CONSECTI http://www.consecti.org.br Conselho Nacional de Secretários Estaduais para Assuntos de Ciência, Tecnologia e Inovação Fri, 22 May 2015 20:24:06 +0000 pt-BR hourly 1 http://wordpress.org/?v=4.2.2 Laboratório levará pesquisa científica à educaçãohttp://www.consecti.org.br/destaques/laboratorio-levara-pesquisa-cientifica-a-educacao/ http://www.consecti.org.br/destaques/laboratorio-levara-pesquisa-cientifica-a-educacao/#comments Fri, 22 May 2015 20:24:06 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25617 O Instituto Ayrton Senna (IAS) lançou nesta quinta-feira, 14, o eduLab21, um laboratório dedicado à produção e disseminação de conhecimento inovador em educação para o século 21. A iniciativa se propõe a buscar respostas para questões importantes da educação a partir das ciências, e assim, gerar uma base de conhecimentos sobre quais são e como se desenvolvem as […]

The post Laboratório levará pesquisa científica à educação appeared first on CONSECTI.

]]>
Instituto Ayrton Senna (IAS) lançou nesta quinta-feira, 14, o eduLab21, um laboratório dedicado à produção e disseminação de conhecimento inovador em educação para o século 21. A iniciativa se propõe a buscar respostas para questões importantes da educação a partir das ciências, e assim, gerar uma base de conhecimentos sobre quais são e como se desenvolvem as competências para o século 21 e traduzir essas informações para que gestores públicos da área possam tomar decisões mais fundamentadas.

“As ciências todas já têm conhecimento acumulado suficiente para melhorar políticas públicas, só que os gestores não sabem disso. O eduLab21 quer juntar pedagogia, economia, psicologia, neurociência e todo o conhecimento que as ciências desenvolveram e disponibilizar isso para que os secretários de educação possam melhorar as políticas que eles estão desenhando”, explicou Tatiana Filgueiras, diretora do laboratório, durante o evento de lançamento nesta quinta-feira (14), realizado no Insper, em São Paulo.

O laboratório é organizado em torno de três eixos principais: produção, sistematização e disseminação. A primeira envolve novos conhecimentos e também o mapeamento dos já existentes, com o intuito de identificar as competências importantes para a vida no século 21 e como desenvolve-las; a sistematização vai traduzir esses conhecimentos, deixa-los claros e acessíveis para os gestores e educadores; e, por fim, a disseminação dessas informações tem como objetivo facilitar o desenho de políticas públicas educacionais inovadoras.

Para realizar o trabalho a iniciativa reúne uma rede multidisciplinar de parceiros, entre universidades, pesquisadores, fundações e organizações internacionais.

As parcerias acadêmicas se desenvolvem através de duas cátedras universitárias, uma de aplicação de políticas públicas no Insper, coordenada por Ricardo Paes de Barros, ex-secretário de Assuntos Estratégicos da Presidência da República e economista-chefe do projeto, e a outra na Universidade de Ghent, da Bélgica, coordenada pelo psicólogo Filip de Fruyt.

O eduLab21 também conta com um conselho consultivo composto por seis secretários estaduais de educação: Antonio Neto (RJ), Eduardo Deschamps (SC), Fred Amancio (PE), Marco Brandão (AC), Maurício Holanda (CE) e Raquel Teixeira (GO).

A importância das socioemocionais
Ricardo Paes de Barros ressaltou a importância das competências para o século 21 permearem o currículo escolar para aproximar a escola da realidade de seus estudantes e, assim, se tornar mais interessante e atrativa para eles, o que inclusive, poderia diminuir os índices de evasão escolar. “Na medida que tivermos uma base nacional comum, é fundamental que as habilidades socioemocionais estejam explicitamente colocadas e por isso o laboratório trata de coisas extremamente aplicáveis”.

Um exemplo dado por Filgueiras está relacionado aos últimos dados do PISA. “Alunos que mais aprendem matemática são os que têm mais persistência”, disse. Segundo ela, é sabido que para ir bem na escola não é requerido apenas inteligência, mas também essas competências chamadas de socioemocionais. “Um pai que estimula o filho a seguir em frente, a estudar, consegue que ele tenha um maior foco e isso é mais poderoso para fazer a nota dele melhorar do que a inteligência”.

