Giro nos Estados

IEPA ofertará fitoterápicos aos usuários do SUS

Medicamentos naturais serão manipulados pelo Iepa e dispensados aos usuários atendidos no Centro de Referência em Práticas Integrativas.

Usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) do Amapá contarão com mais uma opção de tratamento, além da medicina tradicional. Agora, a rede de saúde do Estado vai disponibilizar o uso de plantas medicinais e fitoterápicos. Para isso, foi assinado nesta quarta-feira, 7, um Termo de Cooperação Técnica e Científica.

O termo foi assinado entre a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa), que fará a fabricação e manipulação dos fitoterápicos, e a Universidade Federal do Amapá (Unifap), responsável por capacitar os profissionais que irão prescrever os medicamentos.

A implantação vem para ampliar as opções terapêuticas na recuperação e manutenção da saúde dos amapaenses. O novo meio de tratamento será ofertado no Centro de Referência em Práticas Integrativas em Saúde (Cerpis), com a disposição de medicamentos fitoterápicos, tendo como matéria-prima, plantas da região amazônica.

A assinatura do termo faz parte de um projeto piloto que visa à implantação do uso de plantas medicinais e fitoterápicos na rede SUS, no Amapá. Segundo a coordenadora do projeto, Juliane Esbizero, os medicamentos serão para pacientes já em tratamento. “Como a maior parte dos usuários do Cerpis é de idosos, os fitoterápicos que serão fabricados são para esse público. Por isso que a funcionalidade é para amenizar dores e inflamações”, ressaltou.

O projeto é financiado pelo Ministério da Saúde e deve estar à disposição da população, de forma gratuita, dentro de um ano e seis meses. Nesse período, será captada a matéria-prima e feita a capacitação dos profissionais responsáveis pela prescrição dos medicamentos.

Para o secretário de Estado da Saúde, Gastão Calandrini, a medida agrega a riqueza medicinal das plantas amazônicas para ampliar as opções terapêuticas. “Esse projeto reforça as práticas populares e tradicionais do uso de plantas medicinais em benefício da saúde. Com essa cooperação, teremos profissionais capacitados para prescrever as medicações aos usuários do SUS, atendidos no Cerpis”, assegurou o gestor.

Inicialmente, a oferta do serviço contará com cinco produtos: dois fitoterápicos regionais que serão produzidos pela farmácia de manipulação do Iepa e outros três fitoterápicos industrializados, que constam na Relação Nacional de Medicamentos Essenciais (Rename). “Dois desses produtos já são manipulados e comercializados pela farmácia do Iepa. Com a parceria, vamos aumentar a produção para disponibilizar 400 unidades/mês de cada um dos medicamentos”, adiantou o diretor do Iepa, Jorge Souza.

Fitoterápicos

Os fitoterápicos que serão fabricados e manipulados pelo Iepa, são:

– Pomada de andiroba (Carapa guianensis) – uso tópico: indicado como anti-inflamatório;

– Tintura da Sacaca (Croton cajucara) – uso oral: indicado como redutor do teor de gordura no sangue (colesterol e triglicérides).

Os fitoterápicos industrializados elencados na Rename que fazem parte do projeto, são:

– Garra do diabo (Harpagophytum procumbens) – uso oral em cápsulas: indicado como anti-inflamatório e no tratamento da dor lombar baixa aguda e como coadjuvante nos casos de osteoartrite;

– Unha de gato (Uncaria tomentosa) – uso tópico em gel: indicado como anti-inflamatório e de ação imunomoduladora, auxilia nos casos de artrites e osteoartrite;

– Isoflavona de soja (Glycine max) – uso oral em cápsulas: indicado como auxiliar no alívio dos sintomas do climatério.

Fonte: IEPA AP

Próximos Eventos