+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins avalia pesquisadores que desenvolvem estudos científicos na área da saúde no sul do Estado

Com o objetivo de apoiar as atividades de pesquisa que visam o desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação da área de saúde no Estado, o Governo do Tocantins, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Tocantins (Fapt), realiza o acompanhamento técnico dos projetos tocantinenses que foram financiados pelo Programa Pesquisa para o SUS (PPSUS) do Ministério da Saúde (MS). Como parte do cronograma de ação, várias visitas técnicas estão em andamento. Na região sul do Estado o trabalho ocorreu com os pesquisadores da Universidade Federal do Tocantins (UFT), câmpus Gurupi.

A fim de conhecer o ambiente de trabalho dos pesquisadores da região, a assessora técnica de Programas e Projetos de Saúde da Fapt, Adriana Arruda, realizou visitas técnicas nos dias 3 e 4 de dezembro. A ação iniciou no Laboratório de Biomoléculas e Vacinas, onde ocorre a pesquisa intitulada Análises da susceptibilidade a antibióticos de Bactérias Multirresistentes (MDR) isolada da Unidade Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional (HRG) do Estado. O estudo é liderado pelo professor doutor em Biotecnologia, Alex Sander Carangussu da UFT – Gurupi.

A mestranda de Biotecnologia da UFT câmpus Gurupi, Wadylla Rodrigues, é integrante do grupo de pesquisadores que fazem parte do PPSUS. Ela revelou a alegria e a riqueza de conhecimento que o estudo tem lhe proporcionado. “É gratificante fazer parte desse projeto contemplado pelo PPSUS, pois nos desperta a contribuir de alguma forma com a melhoria da saúde pública do Tocantins. É muito bom estudar num local que possibilita a estrutura necessária”, ressaltou.

Também foi visitado o Laboratório de Biologia Molecular onde é realizado o estudo Desenvolvimento de formulações de inseticidas bioracionais para controle de mosquitos vetores de arbovirose do Estado. O projeto é coordenado pelo professor doutor em Biologia Molecular e Mestre em Entomologia Agrícola, o engenheiro agrônomo, Raimundo Wagner que na ocasião explicou com detalhes a importância social do estudo para o combate à dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus e ainda citou a necessidade de parceria público privada para que o estudo não fique apenas na universidade e beneficie a sociedade.

A visita da Fapt se estendeu ainda ao projeto Programa de Residência médica em saúde da família e comunidade que promove melhoria na atenção básica da saúde. É coordenado pelo professor doutor em Ensino de Biociências e Saúde, Neilton Araújo de Oliveira e executado pela mestre em Ciências da Saúde, Sávia Denise Herrera. A ação está sendo realizado com o apoio de bolsistas do curso de medicina da Universidade de Gurupi (Unirg).

“O trabalho de visitas aos locais de desenvolvimento dos projetos foi muito produtivo.  Tivemos a oportunidade de conhecer o ambiente de estudo e a equipe de trabalho dos pesquisadores, composta por graduandos, mestrandos e doutorandos nas mais diversas áreas do conhecimento. Foi perceptível a desenvoltura e expertise dos mesmos em prol da ciência, tecnologia e inovação do Tocantins. Além disso, também observamos que os estudos têm grandes perspectivas promissoras no que tange a possibilidade de ações integradas entre entidades públicas e privadas”, explicou Adriana Arruda da Fapt.

Os estudos financiados pelo PPSUS que estão sendo desenvolvidos no Estado são considerados pesquisas prioritárias para a gestão descentralizada do Sistema Único de Saúde (SUS). Os projetos científicos têm prazo de dois anos e alguns estão prestes a serem concluídos. A meta dos pesquisadores é que o resultado de cada pesquisa científica se transforme em política pública. Mas para que isso ocorra, é necessário a integração entre academia e o legislativo estadual com a liberação de emendas parlamentares para que esses estudos saiam da Universidade e beneficiem a sociedade em geral.

Fonte: Notícias do Governo do Tocantins

Próximos Eventos