Giro nos Estados

Governo do MT disponibiliza R$ 5,6 milhões para empresas inovadoras

A Fundação de Amparo à Pesquisa de Mato Grosso (Fapemat) em parceria com o Fundo Nacional de Incentivo à Pesquisa (Finep) lançaram o edital da chamada pública do projeto Tecnova disponibilizando R$ 5,6 milhões (não reembolsáveis) para as empresas que queriam investir em produtos e processos inovadores.

Podem se candidatar micros e pequenas empresas que tenham faturado até R$ 3,6 milhões em 2012. As empresas têm até 28 de março para proporem seus projetos. O resultado será divulgado em 30 de abril e a contratação das propostas selecionadas será de 1º de agosto a 28 de novembro de 2014.

As propostas serão avaliadas por pesquisadores fora de Mato Grosso garantindo isonomia na escolha. Eles vão avaliar a viabilidade técnica da proposta se o produto é novo no mercado (dentro do país) e o processo implantado.

Para cada projeto, o mínimo a ser liberado é de R$ 180 mil e o máximo de R$ 450 mil. “O governo não espera receber esse investimento de volta, mas que o produto ou processo seja acabado e colocado no mercado gerando mais inovação ao país”, explicou o presidente da Fapemat, Flávio Teles de Carvalho.

Conforme o edital os projetos devem ser inseridos dentro das áreas consideradas prioritárias para o Governo Federal e o Governo do Estado, que envolvam além da inovação, risco tecnológico associado a oportunidades de mercado.

No grupo estão inseridas as áreas de Tecnologias da Informação e Comunicação – TICs, Petróleo e Gás, Energias alternativas, Setor alimentício, Metal/Mecânica, Setor Químico, Setor têxtil – confecção, Setor de Reaproveitamento de Resíduos urbanos, rurais e industriais.

Conforme o presidente da Fapemat, o governo vai acompanhar o desenvolvimento dos projetos até a comercialização no mercado.

Universidades e empresas

No ano passado das 39 propostas de edital do Pappe (Programa de Apoio à Pesquisa em Empresas), antecessor ao Tecnova, apenas 19 foram selecionadas. Dos R$ 9 milhões solicitados, apenas R$ 3,7 milhões foram liberados.

Um dos principais entraves é a falta de qualidade dos projetos. As empresas se esqueceram de colocar os balancetes comprovando que seja micro e pequena, não explicou bem o projeto, dentre outros erros.

Para evitar que isso se repita, as Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) vão assinar um termo de cooperação com a Fapemat para colocar pesquisadores à disposição das empresas ajudando nesse ‘meio de campo’ com a solicitação dos projetos em oito pólos do Estado.

“O Estado esta sendo o intermediador dessa relação para dar oportunidades para que as empresas possam ter projetos de qualidade e possam acessar o recurso disponível”, explicou o secretário de Ciência e Tecnologia de Mato Grosso, Rafael Bastos.

Mais informações no site www.fapemat.mt.gov.br

Fonte: SECITEC-MT

Próximos Eventos