+55 (61) 9 7400-2446

Giro nos Estados

Em curso ministrado pela AEB, professores do RN aprendem a estimular gosto pela ciência nos alunos

Evento_CLBI14.3.13_Adrovando_claro“É importante por que estamos vendo aqui na prática o conhecimento teórico que adquirimos na universidade, como o sensoriamento remoto e a astronomia, por exemplo”. Essa é a opinião do professor de Geografia, das Escolas Professor Zuza e Monsenhor José Landim, João Pedro da Silva, sobre o curso intitulado Escola do Espaço – Astronomia e Astronáutica, ministrado pela Agência Espacial Brasileira (AEB).  A Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Norte (FAPERN) participou do evento, através das palestras do pesquisador José Roberto: Guia do Céu de Hoje e Observação Celeste/Stellarium, ambas no dia 14/03.

Para o professor, que atua em Natal, o programa do curso vai incidir diretamente no conteúdo que ele vai ministrar aos seus alunos de 6º ano, nas duas escolas. “Esse ano nosso foco é no estudo da terra e do universo e é isso que estamos vendo aqui”, pontua. Tendo visto pela primeira vez no curso, aspectos da história da corrida espacial brasileira estão entre os temas que professor deverá abordar em sala de aula. Das duas escolas, participam também professores das disciplinas de matemática e ciências.
João Pedro informou que pretende, juntamente com os demais professores participantes, repassar os conhecimentos aos professores que fazem parte do quadro das suas escolas. “No momento em que estivermos trabalhando a confecção de foguetes, certamente haverá a participação dos professores de artes”, acredita.

Estimular nos alunos o gosto pela pesquisa e pela ciência para, no futuro, despertar vocações e colaborar para a formação de pesquisadores, técnicos e empreendedores brasileiros para a área espacial. Esse é um dos objetivos do Programa AEB Escola, informa o gerente Carlos Eduardo Quintanilha, que já organizou cursos no mesmo formato em Alcântara (MA) e Cuiabá (MT), além de três edições aqui no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Parnamirim.

Para Quintanilha, o CLBI tem como vantagem sobre os outros centros, a possibilidade dos professores presenciarem uma operação real de lançamento de foguetes, como ocorrido na tarde da terça (13). “Aqui eles aprendem como é o processo de lançamento de foguetes, que é a parte teórica comum do curso, mas também veem a operação acontecendo, a atividade real”, esclarece. Como resultados dos cursos, o gerente explica que é observado um aumento da participação nas Olimpíadas Brasileiras de Astronomia e Astronáutica (OBA!), nas cidades onde os cursos são realizados e seu entorno. Outro resultado observado é o aumento da solicitação de visitas pelas escolas aos centros espaciais.

Em sua 16ª edição, a OBA! está com inscrições abertas até 24 de março para alunos dos ensinos fundamental e médio de escolas públicas e particulares. As provas serão realizadas no dia 10 de maio nas próprias escolas. Todos os participantes recebem certificado. A missão principal é levar a maior quantidade de informações sobre astronomia e astronáutica, além de instigar o interesse dos jovens pelas ciências espaciais. Os professores interessados em inscrever seus alunos devem acessar o site www.oba.org.br

Durante as 40 horas de duração, ministradas em uma semana no CLBI, foram vistos temas como “satélites e plataformas espaciais”, “O Sistema Brasileiro de Coleta de Dados Ambientais” e “Microgravidade e Fisiologia Espacial”, entre outros. Para estimular especificamente a capacidade do professor em desenvolver atividades de divulgação científica, foram abordados a “Astronomia em sala de aula”, “Lançando foguetes com garrafas PET” e “Identificando alunos com altas habilidades”. O curso teve a participação de 73 professores das redes municipais de Natal, Nísia Floresta e Parnamirim e da rede estadual.

A Escola do Espaço contou com técnicos e pesquisadores das seguintes instituições: UFRN, IFRN, INPE, PUC-RS, Inter TV Cabugi, IAE/DCTA, UERJ e UNB, além da AEB Escola e do CLBI.

Fonte: FAPERN

Próximos Eventos