+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Governo do Estado contribui para a formação de mão de obra qualificada em Sergipe

O apoio do Governo do Estado ao sistema de ciência, tecnologia e inovação, especificamente no que diz respeito à oferta de bolsas de pesquisa pela Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec), tem contribuído de forma determinante para o aumento no número de cursos de mestrado e doutorado, observado nos últimos oito anos em Sergipe. Uma prova disso está nos números apresentados pela Universidade Federal de Sergipe e Universidade Tiradentes, as duas únicas instituições de ensino superior do Estado que oferecem cursos de pós-graduação stricto sensu. Juntas elas contabilizaram até o primeiro semestre deste ano, 898 alunos matriculados em 42 cursos de mestrado e outros 245 estudantes inscritos em 13 cursos de doutorado.

Diante dos números disponibilizados pelas universidades percebe-se o crescimento volumoso no número de alunos matriculados, que no mestrado saltou de 187, em 2007, para 898, em 2014, representando um crescimento de aproximadamente 380%, em apenas sete anos. Já o número de alunos matriculados nos cursos de doutorado passou de 16, em 2007, para 245 estudantes em 2014, conforme demonstra o gráfico abaixo, representando um crescimento ainda maior, de 1.431,25%.

As duas instituições de ensino superior apresentaram uma evolução considerável no mestrado, quanto no doutorado. A oferta dos cursos de mestrado saltou para 292% no período analisado, enquanto a dos cursos de doutorado cresceu aproximadamente 367%, entre o período de 2007 a 2014. A Universidade Tiradentes disponibiliza cinco mestrados e quatro cursos de doutorado. Já a Universidade Federal de Sergipe oferta 47 mestrados e 14 cursos de doutorado nas mais diversas áreas do saber.

Este crescimento dos cursos de mestrado e doutorado nas universidades sergipanas contou e conta com o forte apoio do Governo do Estado, através dos programas da Fapitec/SE, com a abertura de editais, projetos e bolsas ativas que consolidam a formação de recursos humanos, a difusão e popularização científica, a pesquisa científica e tecnológica e a pesquisa para a inovação. Só nos últimos anos foram 40 editais, 270 projetos e quase 400 bolsas para a atração de pesquisadores, com investimentos superiores a R$ 50 milhões.

Para o secretário Saumíneo Nascimento, do Desenvolvimento Econômico e da Ciência e Tecnologia (Sedetec). “Essa evolução além de contribuir para a formação de mão de obra qualificada localmente possibilita a migração de estudantes de outras partes do Brasil e do mundo e mais ainda, possibilita que na sua própria terra os sergipanos possam chegar aos mais elevados níveis de formação”, destacou ao observar que no passado os sergipanos tinham que migrar para Rio de Janeiro e São Paulo, principalmente, a fim de fazerem seu doutoramento. “Hoje isso não é mais necessário. Aqui mesmo eles irão encontrar, em nível de excelência e com elevados conceitos na Capes e CNPq, cursos que possibilitarão novas oportunidades”, disse ao analisar que esta formação atenderá demandas do crescimento do ensino superior sergipano.

De acordo com a diretora de Pesquisa e Extensão da Universidade Tiradentes (Unit), Ester Vilas-Bôas, há nove anos a instituição investe na implantação de cursos stricto sensu. “Nos últimos quatro anos aprovamos dois mestrados e três doutorados, pelo Capes, o que demonstra a confiança que a comunidade acadêmica dispensa em relação à Unit e o que só foi possível graças ao apoio do governo do Estado, através da Fapitec, do SergipeTec e de toda a política institucional desenvolvida pela Sedetec”, afirmou, observando que o aumento na formação de mestres e doutores em Sergipe vai possibilitar também uma evolução do  desenvolvimento das áreas de Ciência, Tecnologia e Inovação, contribuindo para a formação de mão de obra especializada e qualificada no Estado.   

Graduações

No Brasil, o mestrado é o primeiro nível de um curso de pós-graduação stricto sensu, que tem como objetivo, além de possibilitar uma formação mais profunda, preparar professores para lecionar em nível superior, seja em faculdades ou nas universidades e promover atividades de pesquisa. Um curso de pós-graduação se destina a formar pesquisadores em áreas específicas do conhecimento. O mestrado pode ser acadêmico ou profissional.

Já o grau acadêmico de doutor é o mais elevado dos sistemas de ensino superior, que visa comprovar a capacidade do seu titular para desenvolver investigação num determinado campo da ciência, atribuído por uma universidade ou outro estabelecimento de ensino superior autorizado. Em regra isso se dá após a defesa de uma tese, ato que pode ser antecedido pela frequência de um curso de Doutorado ou Doutoramento.

Fonte: SEDETEC-SE

Próximos Eventos