Giro nos Estados

Há um mês, 60 mil alunos das federais de PE estão sem aula

Professores da UFPE têm nova reunião na próxima quinta-feira (21).
Calendário está prejudicado também na UFRPE e na Univasf.

Os professores das universidades federais de todo o Brasil completaram um mês de paralisação das atividades neste domingo (17). Em Pernambuco, mais de 60 mil estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) estão com o calendário prejudicado.

De acordo com o professor José Luiz Simões, vice-presidente da Associação de docentes da UFPE (Adufepe), a categoria está incomodada com o prolongamento da greve. “Ontem, recebi mensagens de um aluno que iria se formar este ano, mas está preocupado em saber se a data da colação de grau será mantida. Isso nos deixa com o coração apertado. A greve já está comprometendo os estudos dos universitários e o calendário escolar”, aponta.

Na terça-feira (19), o Governo Federal apresentará aos professores e servidores uma proposta de renovação do plano de carreira e de aumento dos salários em reunião de negociação. A proposta será avaliada pelos professores da UFPE na quinta-feira (21), às 10h, em reunião que pode ser decisiva. “Se os docentes decidirem que é uma boa proposta, que atende às nossas necessidades, vamos interromper a greve de imediato e retomamos as aulas na próxima semana”, afirmou o vice-presidente da Adufepe.

Na quarta-feira (20), às 15h, os professores da UFRPE também vão se reunir para avaliar a proposta do Ministério da Educação, mas não acreditam que o encontro vá definir os rumos da greve. “Nunca se chega a um acordo na primeira reunião, é a primeira posição do Governo que recebemos. Estamos ansiosos de que seja uma proposta boa, para que não seja preciso manter a greve”, pondera Cícero Monteiro, presidente da Associação dos docentes da UFRPE (Aduferpe). Na Universidade Federal Rural, a greve teve adesão de 100% dos servidores, inclusive do Hospital Veterinário.

Os professores da Univasf têm reunião agendada para quinta-feira, às 9h. O presidente do sindicato dos professores, Fernando Souto, também não acredita no fim da paralisação. “A nossa expectativa para a reunião é discutir o que eles têm para oferecer. Mas não acreditamos, de jeito nenhum, que seja uma proposta boa o suficiente para determinar o fim da greve”, conclui.

A UFPE tem, atualmente, 28.688 alunos na graduação, 2.750 no mestrado acadêmico, 370 no mestrado prático e 1.600 no doutorado. A UFRPE tem aproximadamente 15 mil estudantes, enquanto a Univasf conta com quase 5 mil alunos matriculados. Ao todo, 54 instituições de todo o país estão com as atividades totalmente ou parcialmente paralisadas.

Reivindicações
A categoria reivindica carreira única com incorporação das gratificações em 13 níveis remuneratórios. Também pedem variação de 5% entre níveis a partir do piso para regime de 20 horas correspondente ao salário mínimo do Dieese (atualmente calculado em R$ 2.329,35). Os percentuais de acréscimo variam de acordo com a titulação e o regime de trabalho de cada servidor.

Fonte: G1

Próximos Eventos