Giro nos Estados

Falta de documentação impede concessão de bolsas pela Fundação Araucária

Quase 20% das propostas dos pesquisadores que solicitam bolsas à Fundação Araucária de Apoio à Pesquisa do Paraná, vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, apresentam problemas na documentação. Entre as principais falhas estão currículo lattes incompleto e validação pelo pró-reitor de pesquisa da instituição de ensino.

A diretora científica da Fundação Araucária, Janesca Alban Roman, explica que todos os itens divulgados em edital são obrigatórios e podem tornar um projeto inelegível. “Por falta de atenção ao edital, que contém todos os itens para que o pesquisador inscreva seu projeto, propostas que poderiam trazer bons resultados para a ciência e tecnologia do Estado não são avaliadas”.

Desde 2001, os projetos são selecionados por editais ou chamadas, o que garante a total transparência do investimento público. A maior chamada é a destinada à Pesquisa Básica Aplicada, encerrada no início do mês com 1.353 projetos inscritos. Desses, cerca de 300 foram encaminhados ao setor responsável com algum problema de documentação.

DIVULGAÇÃO – Para diminuir esses números, a fundação, que antes só divulgava a lista das propostas aprovadas, passará a divulgar também as inelegíveis e o motivo. Antes o pesquisador precisava entrar com recurso para conseguir a informação.

“Para a aprovação de um projeto pela comissão avaliadora ele precisa ser elaborado com qualidade e consistência, além de ter sua viabilidade bem fundamentada”, destaca o presidente da Fundação Araucária, Paulo Brofman.

O Programa de Pesquisa Básica Aplicada é a maior chamada da Fundação Araucária porque abrange todas as áreas do conhecimento e contempla vários itens que podem ser financiados. São destinados a este programa R$ 8,75 milhões em recursos próprios. Com os recursos, é fortalecida a produção científica, tecnológica e de inovação.

Brofman lamenta que muitos projetos bons não são contemplados por falta de recursos. “Das 1.353 propostas submetidas a este edital, apenas 16% poderão ser aprovadas. No Paraná temos pesquisadores com potencial enorme, mas nossos recursos ainda estão muito aquém da demanda”. A fundação firma parcerias com instituições públicas, federais e estaduais, além de institutos e fundações interessadas em apoiar o desenvolvimento da ciência e tecnologia.

As propostas inscritas nesta chamada estão em fase de avaliação, o resultado deve ser divulgado em setembro.

Fonte: SETI-PR

Próximos Eventos