Giro nos Estados

HU-UEPG terá verba de R$ 1,4 milhão para Centro de Hematologia

O Hospital Universitário, órgão ligado à Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), recebeu o investimento de R$ 1,4 milhão para a construção de um Centro de Hematologia. Destinada pelo Governo do Estado, a verba será utilizada para a compra de equipamentos e acessórios que serão utilizados no Centro, além da reforma e readequação das alas do HU que receberão o novo serviço – as obras de adequação dos espaços foram iniciadas na última semana.

A criação de um Centro em Hematologia no HU responde a um problema antigo na saúde pública dos Campos Gerais: pacientes que precisam de diagnóstico e tratamento precisam viajar para Curitiba à procura de vagas. Diretor do HU-UEPG por sete anos e atualmente vice-reitor da Instituição, o professor Everson Krum destacou a importância do avanço.

Everson estudou hematologia no doutorado e lembrou que a criação do Centro é um avanço importante para o HU e para a região. “Essa é uma melhoria importantíssima para o atendimento prestado à comunidade, já que atualmente não há este serviço pelo SUS [Sistema Único de Saúde] em nenhum hospital ou clínica. Hoje os pacientes têm que ir para Curitiba para receberem tratamento sendo que Ponta Grossa possui equipes especializadas” destacou o vice-reitor.

O novo Centro terá inicialmente 10 leitos para internamento, sete cadeiras para infusão de quimioterapia, consultório de hematologista, farmácia para manipulação de quimioterápicos e laboratório especializado em diagnóstico e pesquisa hematológica, além de adequações na agência transfusional para aférese. “Essa é uma conquista para a cidade e região, com reflexos no atendimento público e no ensino para os cursos da área da Saúde da UEPG”, lembra o professor Everson.

O secretário de Saúde do Governo do Paraná, Antônio Carlos Nardi, afirmou que este é um aporte do Governo do Estado “ para qualificar ainda mais a assistência médica na região”. “O serviço de hematologia não está disponível nos Campos Gerais e com as adequações realizadas no HU da UEPG as pessoas que precisam desse tipo de tratamento não precisarão mais sair da região”, disse.

Médico avalia melhora no tratamento

Professor do Curso de Medicina na UEPG, o médico José Koehler é o profissional responsável por atender os pacientes que tratam doenças do campo na Hematologia no Hospital Universitário. Koehler lembra que a efetivação do Centro trará efeitos consideráveis para as pessoas que sofrem com doenças do tipo. “Poder tratar um paciente aqui, acompanhado de profissionais que são capacitados para isso, é um avanço substancial para o atendimento que prestamos”, avalia o médico.

“Grande sonho”, diz professora da UEPG

Mariane de Faria Moss fez graduação na UEPG e hoje é professora do Curso de Farmácia da instituição – ela será a chefe do laboratório de Hematologia e Citromenia de Fluxo do Centro instalado no HU. De acordo com Mariane, esse será um modelo de laboratório para a região em diagnóstico de pesquisa. “Isso não existe aqui na região e, na verdade, é a conquista de um grande sonho desde que fui acadêmica”, conta a professora.

A docente lembra que a região tem uma deficiência histórica neste tipo de tratamento. “Ter um Centro como este aqui no HU é um pré-requisito para salvar vidas em onco hematologia. Não é só um trabalho, não é só um laboratório, estamos cumprindo um chamado para fazer isso pela região”, explica Mariane.

Avanço aumentará oferta de tratamento na região

Assim como Mariane, Bruno Ribeiro Cruz foi aluno do Curso de Farmácia da UEPG e, também como a colega docente, fez doutorado no campo da Hematologia e hoje leciona na instituição. Ribeiro lembra que ele e Mariane estudaram o tema em outras universidades e voltaram para “implementar isso aqui na UEPG”. “Esse tipo de Centro é essencial para o diagnóstico e acompanhamento de qualquer doença”, afirmou o professor do curso de Farmácia e chefe do futuro Laboratório em Genética e Diagnóstico Molecular.

Bruno lembra que atualmente esse tipo de diagnóstico sempre é encaminhado para outras cidades. “Cada momento que se aguarda é um dia a menos de tratamento e chance de cura do paciente também acaba diminuindo. Com essa estrutura aqui no HU, vamos acabar conseguindo melhorar e muito esse cenário”, destaca Ribeiro.

Centro trará avanço para o ensino e pesquisa

Carolina Bührer Ferreira é professora do Curso de Farmácia e vai coordenar o serviço de Farmácia Oncológica do Centro. A docente lembra que o tratamento de hematologia requer um preparo especial dos medicamentos quimioterápicos. “Isso requer uma estrutura cara fruto de um investimento significativo. O próprio manuseio destes medicamentos é feito em um local específico”, conta a professora.

Fonte: SETI-PR

Próximos Eventos