Giro nos Estados

Importância da difusão da ciência é enfatizada em reunião de astrônomos em SP

Ao longo da 42ª Reunião Anual da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB), pesquisadores do Brasil e do exterior destacaram a importância da comunidade científica transmitir à população os conhecimentos produzidos. Ela acaba de ocorrer, entre os dias 9 e 12 de julho, na Universidade Cruzeiro do Sul, em São Paulo, reunindo membros da SAB e convidados da NASA e do ESO, por exemplo. Simultaneamente, os astrônomos realizaram um minicurso gratuito voltado para professores de escolas públicas e particulares, com 82 inscritos.

Para a palestrante convidada Vivian White, da Sociedade Astronômica do Pacífico (ASP, na sigla em inglês), ao fazer a divulgação da ciência com qualidade, mais pessoas se interessam por astronomia, conseguindo compreender melhor essas questões importantes para o ser humano.  “Tenho a impressão que, ao estarem cientificamente mais instruídas, as pessoas votarão melhor e serão cidadãos melhores para o mundo. Cabe tornar a produção científica palpável para que o público entenda e se importe com o que está acontecendo e isso é um grande desafio, e exige bastante trabalho”, avalia Vivian, que abordou na apresentação o tema inclusão e táticas de engajamento na astronomia.

O presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), Ildeu de Castro Moreira, destacou em sua apresentação que é essencial que a população tenha acesso ao conhecimento científico produzido no país. Chama a atenção para a iniciativa de Albert Einstein, um físico teórico, de compartilhar com o público a Teoria da Relatividade. Uma oportunidade apontada pelo presidente da SBPC para a sensibilização do público atualmente é promover ações em comemorações sobre o centenário do Eclipse de Sobral, por ser evento de importância mundial. Ele conta que já está convidando inclusive ganhadores de Prêmio Nobel. Esse eclipse ocorreu em 29 de maio de 1919, comprovando a Teoria da Relatividade, anunciada em 1905.

Ildeu aponta as olimpíadas científicas como mais uma oportunidade para popularizar a ciência e o impacto que um investimento de R$ 3,5 milhões com esse tipo de atividade pode gerar na melhoria dos ensinos fundamental e médio no país. Durante a assembleia da SAB, o professor Ramachrisna Teixeira informou que a mais recente Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) teve a participação de 8.456 escolas ao longo do país. Os investimentos atuais em ciência, tecnologia e inovação no Brasil são de um terço em comparação a 2013. “É como se tivéssemos voltado para 2001”, compara Ildeu.  Para ele, é essencial mobilizar jovens, pesquisadores, professores, instituições de ensino, entidades de diferentes áreas da ciência para que todos se unam buscando reverter esse quadro de cortes acentuados de recursos, votando em candidatos que assumam compromisso com a comunidade científica neste ano eleitoral. “Ou a gente se mexe em conjunto, ou o país pagará um preço caro para a ciência”, avalia o presidente da SBPC.

Na programação, palestras com outros casos bem sucedidos de divulgação científica. Um deles é o canal do YouTube Astrotubers criado há 3 meses, com 1 mil assinantes, sendo realizado por graduandos e pós-graduandos de diferentes universidades e instituições de pesquisa. Ele foi apresentado por Stephane Werner, da Universidade de São Paulo (USP) e tem entre os principais objetivos falar sobre ciência, e discutir sobre o rumo que está tomando a astronomia no país e no mundo. Os vídeos do canal têm títulos como: “Por que as estrelas brilham?”, “O que é um buraco negro?”, “Exoplanetas: Métodos de Detecção – Trânsito Planetário”, e “Existe Vida Fora da Terra?”. Edgar Smaniotto apresentou o papel do Grupo Regional de Astronomia de Marília (GRAMA) na divulgação da astronomia em Marília e região. Já Kelly Beatriz Torres, da Universidade Federal de São João Del-Rei (UFSJ), transmitiu os principais resultados do projeto de extensão “Inclusão das Mulheres nas Ciências e Tecnologias: Ações Voltadas para a Educação Básica”. Iniciado em 2011, já alcançou mil meninas entre 11 e 18 anos por meio de ações de sensibilização em doze escolas na cidade de Ouro Branco e duas escolas de Congonhas, em Minas Gerais.

Entre os 174 painéis da 42ª Reunião Anual da Sociedade Astronômica Brasileira, foram apresentados 21 sobre Ensino, Difusão e História da Astronomia. Foi selecionado para apresentação oral outro trabalho de Kelly Beatriz Torres: “Viagem ao Céu pelo Olhar da Ciência: Divulgação da Astronomia na Região de Alto Paraopeba”, que ganhou o primeiro lugar nessa Reunião.

Sobre a Sociedade Astronômica Brasileira

A Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) tem a missão de promover e compartilhar o conhecimento científico do Universo. Foi criada em 1974, tem sede em São Paulo, e é a maior organização de astrônomos profissionais no Brasil. Com seus quase 700 membros, atualmente, é constituída por astrônomos, físicos, engenheiros, matemáticos e outros com interesse amplo em astronomia. Saiba mais em: www.sab-astro.org.br. 

Sobre a Universidade Cruzeiro do Sul

Há quase 50 anos atuando no ensino superior, a Universidade Cruzeiro do Sul conta com aproximadamente 50 mil alunos, distribuídos em cursos de Graduação, Pós-graduação lato e stricto sensu, à distância e presencial, nos campi Anália Franco, Liberdade, São Miguel e o recém-inaugurado campus Paulista (2018). É reconhecida por sua forte atuação na área social e pelo destaque em vários indicadores oficiais nas áreas de ensino, pesquisa e extensão. Integra o grupo Cruzeiro do Sul Educacional, um dos mais representativos do País, com mais de 250 mil alunos, que reúne instituições academicamente relevantes e marcas reconhecidas em seus respectivos mercados, como Universidade Cidade de São Paulo (São Paulo/SP), Universidade de Franca (Franca/SP), Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (Itu e Salto/SP), Faculdade São Sebastião – FASS (São Sebastião/SP), Centro Universitário Módulo e Faculdade Caraguá – FAC (Caraguatatuba – SP), Faculdade Cesuca (Cachoeirinha – RS), Centro Universitário FSG (Bento Gonçalves e Caxias do Sul – RS) e Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), além de colégios de educação básica e ensino técnico.  Visite: www.cruzeirodosul.edu.br

Fonte: Jornal da Ciência

Próximos Eventos