Giro nos Estados

Para a UFBA com carinho – baianos contam como a universidade transformou suas vidas

Espaço de aprendizado, de troca de saberes, ambiente democrático e plural, de manifestações políticas e culturais, a Universidade Federal da Bahia é objeto de orgulho e admiração por muitos baianos e brasileiros. Em defesa desta e de tantas outras universidades públicas, gratuitas e de qualidade, a UFBA dá início a uma série de vídeos com personagens de diferentes contextos socioculturais que tiveram suas vidas transformadas por influência da universidade e expressaram seu carinho à instituição. A iniciativa se integra à campanha de conscientização sobre o papel das universidades públicas no Brasil, proposta pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes).

O primeiro vídeo, Para a UFBA com carinho, traz depoimentos de personalidades da política e cultura baiana, formados pela UFBA, como o músico Gilberto Gil, o prefeito de Salvador Antônio Carlos Magalhães Neto, o político e empresário das comunicações Mário Kértesz, a deputada federal Lídice da Mata e o diretor da Fundação Pedro Calmon, Zulu Araújo. Essa edição também dá voz a Angela Bacelar, líder comunitária da Mata Escura, bairro periférico de Salvador. Logo a seguir, serão divulgados outros seis vídeos, com a íntegra do depoimento de cada um dos participantes.

Moradora de Mata Escura há mais de 30 anos, Angela Bacelar destaca o trabalho desenvolvido pela Residência Profissional em Arquitetura, Urbanismo e Engenharia da UFBA para a criação do Parque Teodoro Sampaio, área de preservação dos recursos naturais inserida no Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano da cidade.

Com a mesma emoção, o prefeito e presidente nacional do DEM ACM Neto, diplomado bacharel pela Faculdade de Direito, considera que muito da sua carreira política de gestor público se deve à oportunidade e privilégio de ter estudado em uma instituição de qualidade como a UFBA.

A universidade foi para Gil o coroamento de uma expectativa que carregava desde a infância sobre um ambiente múltiplo, aberto, democrático e plural e que lhe oferecesse a possibilidade de ver e entender o mundo, ressalta o músico que estudou administração de 1961 a 1964 e é doutor Honoris Causa pela UFBA, além de ex-ministro da cultura.

Uma paixão que se tornou semente para a construção e o nascimento de outras universidades federais na Bahia, assim a deputada federal Lídice da Mata define a UFBA, onde graduou-se em economia e foi eleita a primeira mulher presidente do Diretório Central dos Estudantes em 1980 (DCE-UFBA).

Formado pela Escola de Administração, Mário Kértesz declara sua paixão pela universidade, enfatizando o valor inestimável que a UFBA teve em sua formação ” Eu uso todos os dias coisas que eu aprendi e vivi na universidade dentro do meu trabalho. A UFBA é um patrimônio da Bahia e dos baianos”.

No mesmo sentido, Zulu Araújo, graduado em Arquitetura e Urbanismo (1985) e Mestrando em Cultura e Desenvolvimento pela UFBA, declara que a universidade foi essencial na sua vida ao contribuir para sua formação cidadã, cultural e política. “Eu devo a esta universidade a minha profissão, a minha competência e a possibilidade de ter sido um gestor cultural”, afirma.

Fonte: UFBA

Próximos Eventos