Giro nos Estados

Amapá inicia estudos para tornar a administração pública digital

O Estado começou a dar os primeiros passos na direção de uma transformação tecnológica que tornará a administração pública do Amapá mais moderna, econômica e interativa com a população. É o Programa Governo Digital, que prevê um novo modelo de gestão, com serviços governamentais integrados por meio de recursos tecnológicos que podem ir desde aplicativos de celular até plataformas digitais para tornar o serviço público mais dinâmico e eficaz internamente e de acesso mais fácil ao cidadão.

A coordenação do programa é uma parceria entre a Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan) e do Centro de Gestão da Tecnologia da Informação (Prodap), que, juntos, trouxeram a Macapá consultores da americana Gartner, referência mundial em soluções tecnológicas, para promover um workshop sobre o tema. O treinamento ocorreu nesta terça-feira, 30, durante todo o dia, no auditório da Universidade do Estado do Amapá (Ueap).

O diretor-presidente do Prodap, Lutiano Silva, destacou que a população necessita que o sistema de atendimento seja desburocratizado e a oferta de serviços públicos pela web é uma das soluções. Mas, para isso, o governo deve digitalizar a sua matriz administrativa, primeiramente. Ele citou como exemplo de dificuldade que a população enfrenta na abertura de uma empresa.

“Hoje, o cidadão precisa ir a vários órgãos quando necessita de determinado atendimento. Por exemplo, para se abrir uma empresa, o cidadão tem que ir à Jucap [Junta Comercial do Amapá], na Sefaz [Secretaria de Estado da Fazenda] e no Corpo de Bombeiros, por causa da vistoria. Se esses serviços todos estiverem integrados em uma plataforma digital, o cidadão economiza tempo, dinheiro e pode fazer isso na palma da mão, com um smartphone”, analisou Silva.

Para o diretor de Relacionamento da Gartner no Brasil, Jaime Gama, a arquitetura organizacional dos governos estaduais está obsoleta e acaba desperdiçando recursos, principalmente com transporte e materiais e expediente. É necessária uma nova plataforma, que integre os órgãos públicos.

Durante a palestra, ele citou a experiência da Estônia, país europeu que se tornou referência mundial na administração pública digital por oferecer serviços aos seus cidadãos sem necessitar de nenhum deslocamento ou papel. Lá, desde a abertura de empresas até a votação para presidência do país podem ser feitas apenas usando uma assinatura digital.

“Hoje, até o cidadão mais pobre tem acesso à web, então, ele espera que as necessidades dele por serviços públicos também sejam resolvidas digitalmente. Mas, para isso, são necessários alguns passos e o primeiro é adotar uma solução tecnológica que conecte os órgãos governamentais entre si e digitalize os processos físicos do governo”, explicou Gama.

O secretário de Estado do Planejamento, Eduardo Tavares, destacou que um dos principais gastos que a administração estadual tem para seu funcionamento é de transporte. Para isto, o Estado estuda, no âmbito do Governo Digital, uma proposta na qual esta necessidade passaria a ser suprida através de aplicativos de celular – como o Uber. Isto evitaria custos altos com alugueis de carros, abastecimento de combustível e contratos de manutenção desses veículos, além de criar postos de trabalho para a população.

“Podemos simplificar com tecnologia. Mas devemos primeiramente pensar soluções, por isso juntamos gestores e técnicos para conhecer essa concepção e, então, nos ajudar na construção dessas soluções tecnológicas. Este é o primeiro passo”, analisou.

Fonte: Governo do Amapá

Próximos Eventos