Giro nos Estados

Centro de Educação Científica do Semi-Árido é implantado na Bahia

Imaginem um estudante do ensino fundamental do semi-árido baiano – uma das regiões mais pobres do Estado – produzindo robôs, desenhos animados e até curtas-metragens de animação. Esta realidade digna dos estúdios cinematográficos modernos começa a se concretizar na Bahia, com a implantação, em Serrinha, do Centro de Educação Científica do Semi-Árido – nos moldes do Instituto Internacional de Neurociências de Natal Edmond e Lily Safra (IINN-ELS), no Rio Grande do Norte.

Implantado com o apoio da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI-BA), com recursos do Programa Estadual de Incentivo à Inovação Tecnológica (Inovatec) e outras fontes da Secti, o Centro, também conhecido como Escola de Ciências de Serrinha, leva a chancela do médico paulista Miguel Nicolelis, um dos mais renomados cientistas da atualidade, coordenador do laboratório de neurociências da Universidade de Duke, nos Estados Unidos, e diretor do IINN-ELS. Ele ministrará a aula inaugural na segunda-feira (dia 21).

Este Centro de Educação Científica está sintonizado com a meta de interiorizar as ações de Ciência e Tecnologia, dando acesso a baianos à oportunidade de se tornarem pesquisadores.

Como funciona o Centro de Educação Científica de Serrinha

O Centro recebe os alunos no turno oposto ao que eles frequentam as aulas nas escolas municipais e estaduais, a partir da 5ª série. O prédio do Colégio Estadual André Negreiros, cedido pela Secretaria de Educação do Estado da Bahia, através da Direc 12, foi totalmente reformado e modernizado, onde laboratórios permitem que os meninos e meninas mostrem o talento para uma área que, por muito tempo, foi de acesso exclusivo das elites. Os professores da rede pública local também serão beneficiados com a mesma qualificação continuada oferecida aos docentes do Centro, uma vez por mês.

A próxima seleção acontece em dois anos, depois que os primeiros alunos tiverem concluído as oficinas de Ciência e Tecnologia, Ciência e Meio Ambiente, Ciência e Robótica, e Ciência e Arte. Até lá, outras cidades do Território Portal do Sertão devem ser incluídas, já que é preciso definir a logística de transporte. Para esta fase, os estudantes de Serrinha terão transporte garantido pela prefeitura municipal, parceira do projeto.

A unidade é gerida pela Associação Alberto Santos Dumont de Apoio à Pesquisa (ASSDAP). O Centro de Educação Científica do Semiárido contará também com o Instituto de Biotecnologia e Bioprospecção, em Feira de Santana, para dar suporte aos pesquisadores.

Miguel Nicolelis – neurocientista brasileiro reconhecido pelo mundo

O cientista paulistano, radicado há quase duas décadas nos Estados Unidos, Miguel Nicolelis, 49 anos, desenvolve algumas das pesquisas mais importantes do mundo sobre o cérebro. Atuando na área de fisiologia de órgãos e sistemas, é responsável pela descoberta de um sistema que possibilita a criação de braços robóticos controlados por meio de sinais cerebrais. O trabalho está na lista do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) sobre as tecnologias que vão mudar o mundo. A pesquisa que pode levar à cura do mal de Parkinson colocou o brasileiro como forte candidato ao prêmio Nobel.

Fonte: Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia