+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Investimentos em Ciência e Tecnologia aumentam no Piauí

Com o objetivo de apresentar à sociedade uma prestação de contas dos recursos públicos aplicados nos setores de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), foi elaborado o “Relatório Técnico sobre Investimento em Pesquisa no Estado do Piauí”. O mesmo apresenta os números relativos ao financiamento nos anos de 2006 a 2013 e demonstra um relativo crescimento, principalmente nos três últimos anos. “Os dados revelam um movimento progressivo dos recursos oriundos da União e do Tesouro Estadual, destinados primordialmente ao pagamento de bolsas e ao financiamento de pesquisas”, detalha o presidente da Fapepi, Francisco Soares. O relatório, elaborado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí, está disponível no site da Instituição.

De acordo com o Relatório, o Projeto de Pesquisa para SUS-PI: gestão compartilhada em saúde (PPSUS) é um exemplo emblemático dos programas que tiveram uma acessão nos aportes de recursos nos últimos anos. Em 2006 os recursos oriundos do Ministério da Saúde e do CNPq para o PPSUS contabilizaram R$ 100 mil e contrapartida do Tesouro Estadual no valor de R$ 10 mil. Na última edição em 2012, os investimentos no Programa deram um salto. Os órgãos do Governo Federal disponibilizaram R$ 900 mil e o Governo Estadual R$ 180 mil. Totalizando R$ 1.080 milhão investido em pesquisas na área de saúde no Piauí.

Outro programa que vem contando com um crescente aporte de recursos é o de Infraestrutura para Jovens Pesquisadores – Programa Primeiros Projetos (PPP), que teve um crescimento de R$ 400 mil (2006) para R$ 1.600 milhão (2013). “O progressivo crescimento do financiamento à pesquisa com recursos do tesouro estadual permitiu um avanço na captação de recursos federais, uma vez que boa parte destes recursos aplicados foi sob forma de contrapartidas”, explica Eliana Machado, diretora administrativo-financeira da Fapepi.

Os recursos do Tesouro Estadual, por meio de contrapartida, permitiram também a implantação pela primeira vez no Piauí, em 2011, do Programa de Apoio a Núcleo de Excelência (Pronex). Este foi implantado através de convênio entre Fapepi e CNPq, que contou com recursos no valor global de R$ 800 mil, sendo R$ 600 mil de recursos do CNPq e R$ 200 mil de contrapartida do Governo Estadual.

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) amplia a cada ano, as suas ações em prol do desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I) no Estado. Essa evolução se deve principalmente ao apoio do Governo do Estado, e as parcerias com agências federais de fomento à pesquisa, como o Ministério da Saúde, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Recursos Humanos

O Acordo de Cooperação Técnica e Acadêmica entre a Capes/Fapepi, que visa apoiar os Programas de Pós-Graduação stricto sensu no Piauí, e o Programa de Bolsas de Pós-Graduação Fapepi/Uespi, que objetiva promover a formação de mestres e doutores do quadro efetivo da Instituição, destacam-se como as principais ações da Fapepi para a qualificação de recursos humanos no Estado.

Segundo o “Relatório Técnico sobre Investimento em Pesquisa no Estado do Piauí”, o Acordo Capes/Fapepi trata-se do maior investimento em pesquisa científica realizada no Estado, tanto no que se refere ao fomento federal, quanto os recursos de contrapartidas, oriundos do Tesouro Estadual.

Já o Programa de Bolsas de Pós-Graduação Fapepi/Uespi conta exclusivamente com o fomento do Governo Estadual que vem conseguindo manter ou aumentar o financiamento ao Programa, como revela o “Demonstrativo de Investimento em qualificação de Docentes da Uespi, via Fapepi – Bolsas de Mestrado e Doutorado”.

Fonte: FAPEPI

Próximos Eventos