Giro nos Estados

BH-Tec ganha Centro de Tecnologia em Nanotubos

Lançado oficialmente, no Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BHTec), na tarde dessa quinta-feira (12), o Centro de Tecnologia em Nanotubos de Carbono (CTNanotubos). O projeto tem o apoio do Governo de Minas, por meio da Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) e da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig). A iniciativa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vai desenvolver material inédito no Brasil para a fabricação em escala pré-industrial de nanotubos de carbono e para o desenvolvimento de produtos.
A solenidade contou com a presença do secretário interino de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Evaldo Vilela, que destacou o pioneirismo e a importância do avanço deste projeto no país. “Fico com muito orgulho de ver projetos como estes, que contam com o apoio do Governo de Minas, saindo do papel. É o nosso dever incentivar a inovação e o desenvolvimento e a aplicação de novas tecnologias”, comenta.  Também estiveram presentes o reitor da UFMG, Clélio Campolina, o presidente do BH-Tec, Ronaldo Penna e o presidente da Fapemig, Mário Neto Borges, entre outras autoridades.
O professor do Departamento de Física da UFMG, Marcos Pimenta, um dos idealizadores e o coordenador do projeto, fez uma apresentação de todo o processo que culminou na criação do CTNanotubos. Ele vem sendo estruturado desde o ano de 1998, e será instalado provisoriamente em espaço cedido pelo BH-Tec e futuramente ganhará outros prédios na área do Parque. Ele destacou o pioneirismo da iniciativa, que terá um papel importante na industrialização de ideias inovadoras, e é uma marcos importante para o desenvolvimento econômico e tecnológico do país.
A inciativa apoiada pelo Governo de Minas é um exemplo estratégico para o desenvolvimento da Nova Economia – que tem como objetivo aumentar os investimentos em conhecimento e alta tecnologia e conto com o apoio de outros importantes parceiros como o BNDES, CNPq, Petrobras e a empresa InterCement. Foram destinados cerca de R$11 milhões em recursos do Governo de Minas, via Sectes e Fapemig, para confecção do plano de negócios do projeto.
A princípio serão realizadas ações de ampliação de escala de produção de nanocompósitos poliméricos e caracterização de cimento nanoestruturado os quais, posteriormente, serão testados para aplicação em produtos utilizados em plataformas de petróleo. A produção terá início em janeiro de 2014 e a meta é dominar o processo de aumento de escala em produtos de alta tecnologia, que podem em seguida ser utilizados para aplicações nas áreas de energia, eletrônica, medicina e indústrias química e petroquímica.
Fonte: SECTES-MG

Próximos Eventos