Giro nos Estados

Paraná e Rhône-Alpes avaliam ações de cooperação

O estímulo a novas parcerias envolvendo os polos de excelência universitário e científico; e o desenvolvimento de novas competências e tecnologias que podem ser aplicadas em áreas estratégicas no estado do Paraná e na região Rhône-Alpes, da França, foi o principal tema da reunião realizada na última terça-feira (5), entre representantes da Coordenadoria de Ciência e Tecnologia e da Assessoria Técnica de Planejamento do Ensino Superior da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a Diretoria Executiva da Fundação Araucária com a assessora da vice-presidência e diretora para Europa de Relações Internacionais e Cooperação da Região Rhône – Alpes, Mélanie Bourret e a encarregada de cooperações e relações internacionais do ERAI Lyon, Magali Jouve.

Durante a reunião foi reafirmado o interesse mútuo para o incentivo ao desenvolvimento de algumas ações ligadas ao Plano de Ação que integra o acordo de cooperação entre Paraná e Rhône-Alpes com validade até 2014. Um dos projetos que envolve a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior é a cooperação técnica da Escola Tecnológica de Leite e Queijos dos Campos Gerais (ETLQ), vinculada a Universidade Estadual de Ponta Grossa, com a École Nattional des Industries du Lait et des Viandes (ENILV) da região de Rhône-Alpes. A parceria estabelecida na área de produção e pesquisa de queijos finos será mantida e ganhará apoio para ampliação de ações conjuntas.

Outro ponto destacado pelos franceses foi a possibilidade de cooperação mais ampla dos cursos de doutorado em Tecnologia e Engenharia de Alimentos com o Laboratório de Segurança Microbiológica na produção de alimentos da Universidade Lyon 1. Há interesse na mobilidade de doutorandos e pesquisadores brasileiros e franceses.

A missão francesa demonstrou interesse nos projetos desenvolvidos pelas universidades estaduais do Paraná na área de bioenergia. Mélanie Bourret afirmou que irá identificar as instituições de pesquisa e universidades que se interessem em cooperar com o Estado do Paraná. O Programa de Mestrado Multi-institucional em Bioenergia do Estado do Paraná poderá contar com a mobilidade de professores e pesquisadores brasileiros e franceses. Os projetos cooperativos e os programas de mobilidade serão financiados por meio de editais, que serão lançados oportunamente pelas partes. No caso do Paraná, os pesquisadores paranaenses receberão o apoio da Fundação Araucária.

Para o presidente da Fundação Araucária, Paulo Roberto Brofman uma das metas para 2014 é investir nas universidades para parcerias internacionais. “Uma das nossas prioridades e consequentemente do governo do estado do Paraná é a manutenção e aumento de parcerias internacionais para avançarmos no desenvolvimento de projetos em conjunto”, afirma Brofman.

COOPERAÇÃO – A cooperação entre Paraná e Rhône-Alpes iniciou em 2005 e o acordo firmado em 2008 foi renovado pelo Governo atual em fevereiro de 2012, com a elaboração de uma proposta de Plano de Ação 2012-2014 que prevê a realização projetos de interesse mútuo, abrangendo os seguintes temas: Ensino Superior, pesquisa e Tecnologia; 4 motores para o Mercosul; agricultura; educação e formação profissional; meio ambiente, energia e desenvolvimento territorial sustentável; turismo; economia e relações internacionais; e governança e gestão pública, envolvendo várias secretarias, institutos de pesquisa, universidades e órgãos públicos.

Uma das iniciativas, coordenadas pela SETI é a Escola Tecnológica de Leite e Queijos dos Campos Gerais, da Universidade Estadual de Ponta Grossa, que tem como coordenador o professor Alessandro Nogueira. A visita técnica e a realização de pesquisas na École nattional des Industries du Lait et des Viandes-ENILV (La Roche-Sur-Fouron) realizada pelo professor Alessandro Nogueira subsidiou o fortalecimento da linha de pesquisa em queijos. O projeto futuro é a organização de um Programa de Pós-Graduação em Alimentos, com um centro de excelência em pesquisa de queijos finos.

ESCOLA DE QUEIJOS – A Escola Tecnológica de Leite e Queijos dos Campos Gerais (ETL Queijos), vinculada ao Departamento de Engenharia de Alimentos da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) foi criada em 2009, a partir de parceria firmada pelo governo do Paraná com a província francesa de Rhône-Alpes. Nesses cinco anos, capacitou profissionais que utilizam o conhecimento para empreender novos negócios e se consolidou como importante espaço de qualificação de mão de obra e assistência aos segmentos de produção e transformação do leite nos Campos Gerais, região destacada como uma das maiores bacias leiteiras do país.

A ETLQueijos desenvolve atividades de ensino, pesquisa e extensão neste segmento especializado. O curso de Mestre Queijeiros é uma das principais ações extensionistas da UEPG e já capacitou mais de 100 profissionais oriundos de diversos pontos do território nacional. No campo da pesquisa, nesse período foram defendidas cinco dissertações de mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos (UEPG) e mais cinco estão em andamento. Em 2013 foi defendida a primeira tese de doutorado (UFPR) desenvolvida pela professora Marina Caldeira Tolentino integralmente na ETLQueijos, sobre o queijo El Romero; e em 2014, o professor Guilherme de Souza Tedrus defenderá sua tese (Unicamp) sobre o queijo Reblochon.

Atualmente a escola conta com espaço próprio no campus de Uvaranas da UEPG, estruturado para a fabricação de uma variedade de queijos finos e desenvolvimento de pesquisas. Os recursos para criação e desenvolvimento da ETL Queijos são oriundos do governo do Estado, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e da Fundação Araucária e de projetos submetidos à Finep – Agência Brasileira de Inovação, vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação.

BIOENERGIA – O Programa de Pós-Graduação em Bioenergia, nível de mestrado acadêmico, na área de biocombustíveis se desenvolve como uma associação em rede que envolve a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior por meio das universidades estaduais de Londrina, Maringá, Ponta Grossa, do Centro-Oeste e do Oeste do Paraná, Universidade Federal do Paraná; e conta com a colaboração dos institutos de pesquisa EMBRAPA, IAPAR e TECPAR e a interveniência da Fundação Parque Tecnológico de Itaipu (PTI).

Esta temática recebe estímulo do Governo do Estado dadas as potencialidades do Paraná. Há dez existe o Programa Paranaense de Bioenergia que tem a finalidade de gerir e fomentar ações de pesquisa, desenvolvimento, aplicações e uso de biomassa no território paranaense, com foco na produção e na aplicação do biodiesel como biocombustível. A proposta busca o cuidado com a preservação do ambiente e o estímulo ao desenvolvimento sustentável do Estado e da região.

RHÔNE – ALPES – A França é dividida em 27 regiões, sendo Rhône-Alpes a segunda maior delas (6 milhões de habitantes), cuja capital é Lyon. A região de Rhône-Alpes é subdividida em oito Departamentos, que são formados por Comunas.

A região concentra nove universidades e 225 mil estudantes, destes 10% são estrangeiros. Rhône -Alpes investe em parcerias com universidades estrangeiras e incentiva, com bolsas de estudo, a mobilidade dos seus estudantes. A cada ano oferece 10 mil bolsas e investe 135 milhões de euros em pesquisa nas universidades tornando-se um polo de pesquisa francês responsável por 10% das publicações científicas e 15 % das patentes da França. Possui mais de 600 laboratórios que desenvolvem pesquisas conjuntas entre universidades, empresas e indústrias. A região é responsável pela formação de 20% dos engenheiros franceses. As escolas de engenheiros da França – INSA (Instituts Nationaux de Sciences Appliquées) criou em 2000, em Lyon um ciclo internacional de dois anos chamado AMERINSA, voltado para estudantes latino-americanos com o objetivo de incentivar o intercâmbio acadêmico entre Europa e América Latina.

Fonte: SETI´PR

Próximos Eventos