+55 (61) 4101-6508 / 4101-6509

Giro nos Estados

Pará firma parceria em ciência e tecnologia com universidade chinesa

O vice-reitor da Southwest University of Science and Technology, a universidade de ciência e tecnologia da província de Schiuan, no sudoeste da China, Yao Rongdong, firmou ontem uma carta de intenções com universidades paraenses para viabilizar futuras parcerias nas áreas de ensino e pesquisas tecnológicas. O acordo assinado também com a Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia (SEDECT) faz parte da política de cooperação internacional entre as duas regiões que no ano passado se tornaram províncias-irmãs.

O termo de cooperação foi assinado pela Southwest University of Science and Technology junto à Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural (UFRA), Universidade do Estado do Pará (UEPA) e o Instituto Federal do Pará (IFPA). E nele estão previstas a possibilidade de parcerias na realização de pesquisa e a mobilidade entre professores e alunos de graduação e pós-graduação em áreas consideradas estratégicas para as duas regiões como a área de mineração, energia, geologia, agricultura e biologia.

Rongdong explicou que a universidade chinesa já acumula bastante experiência neste tipo de parceria. Com países europeus, por exemplo, firmou no ano passado parcerias para o desenvolvimento de pesquisas ligadas ao tratamento de água e baixo consumo do carvão. A Southwest também detém um centro de estudos especializado em sustentabilidade de energia.

Para ele, a parceria com o Pará não poderia ser mais proveitosa diante do estágio de crescimento das duas regiões. “Acredito que este convênio vai beneficiar ambos os lados. A semelhança que Sichuan tem com o Pará é marcante. As duas regiões estão passando por um período de alto desenvolvimento e estão definindo as suas prioridades de investimentos. Por isso, precisa formar pessoas capazes de conduzir este processo”, afirmou o vice-reitor.

Durante o encontro, o secretário de desenvolvimento, ciência e tecnologia do Pará (Sedect), Maurílio Monteiro, apresentou as estratégias que vem sendo conduzidas no Estado, inclusive com a criação de parques tecnológicos, distritos industriais e infra-estrutura logística, capazes de garantir uma base de desenvolvimento impulsionada pela ciência e tecnologia. E apresentou as áreas potenciais presentes, por exemplo, no parque de Ciência e Tecnologia do Guamá, cuja vocação é o desenvolvimento de pesquisas em biotecnologia, energia, sistema de comunicação, tecnologia do alumínio).

O reitor da UFRA, Sueo Numazawa destacou a importância que o intercâmbio com a universidade chinesa vai representar para a Amazônia. “Esta é uma oportunidade extraordinária. Os chineses são fortes nas ciências agrárias que é a nossa principal vocação. Além disso, a troca de experiências será muito importante para formação dos profissionais que estão sendo formados na universidade”, afirmou.

Fonte: Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Pará

Compartilhe:

    Próximos Eventos