Giro nos Estados

Pesquisa revela importância da P&D para empresas de TI de Minas Gerais

Investir em pesquisa e desenvolvimento (P&D) traz impactos positivos para o crescimento de empresas de Tecnologia da Informação. Essa foi uma das conclusões da pesquisa “Inovação Tecnológica e seus Impactos no Desempenho de Empresas do Setor de TI: um Estudo Empírico em Minas Gerais”, apresentada hoje (16) a empresários, pesquisadores e profissionais da área. O encontro aconteceu no auditório da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), que apoiou a pesquisa juntamente com a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes-MG).

Na ocasião, o diretor de planejamento, gestão e finanças da FAPEMIG, Paulo Kleber Duarte Pereira, salientou a importância do setor de TI para o desenvolvimento do Estado. “Precisamos resgatar a posição de Minas como primeiro lugar no mercado de software do País. Queremos uma atuação mais audaciosa dos empresários de TI e a FAPEMIG está de portas abertas para o setor”, disse.

Minas Gerais é hoje o segundo maior produtor de softwares do Brasil e referência nacional no setor. Belo Horizonte e Viçosa formam o Arranjo Produtivo Local (APL) “Software de Minas”, que concentra pesquisas e empresas de TI. Em Belo Horizonte, o setor fatura mais de R$ 2,5 bilhões, gerados por cerca de 1300 empresas. A análise do setor no Estado, apresentada pelo coordenador da pesquisa, Cid Gonçalves Dias, mostrou como as empresas têm se posicionado com relação à inovação tecnológica. O estudo foi desenvolvido por um instituto de pesquisa, que aplicou os questionários em empresas de TI, no segundo semestre de 2009. Entre os resultados, o trabalho revelou que 32,5% das empresas investe até 5% em inovação e 10,8% investe mais de 20%.

Na visão dos empresários entrevistados, a inovação ajudou a abrir novos mercados e contribuiu para o crescimento da empresa. A pesquisa também apontou que P&D teve impacto de 0,793% no crescimento das empresas analisadas, o que, segundo Cid Dias, pode ser considerado um número bastante alto. “Os que investiram mais, tiveram, mais resultados”, disse. O pesquisador ressaltou ainda o bom relacionamento com clientes como favorável à inovação e a influência da inovação no aumento da produção e em outros fatores positivos no ambiente empresarial. Empresas que trabalharam em cooperação com universidades e centros de capacitação também cresceram mais, segundo a pesquisa.

O resultado completo da pesquisa, em breve, estará disponível no endereço: http://bi.assespro-mg.org.br

Fonte: Fapemig

Próximos Eventos