+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Fapitec/SE contribui para o avanço da pós-graduação em Sergipe

A pós-graduação em Sergipe vem crescendo a cada ano com a contribuição da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (Fapitec/SE), através dos programas para fortalecimento e consolidação dos cursos de pós-graduação no Estado. A Fundação tem investido, através do Governo do Estado, na formação científica desde a educação básica ao doutorado. Na linha estratégica de Formação de Recursos Humanos, a Fundação firmou três acordos de Cooperação Técnica com agências nacionais de pesquisa.

No período de 2013 a 2014, foram ofertadas 508 bolsas de mestrado e doutorado. A estudante de mestrado da Universidade Tiradentes (Unit), Clara Regina Pereira, destaca que o investimento em bolsas de mestrado e doutorado é importante para  que os estudantes possam se dedicar exclusivamente às pesquisas.

“A bolsa fornecida pela Fapitec/SE foi mais um incentivo para continuar o meu curso de mestrado. Eu era bancária, e saí do emprego para estudar. No banco, eu já havia chegado à gerência, e tinha um salário razoável, mas a questão é que eu não me sentia realizada com a rotina e com o trabalho em si. Com a possibilidade de fazer mestrado, eu vi uma oportunidade de crescimento intelectual, e a bolsa oferecida pela Fapitec me motivou ainda mais, pois com ela eu passei a suprir os gastos com transporte e materiais de estudo”.

Pós-graduação

O presidente da Fapitec/SE, José Ricardo Santana, destaca a importância das bolsas ofertadas pela Fundação para a formação de recursos humanos. “Toda essa base de formação científica seja da educação básica ou na graduação são ações que precisam ser permanentes. Desde 2008, a Fundação tem buscado trabalhar com a formação de recursos humanos. O programa de bolsas dá estabilidade aos cursos e possibilita a atração de bons alunos”.

José Ricardo explica que a Fundação também tem investido em programas para fortalecimento da pós-graduação no Estado “A ideia é consolidar no estado programas de pós-graduação para que esses programas desenvolvam em suas linhas de pesquisa temas que estão na fronteira do conhecimento e temas de interesse do Estado, sejam políticas públicas ou programas de melhoria tecnológica e de inovação dos processos”.

Ainda segundo o presidente da Fapitec/SE, já houve um grande avanço da pós-graduação no Estado. “As bolsas de mestrado e doutorado são ofertadas com recursos do Governo do Estado, mas além desse papel, reconhecemos o grande avanço da pós-graduação de 2007 até hoje. Havia menos de 10 cursos de pós-graduação quando iniciamos e observamos um crescimento considerável. Hoje já estamos com mais de 60 cursos de pós-graduação, incluindo formação de mestrado e doutorado”.

A diretora de Pesquisa e Extensão da Unit, professora Ester Fraga Vilas-Bôas, lembra que a pós-graduação strictus sensona Unit é recém-nascida. Segundo Ester Fraga Vilas-Bôas, com os programas implantados pela Fundação houve um avanço de 70% da pós-graduação na Unit.

“O primeiro curso que aprovamos foi em 2005 e chegamos a 2014 com cinco programas de pós-graduação: Engenharia de Processos, Saúde e Ambiente, Saúde e Educação, Biotecnologia Industrial e Direitos Humanos. Desses, nós aprovamos em 2013 o curso de Direitos Humanos, aumentamos a nota de três programas para o conceito quatro e ao mesmo tempo aprovamos os cursos de doutorado nesses três cursos. É um avanço de 70%, pois saímos de 2010 com três cursos e hoje temos 10 cursos”, afirma.

O pró-reitor de Pesquisa e Extensão da UFS, Marcos Eugênio, afirma que o sistema de pós-graduação da UFS cresceu muito. De 2004 para 2014 houve um crescimento de 9 cursos para 54 cursos. Marcos Eugênio aponta que o Programa de Estímulo ao Aumento da Efetividade dos Programas de Pós- Graduação em Sergipe (Proef) e o Programa de Estímulo à Mobilidade e ao Aumento da Cooperação Acadêmica da Pós-Graduação em Sergipe (Promob), ofertados pela Fapitec/SE, em parceria com a CAPES, contribuíram para esse crescimento no Estado.

“O Promob e Proef são editais muito importantes, pois permitem uma complementação de recursos financeiros para os programas. Ambos os editais permitem enviar professores e alunos para congressos. O Promob é um programa de muito impacto, pois permite que programas em fase de crescimento consigam manter cooperações com programas já consolidados”, pontuou Marcos Eugênio.

Desafios

O presidente da Fapitec/SE, José Ricardo de Santana, afirma que o grande desafio hoje da Fundação é manter os programas de consolidação da pós-graduação e avançar com os acordos de cooperação internacional. “Nosso grande desafio é manter esses programas e avançar no sentido de internacionalização da ciência. Estamos acompanhando algumas fundações e buscando formar convênios. Temos feito isso e esperamos ter boas notícias em breve”, destacou.

Fonte: Fapitec_SE

Próximos Eventos