c), recentemente divulgado no periódico Analytical Chemistry (2016, 88, 4635-4643). Já recebeu diversos prêmios em eventos científicos nacionais e internacionais, além de ter ministrado diversas palestras e cursos no Brasil e no exterior. Possui patentes de inovação tecnológica, diversos capítulos de livros nacionais e internacionais, e mais de 70 artigos publicados em revistas científicas indexadas.

Em 2012, a professora conquistou o prêmio L’Oréal para Mulheres na Ciência. Iniciativa da L’Oréal Brasil em parceria com a Academia Brasileira de Ciências (ABC) e a UNESCO, o Programa “Para Mulheres na Ciência” tem a missão de ceder espaço e apoio à participação das mulheres brasileiras no cenário científico do país.

Fonte: Fapergs com informações da UFPel

Próximos Eventos