Giro nos Estados

Centro de Inovação completa dois anos e abre portas para desenvolvimento tecnológico na Serra Catarinense

Há 11 anos o Órion Parque era apenas uma ideia no papel e na cabeça de empresários, em Lages. Com a concretização do projeto de construção dos 13 Centros de Inovação pelo Estado, a proposta ganhou força, e a cidade da Serra, uma das maiores áreas de oportunidades para desenvolvimento do setor tecnológico e empreendedor, recebeu o primeiro Centro de Inovação do Estado.

O Órion Parque Tecnológico é uma área de cerca de 90 mil m², em Lages, região serrana de Santa Catarina, estado líder em inovação no Brasil. Além de possuir terrenos para instalação de novas empresas, abriga o Centro de Inovação de Lages Luiz Henrique da Silveira, primeiro de uma rede interligada com 13 cidades catarinenses.

Ao completar dois anos da sua inauguração, no último dia 24 de junho, a iniciativa de formar um ecossistema de inovação decolou e abriu portas para um novo cenário em Lages. Articulador do sistema tecnológico passou a atrair empresas consolidados e a servir de suporte para aquelas que ainda estavam apenas engatinhando.

Novas startups passaram a se instalar no Órion Parque e atrair projetos inovadores conectando uma rede de inovação na Serra Catarinense. A ideia tomou fôlego e hoje, o Centro de Inovação, abriga37 empresas virtuais, 23 residentes e incontáveis projetos inovadores. Se tornando um verdadeiro cartão de visitas para empresas que despontam no cenário nacional e até mesmo internacional , um habitat acolhedor e inspirador para jovens empreendedores.

A Softecsul, no mercado há 25 anos, foi a primeira a se instalar no Órion Parque. A empresa desenvolve soluções e aplicativos para levar e analisar o perfil dos clientes em supermercados. “O fato de estar aqui, já abre um sorriso no rosto. É nosso cartão de visitas, todos ganham. Lages é uma ótima cidade para se desenvolver a tecnologia e inovação, com uma posição privilegiada no Estado, relativamente perto da Capital, da região Oeste, a cidade tem potencial para crescer ainda mais”, avalia o CEO da empresa, Athos Rodrigo Branco.

09

Lages entra no cenário inovador de Santa Catarina

O presidente do Centro de Inovação de Lages, Valmir Tortelli, que substituiu o primeiro presidente e fundador, Roberto Amaral, destaca o impulsionamento do setor após a implantação do Órion Parque.

“Nestes dois anos de atuação podemos ver mais de 40 empresas envolvidas diretamente no Centro de Inovação. Com as centenas de ações que já passaram por aqui podemos ver o envolvimento e a motivação das pessoas buscando conhecimento e oportunidades inovadoras. Dentro deste atual cenário de inovação, além de estimular a tríplice hélice conseguimos desenvolver nas pessoas a criatividade em seus projetos, como por exemplo, os mais de 120 projetos apresentados no último Sinapse da Inovação. Centro de Inovação como referência e apoio ao empreendedorismo está trazendo a região de Lages para dentro do contexto de cidades de inovação de Santa Catarina”, afirma o presidente.

Tortelli que também é empresário, responsável por uma das maiores empresas do setor, estima que com o lançamento dos demais Centros de Inovação, ocorre um processo acelerado, bem como o incremento de empresas no entorno do Parque Tecnológico, em Lages. “Algumas já estão iniciando suas obras ainda este ano, transformando em um grande polo tecnológico de inovação na região”, observa.

Sinapse da Inovação

Lages despontou. Saltou da penúltima posição no ranking do Sinapse da Inovação para o terceiro lugar no Estado. O programa é considerado um dos mais completos de incentivo ao empreendedorismo do Brasil. o Sinapse da Inovação identifica ideias inovadoras e com potencial de se tornarem negócios de sucesso, dando suporte necessário para colocá-las em prática.

“Lages era mais atrasada em relação a inovação, nosso trabalho aqui é de justamente fomentar e ser um articulador do ecossistema. É um local onde as pessoas recebem orientação, apoio e articulação para materializar o que na maioria das vezes, são apenas ideias”, explica Cleiton Camargo, diretor executivo do Órion Parque Tecnológico.