“Se a ciência nos mostra que atitudes dos pais interferem nas competências socioemocionais do aluno, assim como a ajuda dos professores também interfere, essa é uma ferramenta poderosa para afirmar que todo mundo tem um papel a desempenhar para melhorar a educação”, continuou a diretora, que conclui: “Essa informação faz com que todos se responsabilizem”.

Fonte: Porvir.org

The post Laboratório levará pesquisa científica à educação appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/destaques/laboratorio-levara-pesquisa-cientifica-a-educacao/feed/ 0
Anatel tem propostas de exploração de satélites brasileiroshttp://www.consecti.org.br/destaques/anatel-tem-propostas-de-exploracao-de-satelites-brasileiros/ http://www.consecti.org.br/destaques/anatel-tem-propostas-de-exploracao-de-satelites-brasileiros/#comments Fri, 22 May 2015 20:19:18 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25614 Quatro empresas apresentaram propostas para a exploração de satélites brasileiros, informou hoje (19) por meio de nota a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). A licitação abrangerá até quatro direitos de exploração dos satélites que ocuparão as posições orbitais destinadas ao país, bem como o uso das radiofrequências associadas. A autorização terá prazo de 15 anos, prorrogáveis por […]

The post Anatel tem propostas de exploração de satélites brasileiros appeared first on CONSECTI.

]]>
Quatro empresas apresentaram propostas para a exploração de satélites brasileiros, informou hoje (19) por meio de nota a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A licitação abrangerá até quatro direitos de exploração dos satélites que ocuparão as posições orbitais destinadas ao país, bem como o uso das radiofrequências associadas. A autorização terá prazo de 15 anos, prorrogáveis por mais 15 anos.

Com essa licitação, a Anatel pretende reforçar a infraestrutura de telecomunicações do país.

As propostas foram apresentadas pelas empresas Eutelsat do Brasil, Hispamar Satélites, Star Satellite Communications Company, e Telesat Brasil Capacidade de Satélites.

As empresas entregaram, além dos documentos de identificação e habilitação, as propostas de preço que serão abertas no dia 26 de maio, data em que o leilão definirá quem ocupará as posições orbitais de exploração de satélite brasileiro.

Fonte: Exame

The post Anatel tem propostas de exploração de satélites brasileiros appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/destaques/anatel-tem-propostas-de-exploracao-de-satelites-brasileiros/feed/ 0
Cern consegue colisões de prótons a uma velocidade recordehttp://www.consecti.org.br/destaques/cern-consegue-colisoes-de-protons-a-uma-velocidade-recorde/ http://www.consecti.org.br/destaques/cern-consegue-colisoes-de-protons-a-uma-velocidade-recorde/#comments Fri, 22 May 2015 20:16:34 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25611 Pela primeira vez na história, dois feixes de prótons colidiram nesta quarta-feira à noite a uma energia de 13 TeV (teraelétron-volts) no interior do Grande Colisor de Hádrons (LHC) do Centro Europeu de Física de Partículas (Cern). Cada feixe de prótons conseguiu circular a uma energia de 6,5 TeV o que permitiu as colisões a […]

The post Cern consegue colisões de prótons a uma velocidade recorde appeared first on CONSECTI.

]]>
Pela primeira vez na história, dois feixes de prótons colidiram nesta quarta-feira à noite a uma energia de 13 TeV (teraelétron-volts) no interior do Grande Colisor de Hádrons (LHC) do Centro Europeu de Física de Partículas (Cern).

Cada feixe de prótons conseguiu circular a uma energia de 6,5 TeV o que permitiu as colisões a uma energia de 13 TeV.

Estas primeiras colisões foram realizadas para poder comprovar os sistemas que protegem o próprio acelerador, os ímãs e os detectores das partículas que se desviam do feixe, segundo explicou o Cern em comunicado.

Era essencial que os testes de segurança fossem realizados ao mesmo tempo em que feixes de prótons circulavam e colidiam entre eles, para poder verificar como funcionam em condições reais.

As colisões continuarão durante o dia todo de hoje para que os técnicos possam continuar realizando testes de funcionamento.

Estes testes permitirão deixar pronto o LHC para que entrem em funcionamento os quatro detectores: Alice, Atlas, CMS e LHCb.

Espera-se que o acelerador volte a ser posto para funcionar no começo de junho e que os quatro detectores comecem a obter informação e dados nesse momento.

