Giro nos Estados

Editora da UFRR lançou livro Diálogos Interdisciplinares na Pan-Amazônia

O presente livro é composto por textos inéditos, nas diversas áreas da ciência, cumprindo um papel social de divulgar as pesquisas para a comunidade acadêmica e não acadêmica. Nesse contexto, convém destacar que a Pan-Amazônia envolve os países que têm a floresta amazônica em seu território, estendendo-se, assim, entre Brasil, Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana Suriname e Guiana Francesa. Essa região ocupa o quinto lugar de superfície da América Latina, com 6,5 milhões de km2, e representa um quinto da disponibilidade de água doce do planeta. Atualmente vêm crescendo as discussões acerca dessa região, em suas diversas dimensões, configurando-se um debate nas universidades na busca de desenvolvimento e de uma integração regional mais contundente. O livro integra doze artigos que abordam aspectos socioeconômicos, ambientais e políticos inseridos nesse espaço, conforme resumidamente descrito a seguir:

Adriana Iop Bellintani e Américo Alves de Lyra Junior, com “Projeto Calha Norte: a defesa e o desenvolvimento regional da Amazônia”, fazem uma leitura histórica, ancorados na literatura estrangeira e nacional sobre o projeto Calha Norte, discutindo a defesa e o desenvolvimento regional da Amazônia brasileira ou Legal.

Heloisa Helena Corrêa da Silva, Ana Beatriz de Souza Cyrino, Elisene Lemes de Oliveira Santos, Geisiane Tavares Soares e Jurg Ulrich Suess Gasché apresentam o estudo intitulado “Questão ambiental, desenvolvimento sustentável, desigualdades sociais e proteção social na Pan-Amazônia”. Os autores debatem a problemática ambiental, de modo geral fazendo referência ao Brasil e à Pan-Amazônia, e colocam em evidência o tema Desenvolvimento Sustentável.

O texto “Mecanismos de cooperação energética entre Brasil e Venezuela”, de autoria de Andreza de Melo Lima e Marcelle Ivie da Costa Silva, discute como Chávez direcionou e fortaleceu a política externa da Venezuela a partir da riqueza energética, tornando esse período um marco para o país, com relação à integração e à cooperação energética, utilizando da estrutura e da implementação de diversas políticas nacionais.

Armando Nahmias, em “Eleição 2015 na Guiana: perspectivas para uma democracia étnica”, aborda historicamente as eleições na Guiana e questiona o processo democrático vivenciando pelos grupos políticos: afroguyanense e indoguyane.

Heloisa Helena Corrêa da Silva e Selomi Porto, com “Trabalho informal, cooperativismo e economia solidária: estudo exploratório em espaço fronteiriço da Pan-Amazônia”, analisam aspectos da Pan-Amazônia com foco na tríplice fronteira Brasil-Colômbia-Peru, considerando a situação de  trabalhadores vendedores de salgados.

O artigo “A Comissão da Amazônia na Câmara dos Deputados/BR ”, de Joani Silvana Capiberibe de Lyra, aborda  algumas transformações ocorridas na 54ª Legislatura, analisando, especialmente, os seus relatórios anuais. A autora constata  a mudança de um posicionamento mais preservacionista para uma orientação mais voltada à expansão agrícola da Amazônia e à revisão da demarcação das terras indígenas na Região.

“A evolução dos direitos humanos da Criança no Brasil”, de autoria de Mauro Campello e Maria das Graças Santos Dias, discute os direitos da criança e do adolescente no Brasil. Baseado nas diretrizes traçadas pelas Nações Unidas sobre os Direitos da Criança (1989), o Brasil foi o primeiro país da América do Sul a implantar a teoria da proteção integral por meio do seu Estatuto da Criança e do Adolescente brasileiro (ECA), de 1990, vindo a influenciar os demais países latino-americanos nos processos de reordenamento legislativo, iniciados a partir dos anos 1990.

Sulamita Oliveira Simões e Nathália Santos Veras, no artigo “Migração pendular na Pan-Amazônia: pendularidade, comércio e trabalho na fronteira Guyana (Lethem) – Brasil (Bonfim-Roraima)” analisam sujeitos, conflitos, dilemas e estigmas existentes na fronteira Guyana-Brasil, aspectos que fomentam a mobilidade pendular internacional entre as cidades-gêmeas de Lethem (Guyana) e Bonfim (Roraima-Brasil).

Tatiana Sousa da Silva, por sua vez, com “A dinâmica do desmatamento da reserva legal em áreas de assentamento rurais no município de Rorainópolis/RR”, debate a problemática ambiental, com foco para o desmatamento na Amazônia Legal, para a região de Rorainópolis.

Erick Linhares e Thiago Gehre, por meio de “Brasil e Guiana: de vizinhos distantes a parceiros em potencial” , debatem questões de Relações Internacionais entre Brasil e Guiana, após Independência (1966),  bem como as crises políticas que ora distanciam os dois vizinhos.

Vanessa Raskopf Schwaizer e Américo Alves de Lyra Júnior, em “As estratégias brasileiras de integração regional: os casos do projeto SIPAM/SIVAM na tríplice fronteira Brasil, Venezuela e Guiana (2000-2012) ”, analisam as zonas de fronteira Roraima-Venezuela-Guiana, por meio do aproveitamento das oportunidades oferecidas pelo SIVAM/SIPAM, para elaboração de políticas e ações em âmbito nacional e, especialmente, em Roraima, com o intuito de  refletir e gerar o intercâmbio sociocultural e econômico, bem como visando a utilizar os conhecimentos das comunidades locais e a incentivar a manutenção de projetos gerados por meio de políticas públicas e de iniciativas sociais, de modo contínuo, para que se alcance o desenvolvimento sustentável da região.

Já com “Quando Victor Hugo encontra a revolução haitiana na Amazônia oriental – a ópera Bug Jargal de José Cândido da Gama Malcher no Teatro da Paz em Belém, PA”, Vinicius Mariano de Carvalho analisa a ópera Bug Jargal no que diz respeito ao seu caráter peculiar, mas também provocativo analiticamente, quando se fala de música brasileira e principalmente do espaço Amazônico no trato da historiografia musical brasileira.

Parte dos artigos apresentados é de autoria  de pesquisadores, alunos e professores do Mestrado de Desenvolvimento Regional da Amazônia/PPGDRA/UFRR,  enquanto outra parte resulta de pesquisas de docentes  de outros cursos da UFRR e da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Registramos aqui um agradecimento a todos os autores que tornaram possível essa obra, trazendo suas experiências e vivências acadêmicas, e à Universidade Federal de Roraima. Esperamos que esse livro possa contribuir para preencher as  lacunas existentes sobre as  temáticas abordadas e ainda estimular a criação de políticas públicas com a finalidade de minorar os problemas políticos, socioeconômicos e ambientais evidenciados.

Fonte: UFRR (adaptado)

Próximos Eventos