Tecnologia e Inovação representam 5% do PIB de SC

O Governo de Santa Catarina por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável tem sido parceiro, disponibilizando recursos financeiros para subsidiar atividades estratégicas, operacionais e projetos de pesquisa ao longo destes dois anos de funcionamento do Parque.

“Em Santa Catarina, o setor da Tecnologia e Inovação já representa 5% do PIB, e é fundamental que o serviço e a governança públicos estejam conectados com os avanços do setor para garantir eficiência e mais qualidade de vida ao cidadão catarinense”, destaca o governador Eduardo Pinho Moreira.

De acordo com o secretário de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável, Adenilso Biasus, foram repassados recursos do Governo do Estado, por meio da SDS, em 2016 e 2018.

“Após a conclusão do CI, o Governo do Estado, com o orçamento da SDS, repassou cerca de R$ 2 milhões, para operação, gestão e equipamentos. Os Centros de Inovação são os ambientes ideais para união da tríplice hélice: estado, universidades e o setor produtivo. Tudo o que for desenvolvido nestes locais é revertido em receita com valor agregado, geração de emprego, renda e na entrega de serviços públicos de melhor qualidade”, destaca Biasus.

Na avaliação do diretor de Desenvolvimento de Ciências Tecnologia e Inovação, Jean Vogel, após dois anos de operação do primeiro Centro de Inovação do Estado, os resultados já são bem expressivos. “Lages teve o privilégio de inaugurar o primeiro CI da Rede de 13 que o Governo está construindo. Nestes dois anos o modelo já se mostra com êxito e necessário, pois leva desenvolvimento e insere o interior do Estado na economia do conhecimento, oferecendo condições para que a academia, empresas e governo, encontrem sinergia e criem um ambiente de oportunidades para a economia da cidade e região”, avalia Vogel.

O diretor executivo do Órion Parque lembra que a Serra Catarinense possui um vasto campo de oportunidades para inovação, como as áreas da biotecnologia, marketing e tecnologia da informação aliada a atividade madeireira, agropecuária, gastronomia e turismo. “Nossas vocações tradicionais devem servir de base para novas possibilidades por meio de modelos ágeis de gestão, empreendedorismo, inovação e tecnologia”, avalia Camargo.

Eventos

Nestes dois anos o Centro de Inovação de Lages foi palco de 264 eventos, sendo 239 próprios do Orion e 25 externos. Ao total foram 272 dias de eventos que reuniram diferentes públicos, empresários, empreendedores, gestores, academia e jovens estudantes – todos mergulhados em um ambiente único de inovação. O local também foi palco de um dos maiores eventos nacionais no setor, o 3º Seminário Catarinense de Núcleos de Inovação Tecnológica (NITs), importante ferramenta para conectar o conhecimento das universidades, com a sociedade e empresas. O evento agregou debate entre Instituições científicas, tecnológicas, inovação, governo, empresas e sociedade civil, para o planejamento de ações conjuntas e a formação de uma rede em apoio as ações dos demais atores do Estado. Atualmente, 25 núcleos no estado, estimulam a interação do ecossistema da inovação.

2211

Foi realizado também no Órion Parque o 3º Congresso Catarinense das Cidades Digitais, onde gestores públicos de mais de 100 cidades catarinenses e representantes de outros sete estados estiveram reunidos para discutir inovação nas cidades.

Gênesis – transformador de sonhos em projetos

Tirar do papel ideias e transformar em ações. Este é o papel do Escritório de Projetos, o Gênesis. Com este objetivo um comitê formado pela tríplice hélice: universidades, empresas e governo, buscam dar orientação, apoio e condução de projetos inovadores. “Vamos em busca destes projetos que tem um potencial e fazemos toda a articulação, encorajamento e auxilio para resolver as demandas para que a ideia possa ser colocada em prática”, explica o coordenador da Gênesis, Gil Pletsch.

Resultados

Com este objetivo, o escritório de projetos tem mais de 100 projetos cadastrados, que vão desde da orientação para abertura de uma MEI até a implantação de uma mineradora para a implantação de fertilizantes. Entre os resultados do programa já foram criadas 11 empresas, sendo 10 encubadas no Órion e impactadas cerca de 300 pessoas envolvidas nas equipes. Entre os projetos em implantação destaca-se a implantação da marca Saber Serrano que tem o objetivo de fortalecer a produção e consumo de produtos locais e típicos da serra catarinense como o queijo serrano, mel e demais produtos.

Fonte: SDS SC

Próximos Eventos