Giro nos Estados

Minas Gerais e Austrália investem em pesquisa

Acordo de Cooperação do Governo de Minas — por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes)  e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig) — com a Universidade de Queensland, Austrália, foi assinado nesta segunda-feira (26), na reitoria da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Os recursos de 2 milhões de dólares, cerca de 3,6 milhões de reais, serão investidos em pesquisa e desenvolvimento nos campos da geoquímica, impacto ambiental e qualidade da água em áreas afetadas pela indústria mineradora.

A parceria na pesquisa é o primeiro desdobramento do Memorando de Entendimento (MOU) também assinado com a Universidade de Queensland. As ações primordiais no documento serão o intercâmbio de pesquisadores e o lançamento de editais conjuntos. O Acordo de Cooperação foi assinado pelo presidente da Fapemig, Mário Neto Borges; secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alberto Duque Portugal, e pelo vice-reitor da Universidade de Queensland, Paulo Greenfield. A solenidade foi presidida pelo reitor da UFMG, professor Clélio Campolina, que esteve acompanhado da vice-reitora, professora Rocksane Norton.

Alberto Portugal ressaltou a importância de mais uma parceria internacional na área da ciência, tecnologia e inovação, na qual Minas Gerais ratifica e fortalece o seu propósito de se posicionar como estado líder na economia do conhecimento. Também disse da importância do processo de internacionalização da Fapemig, uma fundação que cresce a cada dia, financiando um número muito significativo de projetos de pesquisa e de inovação.

Potencial mineiro atrai representação para Minas
O secretário de Estado do Tesouro e de Desenvolvimento Econômico de Queensland, Andrew Fraser, falou da importância da parceria com Minas Gerais. Aproveitou para garantir que a partir do ano que vem, estará nomeando um representante do seu estado para se fixar em Belo Horizonte. “Estamos vendo muitas oportunidades, não apenas junto às universidades mineiras, mas também nos negócios. Queremos ser o primeiro estado australiano a ter uma representação em Minas”, afirmou Fraser.

“Queremos que este seja o primeiro de muitos acordos”, explicou o vice-reitor da universidade australiana, Paul Greenfield. Ele lembrou que a instituição que representa é a mais antiga de Queensland, muito prestigiada pela tradição e pelo trabalho que desenvolve, inclusive na área de mineração. “Que o trabalho das duas universidades seja rentável, mas também sustentável”, finalizou o vice-reitor ao lembrar as semelhanças entre os estados irmãos, sobretudo na economia, que tem a mineração e a siderurgia como importantes fontes de renda e de emprego.

Mário Neto Borges observou que o Acordo de Cooperação, do qual a Fapemig destina 50% dos recursos, apresenta três aspectos importantes: estreita o relacionamento entre os dois estados; amplia a internacionalização da fundação de amparo abrindo novos horizontes no Brasil e no mundo; cria novas possibilidades para os pesquisadores mineiros e fortalece o Estado de Minas Gerais como um todo.

A professora e pesquisadora da UFMG, Virgínia Ciminelli, destacou como ponto mais importante, a inclusão de recursos para a pesquisa. “É um grande avanço de Minas no que se refere a acordos de internacionalização, que tem a Fapemig e a Sectes, com a participação do Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico na construção desses acordos”, explicou Ciminelli, que coordena o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) de Recursos Minerais, Água e Biodiversidade.

Também compareceu à solenidade de assinatura do Acordo de Cooperação, o ex-governador de Queensland, Peter Beattie; o professor Massimo Gasparon; a assessora de Relações Internacionais da Sectes, Mariana Yazbeck; a superintendente de Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Sectes, Déa Fonseca; o gerente executivo do Polo de Excelência Mineral e Metalúrgico, Renato Ciminelli;  a superintendente de Ensino Superior da Sectes, Adriana Teixeira; a diretora Fernanda Duarte e  o assessor de Tecnologia da Informação, Osmar Aleixo, entre professores e pesquisadores.

Fonte: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior de Minas Gerais

Próximos Eventos