+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

FAPERO investiu R$ 23 milhões em ciência e tecnologia em dois anos

Em dois anos (2013-2015), a Fundação Rondônia de Amparo ao Desenvolvimento das Ações Científicas e Tecnológicas e à Pesquisa do Estado de Rondônia (Fapero) lançou 15 chamadas, totalizando R$ 22,9 milhões, conforme o presidente, Francisco Elder Souza de Oliveira.

Relatório concluído na última semana revela que 82% das propostas foram para apoio financeiro ao Programa Primeiros Projetos são oriundas da Universidade Federal de Rondônia (Unir) e Fundação Oswaldo Cruz RO; e 69% são do interior do estado, nas áreas de ciências biológicas e agrárias.

“Nosso trabalho beneficia um estado carente de capital humano especializado, mestres, doutores, densas redes de ensino, pesquisa, patentes e empresas de potencial inovador”, disse Elder de Oliveira.

A Fapero é vinculada à Secretaria Estadual de Planejamento, Orçamento e Gestão (Sepog), e administrada por um Conselho Curador e Direção-Executiva.

Prevista desde 1981, somente em 2011 ela foi tirada do papel pelo governador Confúcio Moura, que assinou a Lei nº 2.528/11. De lá para cá, seu leque de conquistas avançou: em 2013, a chamada PPSUS (Fapero, Secretaria Estadual de Saúde, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) deu prioridade a doenças infecto-parasitárias, vigilância em saúde com base territorial local, integralidade da atenção, mortalidade e morbidade materna e infantil.

Apoiado pela Fapero, o Fórum de Estados Emergentes da Amazônia busca diminuir assimetrias regionais e intrarregionais que restringem o desenvolvimento da ciência e tecnologia na região. Documento assinado pelos governadores Confúcio Moura (Rondônia) e Tião Viana (Acre) abriu discussões ministeriais, com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Conselho Nacional de Secretários para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação (Consecti)  e Conselho Nacional das Associações de Pais (Confap).

O relatório do biênio 2013-15 também destaca o Programa de Bolsas Pós-Doutorado, que visa apoiar a formação de recursos humanos por meio da concessão de bolsas para profissionais com titulação de doutor e fortalecer e consolidar programas de pós-graduação stricto sensu em institutos ou centros de ciência e tecnologia.  “É o estímulo à produção científica, criação e registro de patentes para produtos inovadores”, assinalou Elder de Oliveira.

“Fui à Câmara dos Deputados, em Brasília, apresentar a situação da ciência, tecnologia e inovação em estados emergentes amazônicos, e aqui promovemos um seminário com a participação de pesquisadores de instituições públicas, buscando conhecer e integrar a ciência no estado”, comentou o presidente.

VISIBILIDADE E AÇÃO

Em agosto, em parceria com o Instituto Federal de Rondônia (Ifro) e do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), a fundação promoveu a 4ª Mostra de Ciência, Tecnologia e Inovação, evento da Semana Nacional de C&T.

Com o SIGFapero (sistema de gerenciamento), a fundação possibilitou chamadas em ambiente virtual, permitindo submissões online de propostas, consultas, acompanhamentos, relatórios, cadastros de pesquisadores, prestação de contas e outras facilidades.

Pela primeira vez em Rondônia, pesquisadores tiveram a oportunidade de executar projetos pelo Programa de Apoio à Pesquisa (PAP Universal) para Ciência e Tecnologia. Ao mesmo tempo, um representante da região Norte brasileira toma assento no Conselho Nacional das Fundações de Amparo à Pesquisa. “Isso nos deu liderança regional”, orgulha-se.

Segundo Elder, foi constatada a necessidade de mais investimento de recursos financeiros para primeiros projetos, coordenados por recém-doutores em Rondônia. Isso permite criar novos grupos de pesquisa e consolidar diferentes áreas do conhecimento.

A fundação apoia com R$ 700 mil a Secretaria Estadual de Agricultura (Seagri) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) no funcionamento do Programa Especial de Estruturação do Laboratório de Qualidade do Leite.

A chamada do Programa di Iniciação Júnior concede bolsas a alunos do 6º ano do Ensino Fundamental à 2ª série do Ensino Médio ou de Educação Profissional. A Fapero apoia também a área jurídica, programando para os próximos quatro anos a formação de 25 doutores em ciências políticas na Associação de Assistência à Cultura na Amazônia Moacyr Grechi.

Fonte: SECOM-RO

Próximos Eventos