Giro nos Estados

Novo edital do RH-Interiorização oferta 30 bolsas de mestrado e 25 de doutorado para residentes no interior do Amazonas

Para fomentar o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação no interior do Amazonas, por meio da oferta de bolsas dePós-Graduação, o Governo do Estado via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), disponibilizará, este ano, R$ 4,6 milhões para oferta de 30 bolsas de mestrado e 25 de doutorado para residentes no interior do Estado.

O valor será ofertado via Programa de Apoio à Formação de Recursos Humanos Pós-Graduados para o Interior do Estado (RH-Interiorização, Edital 003/15), em fluxo contínuo. O Programa tem como objetivo conceder bolsas de mestrado e doutorado a profissionais graduados residentes no interior do Amazonas há, no mínimo, quatro anos ou que mantenham relação de trabalho com instituições da administração pública com sede ou unidade permanente nas cidades do interior do Estado.

De acordo com o Edital 003/15, disponibilizado no site da Fapeam, serão feitas 11 chamadas de fevereiro a dezembrodeste ano. A meta é que todas as bolsas sejam concedidas e um número maior de profissionais seja contemplado.

Para a primeira chamada, a submissão de propostas deve ser feita até o dia 5 de fevereiro. A entrega da documentação no protocolo da Fundação deve ser realizada até o dia 6 do mesmo mês. O resultado está previsto para o mês de março, com início de pagamento das bolsas a partir de abril de 2015.

Segundo a diretora-presidenta da Fundação, Maria Olívia Simão, a oferta de bolsas de pós-graduação para residentes no interior do Estado vem ao encontro da descentralização das instituições de Ensino e/ou Pesquisa que passaram, nos últimos anos, a ampliar suas ações e a instalar unidades acadêmicas permanentes em diversos municípios.

Segundo Maria Olívia, a concessão de bolsas para o interior do Estado é uma ação que potencializa a formação de recursos humanos qualificados a partir da interiorização das instituições de Ensino e/ou Pesquisa.

“Com a descentralização de instituições, como as Universidades Federal do Amazonas (Ufam) e do Estado do Amazonas (UEA), além do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (Ifam), temos a preocupação em ofertar as bolsas de pós-graduação para que, após formados, esses profissionais possam retornar aos municípios para desenvolver seus locais de origem”, disse.

INTERIORIZAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO

De 2007 a 2014, o Governo do Estado, via Fapeam, destinou R$ 16,9 milhões na oferta de 130 bolsas de mestrado e 96 de doutorado pelo Programa RH-Interiorização.

Dentre os beneficiados nos últimos anos há residentes em Autazes, Manacapuru, Parintins, Humaitá, Itacoatiara, São Gabriel da Cachoeira, Coari, Tefé, São Paulo de Olivença, Presidente Figueiredo, Benjamin Constant, Novo Aripuanã, Careiro da Várzea, Maués e Tabatinga, que cursaram a pós-graduação ofertada por instituições em todo o País.

Para o doutorando em Geografia na Universidade Federal do Paraná (UFPR) e professor da UEA no município de Tabatinga (distante 1.108 quilômetros de Manaus), Wendell Teles de Lima, a concessão da bolsa de Doutorado é fundamental para o desenvolvimento de pesquisas no interior do Estado e, consequentemente, para a qualificação dos profissionais residentes em cidades distantes de Manaus.

“É um recurso que proporciona a permanência (do pesquisador) no interior e é fundamental para o desenvolvimento da pesquisa. Isso reflete diretamente em uma maior qualificação das pessoas que residem em municípios muitos distantes (da capital) e que passam a ter as mesmas oportunidades que os profissionais que moram em Manaus. Sou professor da UEA em Tabatinga e a concessão da bolsa só auxiliou no aprimoramento da qualificação dos recursos humanos no interior, aumentando, assim, a qualidade do ensino e da pesquisa no interior do Estado”, disse Teles.

Atualmente, a UEA tem unidades em 15 municípios do Amazonas, o Ifam tem sete e a Ufam tem cinco, além de Manaus. 

Fonte: SECTI-AM

Próximos Eventos