Nesta nova etapa de operações, o acelerador melhorado poderá utilizar toda sua capacidade a favor da física no período compreendido entre 2016 e 2018, durante o qual pretende revelar a composição da matéria escura.

O LHC é o maior e mais potente acelerador do mundo, com ímãs condutores que funcionam como pilhas, e sua energia armazenada equivale à de um porta-aviões se movendo a 43 km/h ou à de um avião Airbus 380 voando a 700 km/h.

O acelerador tem a forma de um anel de 27 quilômetros de circunferência e fica dentro de um túnel localizado a 80 metros sob a terra, na fronteira entre Suíça e França.

Para funcionar deve estar a uma temperatura de 217 graus centígrados abaixo de zero, mais baixa que a do espaço.

Em 2012, o LHC permitiu uma das maiores descobertas realizadas até o momento no mundo da física: demonstrar empiricamente o Bóson de Higgs, o que confirmou o modelo padrão no qual se baseia a física de partículas.

Fonte: Exame com informações do EFE

The post Cern consegue colisões de prótons a uma velocidade recorde appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/destaques/cern-consegue-colisoes-de-protons-a-uma-velocidade-recorde/feed/ 0
Contribuições pedem que regulamentação não engesse Marco Civilhttp://www.consecti.org.br/destaques/contribuicoes-pedem-que-regulamentacao-nao-engesse-marco-civil/ http://www.consecti.org.br/destaques/contribuicoes-pedem-que-regulamentacao-nao-engesse-marco-civil/#comments Fri, 22 May 2015 20:12:08 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25608 Terminou à meia noite desta terça-feira, 19, a consulta pública da Anatel com perguntas sobre neutralidade de rede que dará subsídios à agencia para preparar posicionamento formal a ser enviado à Presidência da República no processo de regulamentação do Marco Civil da Internet. As contribuições puderam ser enviadas através da plataforma aberta Diálogos Anatel ou […]

The post Contribuições pedem que regulamentação não engesse Marco Civil appeared first on CONSECTI.

]]>
Terminou à meia noite desta terça-feira, 19, a consulta pública da Anatel com perguntas sobre neutralidade de rede que dará subsídios à agencia para preparar posicionamento formal a ser enviado à Presidência da República no processo de regulamentação do Marco Civil da Internet.

As contribuições puderam ser enviadas através da plataforma aberta Diálogos Anatel ou ainda através do Sistema Interativo de Acompanhamento de Consulta Pública (SACP).

De maneira geral, as contribuições destacaram a necessidade de o regulamento trazer exceções à neutralidade e qualificação de serviços de emergência, por exemplo, de maneira não específica, para não engessar o Marco Civil, e reforçaram a ideia de que qualquer punição a abusos de poder e quebra de neutralidade de rede poderia vir com ações ‘ex post’ dos órgãos reguladores, com o exame de caso concreto.

Prestação adequada de serviços e aplicações

As contribuições destacaram, de forma geral, a necessidade de um determinado nível de gerenciamento da rede para evitar congestionamentos e garantir a prestação adequada dos diferentes serviços. Para o SindiTelebrasil, “determinadas aplicações e serviços demandam padrões técnicos diferenciados, em virtude da necessidade de manter requisitos de transmissão, comutação e roteamento em tempo real e de alta definição, como teleconferência, telemedicina, segurança, vídeos de ultra definição etc, e exigem tratamento diferenciado pelas redes de telecomunicações”. Assim, a entidade que reúne as operadoras de telecomunicações pede que para tais “serviços especializados” seja aplicado o condicionante previsto no Marco Civil que prevê quebra da neutralidade em casos “decorrentes de requisitos técnicos indispensáveis à prestação adequada dos serviços e aplicações”. O sindicato classifica como serviço especializado aquele que supere as métricas dos regulamentos de qualidade da banda larga fixa e móvel. As contribuições individuais das operadoras Telefônica/Vivo, Oi, Claro, TIM, Sky, Algar e Nextel, além de fornecedores como Cisco, Ericsson e Qualcomm e das associações Abinee, Abranet, ABDTIC e Telcomp, entre outos, também seguem a mesma linha.

