+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Novas perspectivas para a exploração do látex em Lábrea

O extrativismo do látex da seringueira ainda possui importância na geração de emprego e renda de algumas populações da Amazônia. No município de Lábrea (a 702 quilômetros de Manaus), por exemplo, há uma potencialidade muito grande para a produção da borracha, mas um estudo aponta que a cadeia produtiva nesta região é incompleta por não apresentar todos os elos constituídos para seu funcionamento normal, já que não existe uma indústria que beneficie o Cernambi Virgem Prensado (látex) produzido no município.

O estudo intitulado ‘Avaliação da Cadeia Produtiva da Borracha Natural em Seringais Nativos no Município de Lábrea no Estado do Amazonas’ foi  desenvolvido pelo mestre em Agronomia, pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Edinaldo Lopes de Oliveira, com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (FAPEAM), por meio do Programa Institucional de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu(Posgrad).

De acordo com o pesquisador, o estudo visou avaliar como se comporta a cadeia produtiva da borracha natural no município de Lábrea/AM e investigar esse processo por meio de descrição, técnica de manejo e avaliação da produção do látex conforme a circunferência das plantas em diferentes períodos de tempo, uma vez que nesse município a renda proveniente do extrativismo do látex complementa a manutenção das famílias envolvidas no processo, contribuindo para a redução da pobreza econômica e aumentando a qualidade de vida.

Ele explica que, por meio do estudo, foi possível constatar que a cadeia produtiva de borracha natural é incompleta porque há alguns entraves  que dificultam a atividade extrativa e o financiamento da mesma, como a ausência de documentos fundiários de posse da terra, a dificuldade de aquisição de insumos de produção, a falta de capacitação de técnicos e seringueiros para a atividade extrativa, a falta de capital de giro para financiamento da produção do ano seguinte e a dificuldade de comercialização e escoamento de produção, além de não existir uma fábrica específica para o processo de produção instalada no município.

“Isso precisa ser superado com urgência, para que possa haver mais interesses por parte dos seringueiros em continuar suas atividades nas extrações do látex, uma vez que, por falta da existência de uma fábrica que facilite o processo de confecção, a borracha produzida pelos seringueiros é processada e beneficiada em outro lugar”, comentou.

Oliveira ressalta que, para o desenvolvimento do setor extrativista do látex no Estado do Amazonas, é imprescindível um programa estratégico capaz de revitalizar a produção amazonense de borracha, a fim de atender inicialmente à demanda do mercado interno não satisfeito. “Isso, sem dúvida, requer um esforço governamental para a retomada da produção de borracha em larga escala no Estado”, afirmou.

Novas perspectivas

Uma iniciativa do Governo do Estado pode transformar essa realidade. Trata-se do Programa de Recuperação da Cadeia Produtiva da Borracha Natural do Estado do Amazonas, via Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror).  O programa visa à reativação dos seringais nativos e de cultivo, de forma que essa atividade possa restabelecer-se, gerando riqueza para o Estado e mantendo o seringueiro na floresta com melhores condições de vida.

“O Governo do Estado, por meio dos dados da pesquisa, pode implementar políticas públicas de incentivo à atividade extrativista nos seringais nativos abandonados e carentes de revitalização, com algumas recomendações como a criação de uma rede de organização dos produtores extrativistas do Amazonas, implantação de programas de capacitação aos seringueiros para o processo de extração do látex, distribuição de kits de sangria para todos os seringueiros envolvidos na atividade etc”, afirmou.

Apoio da FAPEAM

De acordo com Oliveira, o apoio da FAPEAM foi decisivo para a conclusão do curso, uma vez que as dificuldades foram inúmeras.”Seria impossível concluir o mestrado sem esse apoio, já que as pesquisas eram feitas no município de Lábrea e eu precisava me deslocar para coletar dados. Hoje posso dizer que tudo valeu a pena”, finalizou.

Sobre o Programa

O Programa Institucional de Apoio à Pós-Graduação Stricto Sensu consiste em apoiar, com bolsas de mestrado e doutorado, e auxílio financeiro, as instituições localizadas no Estado do Amazonas que desenvolvem programas de pós-graduação Stricto Sensu credenciados pela Capes.

Fonte: Fapeam, por Rosa Doval

Próximos Eventos