+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Governo discute implantação e cursos técnicos do IEMA com população de São Luís

A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) iniciou nesta terça-feira (24), por São Luís, uma série de audiências públicas que acontecerão até a próxima sexta-feira (27) em três municípios maranhenses receberão unidades do Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnológico do Maranhão (Iema) já em fevereiro do próximo ano. O objetivo do espaço é apresentar a proposta pedagógica e de gestão do Instituto, e dialogar sobre os cursos técnicos que serão ofertados integrados ao ensino médio e em tempo integral. As audiências, que acontecerá também em Bacabeira, dia 25, e Pindaré Mirim, dia 27; têm como base o preceito da democracia e participação popular, que têm pautado as ações do governo Flávio Dino.

“O governador pediu que a gente organizasse a implantação dos Iemas, que já foi criado por lei e está autorizado a oferecer cursos técnicos de nível médio e também curso superior, na condição de tecnólogos, e ainda outras modalidade como Cursos de Formação Inicial e Continuada, os FICs, e cursos à distância. O Iema está preparado e estamos aqui para ouvir a população, saber quais são suas expectativas em relação a este projeto”, anunciou o secretário Bira do Pindaré ao iniciar a audiência realizada no plenarinho da Assembleia Legislativa do Maranhão.

Bira do Pindaré destacou que a ciência e a tecnologia neste governo não é um tema de segundo plano, “é uma prioridade”. “O público principal da ciência e tecnologia é a juventude e estamos oferecendo uma perspectiva de vida diferenciada para esses jovens, além de ser um fator estratégico para o desenvolvimento. Nenhuma sociedade, no mundo, conseguiu se desenvolver com plenitude sem um forte investimento em conhecimento, em ciência e tecnologia e fazendo com quer isso seja compartilhado com amplos setores da sociedade”, observou o secretário. “E isso é o que pode salvar a vida de muita gente é o que pode tirar os jovens das drogas, da violência”, completou.

Em seu pronunciamento o secretário destacou que o Estado não tinha uma instituição que ofertasse a população cursos como o que estão sendo propostos agora com a implantação do Iema. “A gente encontrou uma estrutura chamada Univima, que era a Universidade Virtual do Maranhão, mas que não formava ninguém. Então, criamos o Instituto Estadual de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão, que vem com uma formatação diferente para implantar a rede de educação tecnológica, em tempo integral, que vai atender, até 2018, pelo menos 23 municípios. Serão três na grande Ilha de São Luís, contemplando capital, Paço do Lumiar e Ribamar, e outras 20 no interior do Maranhão”, explicou o secretário.

A iniciativa do governo de oferecer educação técnica profissional qualificada e gratuita foi elogiada por pais e alunos da rede pública e privada, professores e dirigentes de escolas municipais, estaduais e particulares, representantes de entidades da sociedade civil organizada, de movimentos sociais, associações, sindicatos e lideranças comunitárias que participaram da audiência. Também foram convidados também a contribuir na implantação dos institutos órgãos públicos a exemplo do Ministério Público e Defensoria, prefeitos, a Câmara de Vereadores, deputados e a sociedade em geral.

O diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), Alex Oliveira, destacou a ligação hoje que o modelo do Iema tem com a pesquisa e a capacidade de transformação da juventude, que vai ter uma formação mais tecnológica, mais profissional e que, segundo ele, certamente trará frutos extraordinários para o desenvolvimento científico no Maranhão. “Queremos produzindo um Estado mais justo, mais solidário e com espaços para todas e todos”, frisou.

Durante a Audiência, Alex Oliveira anunciou que em 2016 a fundação lançará um edital, resultado de um empenho conjunto com as secretarias de Ciência e Tecnologia e da Juventude, com a oferta de 400 bolsas de pesquisas para estudantes de ensino fundamental e médio. “Com certeza esse edital vai contribuir para a redução da evasão escolar”, destacou o presidente acrescentando que os professores, coordenadores dos projetos, serão contemplados com a oferta de 100 bolsas.

A secretária da Juventude, Tatiana Pereira, frisou a oportunidade que o Iema vai gerar para a juventude. “O Iema vai deixar uma marca histórica não somente na gestão, mas na vida de cada um que participa desse projeto. Eu acredito que o caminho é esse, desafiador, mas que será uma grande realidade”, concluiu.

Fonte: SECTI-MA

Próximos Eventos