A Cisco vai além, sugerindo que a regulamentação garanta a oferta de serviços especializados, ou seja, serviços de conexão – não à Internet pública propriamente dita, mas a serviços, aplicações ou conteúdos específicos que requeiram funcionalidades que precisam de uma qualidade diferenciada, ponto a ponto. “Recomendamos que a regulamentação do Marco Civil seja muito específica, permitindo que as prestadoras de conexões à Internet implementem medidas não discriminatórias razoáveis de gerenciamento do tráfego, quando destinadas a: a) garantir a segurança e integridade das redes; b) reduzir ou minimizar os efeitos do congestionamento das redes; c) garantir a qualidade dos serviços e aplicações disponíveis aos usuários; d) permitir a devida oferta de serviços especializados aos usuários; e e) priorizar os serviços de emergência, quando necessários.”

Para a Associação Interamericana de Empresas de Telecomunicações (AHCIET), “poder tratar os pacotes de dados de acordo com a sua natureza supõe um benefício claro para todo o ecossistema digital, fundamentalmente para a qualidade do usuário final, sendo em qualquer caso positiva e sem gerar uma distorção no mercado”.

O SindiTelebrasil defendeu ainda a que a proibição do Marco Civil à monitoração de pacotes não deva ser aplicada “aos metadados desses pacotes”. “A análise dos cabeçalhos de cada protocolo usado na Internet, em suas diferentes camadas, deve ser permitida para uma adequada gestão da rede e dessa forma garantir a sua estabilidade e segurança, assim como a otimização do seu uso” e que, “se necessário, o conteúdo da informação propriamente dita, inserida na Internet ou retirada dela pelo usuário, possa também ser objeto de análise pelas operadoras, desde que não sirva ao propósito de identificação individual da informação do usuário, que garanta o atendimento ao princípio da segurança e estabilidade da rede”.

A Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da fazendo também recomendou que a agência não defenda nenhuma exceção relacionada à degradação de rede, mas entende que algumas práticas de não-acesso prioritário (a um preço positivo) e de não-discriminação por meio de menus de qualidade (não autoriza uma discriminação de preços de segundo grau com base nos tipos de conteúdo ou serviço) possam ser especificadas pelo decreto regulamentar, e que não violariam os requisitos formais específicos da moldura legal do Marco Civil da Internet.

A Seae entende também que a prática conhecida como dirt road fallacy em alguns casos, pode ser neutralizada pela definição de padrões mínimos de qualidade (PMQs), para os diferentes serviços e aplicações. E recomenda que nos casos das restrições verticais relacionadas às regras de não-acesso prioritário, em que envolva poder de mercado, as políticas de concorrência ‘ex post’ precisam ser complementares às políticas regulatórias ‘ex ante’ de neutralidade de rede.

Já a provedora de serviços over-the-top (OTT) Netflix, embora reconheça que provedores de serviços de banda larga devem ter flexibilidade suficiente para gerenciar suas redes, salienta que tal discriminação e/ou degradação por requisitos técnicos essenciais à prestação não deve ser “específica para determinado aplicativo, mas deve-se criar regras que se apliquem a categorias de diversos tipos de serviços, considerados como um todo”. Ou seja, a Netflix reforça que não deseja que um provedor trate seus próprios serviços de voz sobre IP (VoIP) ou de vídeo on-demand (VOD) de maneira privilegiada em relação a serviços equivalentes de concorrentes.

Relações entre agentes envolvidos

As contribuições do SindiTelebrasil, AHCIET e Cisco em geral não veem necessidade de uma regulação ‘ex-ante’ em relações entre agentes do ecossistema da Internet para garantir a proporcionalidade, transparência, isonomia e não discriminação. “A Lei estabelece que todos os pacotes devem receber tratamento isonômico” e “em casos de discriminação ou degradação de tráfego, os provedores de acesso e conexão devem agir com proporcionalidade, transparência, isonomia e devem abster-se de praticar condutas anticoncorrenciais”, diz o SindiTelebrasil, que defende ainda que condições de exclusividade em si não caracterizam uma conduta anticompetitiva ou anticoncorrencial, desde que respeitados os condicionantes da lei referentes à neutralidade de rede.

“É possível a existência de canais separados ‘de alta velocidade’ para serviços que tenham um uso de banda altamente intensivo, uma vez que poderia ser bom para todos os usuários, façam eles ou não uso desse serviço. Este aspecto permite, além do mais, gerar receitas para a melhora e expansão da capacidade da rede”, defende a AHCIET. “Deverá ser decisão final do fornecedor do serviço onde e como se conecta à rede para oferecer os seus serviços ao usuário final, e em nenhum caso pode permitir-se a nenhum ator na cadeia de produção, transporte e distribuição a degradação artificial da qualidade do acesso a Internet para condicionar os fornecedores a um modo determinado de conexão”, completa a entidade.

