Giro nos Estados

Goiás traça metas para desenvolvimento sustentável na Conferência Estadual de Ciência e Tecnologia

Com palestras de abertura do secretário Joel Sant’Anna, representando também o Fórum do Conselho Nacional de Secretários de CT&I (Consecti), e do presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa, Leonardo Guedes, Goiás realizou nesta terça-feira (16/3) a Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação para traçar as propostas para a IV Conferência Regional que acontecerá de 22 a 23 próximos em Cuiabá (MT). A Conferência Estadual de CT&I foi promovida pela Secretaria de Ciência e Tecnologia, tendo a Universidade Federal de Goiás como anfitriã do encontro que reuniu pesquisadores e representantes de instituições de ensino, pesquisa e setor produtivo.

A Conferência aglutinou participações de mais de 200 pessoas para debater e sistematizar propostas tendo como eixo temático principal “Política de Estado para Ciência, Tecnologia e Inovação com vista ao Desenvolvimento Sustentável”, o mesmo da conferência nacional que acontecerá em maio, em Brasília.

Composta por várias mesas redondas, a Conferência Estadual deliberou sobre as principais propostas que Goiás levará para o grande debate em Mato Grosso. Todas as discussões giram em torno do desenvolvimento sustentável e a preservação do cerrado.  O reitor da UFG, Edward Madureira, ficou responsável pela coordenação dos trabalhos da conferência.

Seguindo a sistemática proposta nacionalmente, a conferência norteia suas discussões segundo as linhas do Plano de Ação em Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional: I-Sistema Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação; II – Inovação na Sociedade e nas Empresas; III – Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em Áreas Estratégicas; IV – Inovação,Tecnologia para o Desenvolvimento Social. Ao apresentar o Sistema Nacional de CT&I e os principais instrumentos de investimento no setor, o secretário ressaltou que a última conferência realizada em Goiás aconteceu em 2005 e que nesta terceira conferência o Estado tem ainda muitos desafios, mas principalmente tem o que comemorar. “Todas as metas traçadas naquela conferência foram concretizadas: criação e consolidação da FAPEG, que tem hoje 363 redes de pesquisa em funcionamento e vários editais publicados; criação da Lei de Inovação no Estado de Goiás; implantação da Lei Goiana de Bolsas e Fomento para mestres e doutores”, assinalou Joel Sant’Anna. Mencionou ainda que, em 2009, o Governo de Goiás investiu mais em ciência e tecnologia do que foi feito nos últimos 14 anos. “Isso é uma demonstração inequívoca de que ciência e tecnologia fazem parte da estratégia de desenvolvimento de Goiás. Temos hoje, efetivamente, uma política de Estado para o setor”, sintetizou o secretário.

O presidente da FAPEG, Leonardo Guedes, apresentou a Lei de Inovação do Estado de Goiás. Segundo ele, nos últimos três anos, Goiás conseguiu definir uma política de Estado de incentivo à pesquisa nas empresas, aproximando as universidades do setor produtivo.

No período da tarde aconteceram duas mesas redondas, dentro dos eixos temáticos definidos, com destaque para o impacto da Lei de Inovação Federal sobre as empresas de tecnologia; fortalecimento da microempresa frente às inovações tecnológicas; incubadoras de empresas e parques tecnológicos; bioma Cerrado, expansão da cana-de-açúcar e demandas ambientais; o papel das instituições educacionais na produção científica e tecnológica.

Com base nas discussões e diagnósticos de cada área, a Conferência vai formular documento com as propostas de Goiás. A Coordenadoria Geral da Conferência em Goiás, sob responsabilidade da Secretaria de Ciência e Tecnologia, levará as propostas formuladas neste encontro para a IV Conferência Regional.

Fonte: Reny Cruvinel / Secretaria de Ciência e Tecnologia de Goiás

Próximos Eventos