Giro nos Estados

Monitoramento eletrônico de bacias hidrográficas e reservatórios pretende criar ações de prevenção à seca e danos ambientais em Sergipe

Devido ao aquecimento global e as constantes mudanças no clima, o abastecimento de água no planeta já depende de um eficiente sistema de monitoramento dos níveis e da qualidade da água. Pensando nisto, pesquisadores da Universidade Federal de Sergipe (UFS), com o apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica (Fapitec-SE), resolveram desenvolver um sistema eletrônico de alerta antecipado para monitorar bacias hidrográficas e reservatórios de Sergipe. Dados divulgados pela Organização Meteorológica Mundial (OMM) no último mês de novembro apontam que 2018 deverá ser o quarto ano mais quente já registrado na história. Ainda de acordo com a organização, o calor tem provocado mudanças climáticas; elevação do mar; degelo em regiões polares; secas e enchentes que causam grande devastação em todas as partes do planeta. Segundo o pesquisador e professor do curso de engenharia da computação, Departamento de Computação da UFS, Ricardo Salgueiro, o projeto busca criar um sistema para o monitoramento do nível, vazão e qualidade da água em bacias e reservatórios de água, visando ações preventivas contra seca, enchentes, e degradação de ambientes aquáticos, bem como fornecer aos operadores e gerentes de companhias de abastecimento um produto que permita acompanhamento remoto de medidas de vazão e potabilidade da água.

“Na prática é desenvolver uma solução tecnológica para medição e integração dos dados coletados através de sensores eletrônicos instalados nos reservatórios e bacias hidrográficas ligados em redes a um sistema de monitoramento com software livre, o que possibilita baixo custo ao projeto”, explica o pesquisador. Segundo o bolsista e estudante do curso de engenharia da computação da UFS, Tulio Araújo Caldas, serão utilizadas as habilidades aprendidas no curso, como: sistemas embarcados, sensoriamento remoto e gerenciamento de rede.

“Vamos trabalhar com a internet das coisas, um tópico em alta no momento em que têm cativado a atenção da academia e do mercado de trabalho. Pretendemos oferecer,por exemplo, uma solução de baixo custo à Companhia de Abastecimento de Sergipe(Deso), por meio do uso de tecnologias inovadoras garantindo rentabilidade para a empresa e maior comodidade a população”, orienta o bolsista. Parceria Além da Fapitec, o projeto conta com apoio da Deso e de uma empresa de telecomunicações. O monitoramento será feito no sistema de abastecimento do rio Poxim e adutora do rio São Francisco.

Fonte: Fapitec SE

Próximos Eventos