A contribuição da Netflix foi o contraponto, destacando que um dos maiores desafios que tem enfrentado tem sido a relação entre ela e provedores de serviços que detêm a infraestrutura de conexão à Internet. “Aprendemos que as proteções de última milha são insuficientes se os provedores puderem mover condutas discriminatórias para os pontos em que os provedores de conteúdo acessam as redes globais de distribuição de conteúdo da Netflix”. Para a OTT, a Internet aberta não deve ter nenhuma forma de bloqueio, nem cobrança de taxas de acessos ou discriminação “irracional” em qualquer ponto da rede.

A OTT destaca que, assim como os demais prestadores de serviços de valor agregado, possui seus próprios mecanismos de entrega otimizados, arcando “integralmente com os custos de entrega na porta da rede dos provedores de conexão local dos bits solicitados pelos clientes do provedor de conexão local, seja através do uso de sua própria CDN, a Open Connect, da CDN de terceiros ou ainda pagando pelo uso das redes de provedores de tráfego com as redes dos provedores locais. Assim, apesar de entender que a “intervenção do Estado deveria limitar-se ao mínimo para garantir a competitividade do mercado e que uma intervenção ex post deveria ser a regra”, a Netfix também salienta que na situação “na qual um agente incorreu em custos significativos para reduzir o impacto que o seu conteúdo tenha sobre a rede de terceiros, o regulador deveria assegurar, não só o direito de acesso (já protegido pelo Artigo 61 da Lei Geral de Telecomunicações), mas também garantir que esse acesso seja gratuito”.

A Netflix acredita que o regulamento do Marco Civil deva conter regras amplas e claras que incluam que os provedores de conexão à Internet “não podem degradar ou impedir os dados de fontes/provedores específicos, ou cobrar tais fontes pela não degradação do seu tráfego; que não podem privilegiar fontes/provedores de dados específicas, seja de forma paga ou de outra forma; e que, na sua qualidade de únicos provedores do acesso ao usuário final, não podem cobrar fontes/provedores de dados pelo acesso a tais usuários e devem fornecer o acesso gratuito para os distribuidores e serviços de Internet que tomaram algumas medidas para trazer todo ou a maior parte do seu conteúdo para mais perto do provedor do serviço de conexão à Internet, seja em um IXP localizado no Brasil ou de outra forma tecnicamente viável para que os consumidores experimentem as velocidades de banda larga contratadas e pagas.

Modelos de negócio

Um dos principais assuntos abordados nas contribuições com relação ao tema “Modelos de negócio” foi a questão do zero rating para aplicativos, de acessos móveis. O Grupo Folha/Uol, por exemplo, se manifestou totalmente contrário à prática, ressaltando que fere diretamente ao princípio de neutralidade.

Para a Netflix,embora os “modelos de negócios tais como a tarifa zero (Zero Rating) sejam uma forma de evitar as impostas limitações de dados, (a Netflix) acredita que esse modelo não se coaduna com princípios robustos da neutralidade da rede, uma vez que apresenta aos consumidores apenas uma fatia da Internet e permite que decisões de negócios pré-selecionem os ‘vencedores e perdedores’ na Internet”. “A Internet verdadeiramente aberta deve ser aquela que opera livre de tais decisões comerciais, aquela em que o usuário é livre para escolher qualquer conteúdo, e não incentivado a visitar apenas determinados aplicativos online”.

A Seae, do Ministério da Fazenda, também condenou a prática de zero rating de aplicativos. Segundo o órgão do Ministério da Fazenda, “o pagamento de taxas de terminação por parte de provedores de conteúdo para os donos das redes é considerada uma prática ilegítima sobre a égide da lei”.

Para a AHCIET, o zero rating não viola a neutralidade porque “estamos a falar do acesso determinado a uma aplicação que utiliza a internet para funcionar, não do acesso preferencial a aplicações dentro já da web”. Ela salienta que “as empresas de telecomunicações são as primeiras interessadas e contam com o maior incentivo para fazer que aqueles usuários do Zero Rating finalmente fiquem convertidos em usuários plenos de forma habitual, não há interesse nenhum em manter indefinidamente estes usuários com um acesso limitado a uma única aplicação, é, como já se disse, apenas uma via temporária para a conexão completa”.

