Giro nos Estados

Pesquisa da Fiesp aponta desconhecimento da indústria paulista sobre Blockchain

Quase 65% de 417 empresas pesquisadas filiadas à FIESP – Federação das Empresas do Estados de São Paulo, desconhecem a tecnologia de blockchain. Essa é uma das conclusões da pesquisa Blockchain: Rumos  da Indústria Paulista, conduzida entre os dias 4 e 15 de junho passado através de um e-mail enviado a 7.161 empresas da Indústria de Transformação localizadas no Estado de São Paulo. Apenas 1,9% dos respondentes afirmaram ter amplo conhecimento e 33,7% algum conhecimento. Desse total, as pequenas empresas apresentaram maior índice de conhecimento, 68; seguida das médias, 58,3% e grandes, 51,4%.

“O uso do blockchain representa um potencial revolucionário para otimizar e tornar mais seguros os processos dentro da indústria, suas relações com fornecedores e a sociedade. Com o desenvolvimento constante da indústria 4.0, a Fiesp considera essencial e estratégico o olhar para a tecnologia blockchain”, afirma o presidente em exercício da Fiesp, José Ricardo Roriz.

Apenas 0,7% das empresas da amostra estão implantando blockchain, mas 49,3% delas revelaram que gostaria de conhecer mais sobre as aplicações da tecnologia. 7,2% deles estão investigando a possibilidade de implementar.

A pesquisa demonstra claramente desconhecimento sobre blockchain: 53,9% desconhecem o que se pode fazer com blockchain; 30,9% dizem ter outras prioridades no momento; 30,9% dizem que o custo benefício não está claro o suficiente; 28,3% na vê aplicação prática na empresa; 22,4% não estimou o investimento necessário; 22,4 responderam que falta mão de obra capacitada na tecnologia; 21,1% diz que blockchain ainda é uma tecnologia emergente; 7,2% afirma que a infraestrutura de internet da empresa não é adequada; 6,6% diz que falta confiabilidade na tecnologia; 4,6% acredita que o nível de investimento para implementar blockchain é muito alto. Essa questão aceitava respostas múltiplas.

42,1% das empresas que têm algum conhecimento sobre o tema consideram pouco importante sua aplicação na empresa:42,1% consideram pouco importante contra 32,9% que consideram relevante; e 8,6% dizem ser muito importante.

Principais benefícios

Entre os principais benefícios as empresas citaram a automatização de processos entre parceiros e proteção de dados, mas 21,7% das empresas não vêm nenhum benefício.

Entre os benefícios citados estão: 30,96% identificar formas de automatizar processos entre parceiros; 28,3% melhor proteção de dados; 24,3% melhor processo comercial; 23,7% economia de tempo; 23% redução de risco; 21,1% ativar novos modelos de negócios; 20,4% maior velocidade de transação; 18,4% maior integridade e velocidade de transações; 16,4% relação de trabalho mais forte entre os parceiros. A pergunta também aceitava respostas múltiplas.

Principais áreas da empresa para aplicação

As respostas incluem comercial, administrativa e vendas, mas 21,7% não vêm viabilidade de aplicação em nenhuma área. As porcentagens por áreas foram:

*Comercial 36,8%

*Administração 30,9%

* Vendas 28,9%

* Suprimentos 23%

* Controle de produção 22,4%

* Rastreabilidade 22,4%

* Logística 19,7%

* Controle de Qualidade 18,4%

* Produção 17,8%

* Suporte a clientes 17,8%

* Estoque 16,4%

* Exportação 15,8%

* Planejamento 13,8%

* Eng, de desenvolvimento de novos produtos 11,2%

* Marketing 11,2%

* Manutenção 10,5%

*Pesquisa e Desenvolvimento 8,6%

* Assistência técnica 7,2%

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos