+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Missão aprofunda intercâmbio com China e Finlândia nas áreas de inovação e parques tecnológicos em PE

O secretário de Ciência e Tecnologia, José Bertotti, apresentou o relato de sua viagem à China e Finlândia como integrante da missão a esses dois países organizada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia & Inovação e pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores, a Anprotec, entidade que agrega os parques tecnológicos brasileiros.

A missão aconteceu de 23 de maio a 6 de junho e foi integrada pelo Secretário de Inovação Tecnológica Alvaro Prata, além de representantes das principais agências do ministério (Capes, CNPq e Finep), secretários estaduais e presidentes de fundações de amparo à pesquisa. Bertotti representou o Conselho Nacional dos Secretários de de Ciência e Tecnologia (Consecti). A missão faz parte do Plano Nacional de Parques e Incubadoras Tecnológicas, que está formatando a política nacional para o setor.

CHINA
José Bertotti conheceu os principais parques tecnológicos de Pequim, dentre eles o Zi Park, que congrega 16 parques secundários e o Tusk Park, da universidade de Tsing Hua, ambos em Pequim. De acordo com o secretário, apesar da disparidade das dimensões, os parques tecnológicos chineses foram criados a partir de um conceito muito semelhante aos parques pernambucanos, principalmente o Bairro Tecnológico do Curado, mais conhecido como ParqTel e o próprio 

Porto Digital.
“Os parques chineses não estão limitados aos limites geográficos do seu território, pois o parque é, na verdade, o ponto de articulação entre o conhecimento produzido e os negócios gerados a partir desse conhecimento”, explicou o secretário.

A missão na China terá pelo menos três consequências práticas e imediatas:
1) A China se propõe a receber empresas brasileiras dispostas a se internacionalizar. Para isso, o vice-ministro de Ciência e Tecnologia da China, Jianlin Cao, anunciou que seu País oferecerá a essas empresas espaço físico para a instalação de sua sede nos parques tecnológicos chineses, moradia para seus executivos e diretores, além de taxas e impostos em condições especiais.

A Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia irá definir os procedimentos e critérios para identificar as empresas startups incubadas pelo sistema pernambucano de Ciência e Tecnologia que tem interesse, disposição e capacidade para a internacionalização.

2) O Centro China-Brasil é o responsável pelo programa de geração e transferência de tecnologia na área de energia renovável. Ele será responsável por desenvolver e transferir tecnologias para empresas interessadas em atuar no mercado brasileiro e chinês nessa área, principalmente de cana-de-açúcar. Os chineses tem uma expertise na área de energia fotovoltaica que se complementa com a tecnologia brasileira na área de biocombustíveis. A China, portanto, tem interesse direto em um campo em que Pernambuco tem bastante conhecimento acumulado.

3) A Universidade de Pequim e a Universidade de Tsing Hua receberão estudantes brasileiros de cursos ligados a gestão de parques tecnológicos a nível de doutorado e pós doutorado. A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) assumiu a tarefa de elaborar e publicar o edital para seleção dos estudantes.

FINLÂNDIA

Neste país do norte da Europa, o secretário Bertotti visitou as cidades da região do Loura, no sudoeste da Finlândia, onde está instalada uma das mais sólidas cadeias produtivas da indústria naval, parques tecnológicos e instituições de pesquisa na área de metal-mecânica. A missão resultou nas seguintes iniciativas que serão concretizadas nos próximos meses:

1) O secretário renovou por mais três anos o acordo de cooperação entre o Governo de Pernmabuco e a Região de Loura, cujas principais cidades são Turku, Rauma e Pori, além disso foi assinado um acordo que viabiliza o intercâmbio de estudantes da Universidade de Pernambuco (UPE) e a Universidade de Turku.

2) A administração regional de Loura e as autoridades brasileiras irão criar os procedimentos para facilitar a criação de joint-ventures entre empresas da indústria naval finlandesas e empresas brasileiras.

3) Com recursos financeiros previstos no acordo de cooperação já existente entre o estado de Pernambuco e a região do Loura, está sendo finalizada uma pesquisa econômica entre as pequenas e médias empresas pernambucanas e finlandesas. O trabalho está sendo conduzido pela UFPE e pela Universidade Loura. A pesquisa deverá realizar um diagnóstico do ambiente econômico em que as empresas estão inseridas para identificar em que áreas elas poderão atuar conjuntamente de maneira a se complementarem. A conclusão e divulgação está programada para agosto de 2014.

4) Foram abertas negociações para a, médio prazo, empresas finlandesas instalarem-se no parque de Metal-Mecânica.

Fonte: SECTEC-PE

Próximos Eventos