+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Estudante do Amazonas cria óculos de realidade virtual em fibra de carbono

O Amazonas é o primeiro estado brasileiro a desenvolver um óculos de realidade virtual em fibra de carbono. A iniciativa surgiu de um projeto de pesquisa do estudante da Escola Estadual Benjamin Magalhães Brandão, de Manaus (AM), Gabriel de Oliveira. Ele é o idealizador da inovação, chamada High Tech VR. O protótipo utiliza aparelhos smartphones para gerar cenários virtuais, com som e imagens em 360º.

“Identificamos que esse tipo de óculos não existia no Amazonas e decidimos produzir. Aplicamos a fibra de carbono, que é um material leve e extremamente resistente, para proporcionar, entre outros, segurança, principalmente às crianças”, disse o estudante.

Para utilizar o óculos de realidade virtual, o usuário precisa encaixar um aparelho celular no suporte universal para smartphones, escolher o cenário virtual no aplicativo do smartphone e dar início à ação. O suporte, feito com fibra de carbono, tem capacidade de encaixe para aparelhos de 4,3 a 6 polegadas.

De acordo com o estudante, o High Tech VR foi pensado para atuar nos segmentos de educação, negócios, trabalho, e entretenimento. “Eles [os óculos de realidade virtual] podem ser utilizados em diversas áreas. Na educação, o Hitch Tech VR pode ser usado nas aulas de Geografia, História, Biologia e de Ciências. Os óculos podem ser utilizados, ainda, para o tratamento de fobias e, até mesmo, nas aulas de medicina legal”, disse Gabriel de Oliveira.

O estudante pretende, até 2016, lançar o óculos de realidade virtual com cenários que remetam a pontos turísticos de Manaus. “Vamos melhorar o desenvolvimento do produto, nas questões de design e ergonomia. Depois, pretendemos trabalhar na elaboração de aplicativos de realidade virtual e também na produção de conteúdo.”

A ideia inovadora foi uma das 40 propostas aprovados no Programa Sinapse da Inovação, do governo do Amazonas, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), em parceria com a Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi). O objetivo é apoiar iniciativas de estudantes, pesquisadores, professores e profissionais dos diferentes setores do conhecimento e econômicos com recursos na ordem de R$ 50 mil para o desenvolvimento de negócios e produtos de sucesso.

Fonte: Agência Gestão CT&I

Próximos Eventos