Giro nos Estados

Em São Paulo, projeto põe alunos no papel de criadores de tecnologia

Projetos produzidos por alunos do ensino médio da rede pública de ensino de São Paulo foram apresentados hoje (16) no Startup in School, a maior maratona estudantil de programação de software do estado, evento voltado ao empreendedorismo tecnológico.

O Conselho Internacional para o Controle de Narcóticos diz que houve um aumento desproporcional dos casos de overdose de drogas e medicamentos entre as mulheres no mundo
Um dos projetos premiados auxilia idosos, verificando, por exemplo, data de validade dos remédios  – OMS/ONU News

Dois projetos foram premiados: o Doe-se, da Escola Técnica Philadelpho Gouvêa Netto, de São José do Rio Preto, e o ÉSaúde, da Escola Técnica Nelson Alves Vianna, de Tietê. O primeiro consiste em um aplicativo para agilizar os procedimentos para doação de sangue, com o intuito de ampliar o número de doadores. Já o ÉSaúde busca facilitar a vida dos idosos que fazem uso de remédios, acompanhando a data de validade e de entrega do medicamento.

Segundo a diretora-geral da empresa Ideias de Futuro, responsável pela metodologia do Startup in School, Jaciara Cruz, objetivo do programa é fortalecer a cultura empreendedora dos alunos e colocá-los no papel de criadores de tecnologia. “Eles estão muito acostumados a ser usuários de tecnologia, faz parte do dia a dia deles. O Startup in School faz eles pensarem como é criar uma solução, criar um aplicativo desses que eles usam o tempo inteiro.”

Jaciara destaca que o programa faz com que os alunos identifiquem problemas, entendam a necessidade das pessoas e criem uma solução adequada para a necessidade dos usuários. “Temos o objetivo de fortalecer a cultura e competências empreendedoras dos alunos, e colocá-los no papel de criadores de tecnologia.”

O programa contou com o apoio do Google e do Centro Paula Souza, que administra as escolas técnicas, e a participação de 1,5 mil alunos da rede pública.

Fonte: EBC

Próximos Eventos