+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Pesquisadora baiana é premiada internacionalmente com projeto que ensina português para estrangeiros

“Fiz um blog, e daí?”. A pergunta que intitula o nome do projeto de pesquisa da pesquisadora da Universidade Federal da Bahia (Ufba), Sara Oliveira, poderia ter diversas respostas ou desdobramentos, ao passo que ela prontamente ressalta, que vencer, em terceiro lugar, o Concurso IILP-Itamaraty de Artigos Científicos sobre a Língua Portuguesa não estava, a princípio, em seus planos. O blog, chamado Falando Português, que foi criado pela professora para que estudantes estrangeiros pudessem aprender o idioma através de interações sociais, apresenta uma perspectiva intercultural e crítica, capaz de contribuir para uma formação mais sensível e reflexiva.
Sara, que é natural de Senhor do Bonfim, interior da Bahia, explica que o objetivo principal ao utilizar a plataforma online na aprendizagem de seus alunos é incorporar a tecnologia digital para além do que ela poderia oferecer em termos tecnológicos. “Proporcionamos um ambiente amistoso, repleto de diálogos verdadeiros entre sujeitos e mundos diferentes, e entre línguas-culturas diferentes também. A ideia é proporcionar aos alunos a oportunidade de transitar por uma maior variedade de interações e realidades sociais”. Ela ainda ressalta que o processo de ensino-aprendizagem se torna mais rico e ressignifica o uso do blog nas aulas de línguas, o qual, segundo a professora, tem servido apenas como um repositório de textos e informações descontextualizadas.
O anseio em investigar o uso dessas tecnologias no ensino de línguas surgiu ainda na graduação, quando Sara começou a usar o blog para compartilhar as produções textuais dos alunos estrangeiros. “Através deste estudo, que configura o meu projeto de mestrado na Ufba, conseguimos mostrar a necessidade das ferramentas online no processo de aprendizagem dos idiomas de forma significativa e não apenas como um instrumento de avaliação ou espaço de leitura e produção textual com pouca interação, pois isso minimiza o potencial pedagógico”. 
A pesquisadora conquistou o terceiro lugar na categoria Pós-Graduação, com o artigo “Reflexões acerca da implementação de um conjunto de atividades potencialmente intercultural” no 1º Concurso IILP-Itamaraty, que teve a participação de pesquisadores de todos os países no qual a Língua Portuguesa é nativa, entre eles, além do Brasil, estão a Angola, Moçambique e Portugal. “Com a implementação das Unidades Temáticas dentro do blog, verificamos o desencadeamento de um conjunto de ideias e reflexões sobre mundos, crenças e identidades, assim como experiências interculturais, resultantes de um diálogo entre os diferentes e sobre as diferenças. O “Falando Português” evidenciou, ainda mais, a riqueza do que pode ser produzido por estudantes de português como Língua Estrangeira e demonstrou como essas produções podem voltar para sala de aula, por meio da reflexão de estudantes e professores de como é possível repensar a língua e analisá-la com fatores de linguagem que são produzidos na interação”. Concluiu.

Fonte: SECTI BA

Próximos Eventos