+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Inovação tecnológica transforma o Amapá em pioneiro no combate a contaminação da poupa do açaí

O Governo do Amapá, através da Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia (Setec), realiza no dia 29 de maio, as 16h30, no auditório do Museu Sacaca, o lançamento das Mesas de Catação do Programa de Qualidade do Açaí nas Amassadeiras de Macapá e Santana. Trata-se da mais importante inovação tecnológica na limpeza e seleção dos frutos  antes do  seu processamento. Na oportunidade serão doadas 100 Mesas aos batedores de açaí dos dois municípios.

A novidade incide também na etapa de seleção por meio do peneiramento dos frutos, proporcionando a retirada de resíduos, sujeira e do principal transmissor da Doença de Chagas “o barbeiro”. O projeto atende 150 batedores de açaí capacitados pelo Programa. Através da iniciativa será possível garantir rapidez e facilidade na catação e seleção dos frutos, melhorando a qualidade do produto ofertado ao consumidor.

A Mesa foi elaborada pela equipe da SETEC em parceria com os pesquisadores do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA) e proprietários das amassadeiras.

Pioneiro

De acordo com informações, este será o maior evento voltado para os comerciantes do produto mais consumido no Estado, e coloca o Amapá como pioneiro no Brasil de combate a contaminação do fruto.

A economia do açaí movimenta cerca de R$ 15 milhões por ano no Amapá, contribuindo com 2/3 do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. É também responsável pela movimentação de renda em localidades ribeirinhas por conta do plantio do fruto pelos próprios moradores das regiões.

De acordo com Antonio Claudio de Carvalho, secretario de ciência e tecnologia, o consumo do açaí no Estado, além de ser uma das mais importantes fontes de alimento das populações ribeirinha, é um hábito da população amapaense que pode ser considerado, inclusive, como parte de sua identidade cultural. “Em virtude da importância que o açaí tem para a população amapaense e da sua grande dimensão econômica, a Setec com apoio do Governo do Amapá fortalece este importante Programa que vai eliminar os riscos de contaminantes, através de boas práticas de fabricação,  garantindo a qualidade final do produto e, consequentemente, um diferencial que irá destacar o açaí amapaense nos diversos mercados consumidores”, destaca.

Com base na qualidade, o Programa pretende certificar um grande número de batedeiras na tentativa de inseri-las conforme a legislação do Ministério da Saúde (RDC ANVISA 218/2005), que dispõe sobre o regulamento técnico de procedimentos higiênico-sanitários para manipulação de alimentos e bebidas preparados com vegetais.

Especificações

Mesa toda em alumínio com todas as peças soldadas com altura de 0,95m por 0,70m e comprimento de 1m por 0,60m. Possui perfil tubular retangular com gaveta coletora de impurezas com encaixe sem roldana. Peneira de fundo tubular com espaçamento de 0,6 cm com forro dianteiro em chapa de alumínio.

Tanto na coleta quanto no transporte, eventualmente há problemas de contaminação dos frutos de açaí por impurezas como: resto de vegetais, pedras, terra e insetos. Mesmo muito raro, dentre os insetos, pode estar o barbeiro, transmissor da doença de chagas. A possível liberação do Trypanossoma cuzi, presente no intestino do barbeiro, pode ocorrer exatamente no ato do esmagamento do inseto junto com os frutos de açaí, por ocasião do despolpamento.

Fonte: SETEC AP

Próximos Eventos