+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Inovação em micro e pequenas empresas é tema de debate na Firjan

Representantes de instituições ligadas ao incentivo à inovação no estado se reuniram, nesta quinta-feira (09/04), na Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) para a Rio Inovação 2015. A ideia é que o grupo consiga debater formas de impulsionar atividades inovadoras no estado do Rio. O subsecretário de Educação Profissional e Ensino Superior da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Tande Vieira, representou o governo no encontro e o considerou importante para detectar problemas no sistema de inovação, principalmente no alcance a micro e pequenas empresas.

 “Temos que resolver alguns nós, como o acesso ao crédito por parte dos pequenos e médios empresários do estado, e estamos elencando ações para solucionar esse problema. O grupo é formado pelas principais instituições financeiras que atuam no estado”, explicou, ressaltando que está otimista em conseguir apresentar soluções importantes para desenvolver esse sistema de inovação.

A Firjan realizou uma pesquisa para identificar atividades inovadoras e demandas por inovação nas empresas fluminenses. O estudo, com 236 empresas que totalizam 20.534 funcionários, apontou que mais de 60% se consideram inovadoras, mas apenas 26,2% delas finalizam projetos de inovação. Para tentar melhorar esse número a gerente de inovação do Banco Nacional do Desenvolvimento (BNDES), Luciana Capanema, explica que a Secti pode atuar em conjunto com o banco para atingir a micro, pequena e média empresa através do agente financeiro.

“Se a secretaria nos ajudar nessa articulação com os bancos para que eles operarem essa linha de apoio à inovação das micro, pequenas e médias empresas, podemos articular e gerir as dúvidas que os agentes têm em relação aos instrumentos e que acabam afastando-os das atividades práticas de inovação”, sugeriu.

Outra forma de fomentar a atividade inovadora no estado são os convênios. O assessor da presidência da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), José Roberto Gomes da Costa, esteve na reunião e apresentou um convênio feito com a Rede D’or onde serão investidos R$ 10 milhões, sendo metade da verba pública e a outra parte do instituto privado, para apoiar grupos de pesquisa com projetos já selecionados. “Assim você cria um efeito multiplicador. Em cima de uma demanda real da iniciativa privada você alavanca projetos”, explica.

Outra instituição que apresentou formas de incentivo à inovação em micro e pequenas empresas foi a Finep, que recebe parte dos recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) para fazer equalizações e editais de recursos não reembolsáveis. “Fazemos seleções para identificar projetos de maior risco tecnológico e eles recebem esse recurso. Nosso esforço tem sido para ampliar o pedaço do fundo que é designado para a inovação”, disse a gerente do Departamento de Relações com o Cliente da Finep, Márcia Carvalho Ribeiro.

Fonte: SECT-RJ

 

Próximos Eventos