A Cisco concorda que é importante que a regulamentação do Marco Civil não proíba modelos de negócios baseados em planos que permitam o acesso a serviços de conexão à Internet com taxa zero, ou que não limitem o volume de dados para algumas aplicações.

Já para o SindiTelebrasil, ofertas que não cobram do usuário o acesso a algumas aplicações, conteúdos e serviços não se confundem com o conceito de neutralidade de rede da Lei. “Oferta gratuita de determinados aplicativos não se confunde com o tratamento diferenciado de pacotes de dados”, uma vez que “se o usuário contratou um plano de acesso à Internet com uma determinada franquia e se algumas aplicações não geram débitos aos créditos contratados, neste caso não há nenhuma relação entre a prática da não cobrança com o conceito de neutralidade de rede”, diz a entidade. “Dar uma interpretação para o conceito de neutralidade de rede distinta daquela acordada durante a aprovação da lei, com a clara intenção de vedar a oferta de planos de serviços que não cobram do usuário o acesso a algumas aplicações e/ou conteúdo é uma afronta ao processo democrático e, ainda, um desrespeito ao amplo processo de negociação mantido ao longo das discussões do Marco Civil da Internet”, completa.

Fonte: Teletime

The post Contribuições pedem que regulamentação não engesse Marco Civil appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/destaques/contribuicoes-pedem-que-regulamentacao-nao-engesse-marco-civil/feed/ 0
Concurso da UNIFAP para professor do campus Binacional de Oiapoquehttp://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/concurso-da-unifap-para-professor-do-campus-binacional-de-oiapoque/ http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/concurso-da-unifap-para-professor-do-campus-binacional-de-oiapoque/#comments Mon, 18 May 2015 21:20:09 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25605 A Universidade Federal do Amapá (Unifap) torna público o edital de concurso público para o magistério superior para o campus Binacional de Oiapoque.  O certame visa preencher 34 vagas para o cargo de professor de carreira nas classes Auxiliar A – nível I, Assistente A – nível I e Adjunto A – nível I. As […]

The post Concurso da UNIFAP para professor do campus Binacional de Oiapoque appeared first on CONSECTI.

]]>
A Universidade Federal do Amapá (Unifap) torna público o edital de concurso público para o magistério superior para o campus Binacional de Oiapoque.  O certame visa preencher 34 vagas para o cargo de professor de carreira nas classes Auxiliar A – nível I, Assistente A – nível I e Adjunto A – nível I. As inscrições serão aceitas no período de 21 a 31 de maio de 2015, pelo site: www.unifap.br/depsec, com o custo de R$ 180,00.

 As remunerações vão até R$ 8.639,50. Conforme consta no edital, de 5% a 20% das vagas especialidades/campus, desde que estejam previstas cinco ou mais vagas, serão reservadas para pessoa com deficiência física. De acordo com a Lei nº 12.990/2014, também fica assegurada a reserva de vagas aos candidatos negros em 20% (vinte por cento) do número total de vagas oferecida no edital.

Os participantes do concurso serão submetidos a prova escrita, didática e de títulos. Os cronogramas serão publicados no site do Departamento de Processos Seletivos e Concurso (Depsec) da universidade.  As provas, assim como os demais atos relativos ao concurso, serão realizados no Campus Binacional de Oiapoque, localizado na BR 156, Km 01, nº 3051, Bairro Universidade, CEP 68.980-000, Oiapoque-AP, sempre no horário local. A validade do concurso será de um ano, com chances de ser prorrogado por igual período.

O edital e seus anexos com mais informações pode ser consultado no link

Fonte: Unifap

The post Concurso da UNIFAP para professor do campus Binacional de Oiapoque appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/concurso-da-unifap-para-professor-do-campus-binacional-de-oiapoque/feed/ 0
Palestra conta trajetória do curso de Enfermagem da Ufachttp://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/palestra-conta-trajetoria-do-curso-de-enfermagem-da-ufac/ http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/palestra-conta-trajetoria-do-curso-de-enfermagem-da-ufac/#comments Mon, 18 May 2015 21:07:49 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25603 O dia internacional da Enfermagem, celebrado no último dia 12, foi comemorado nesta sexta-feira, 15, no campus sede da Universidade Federal do Acre (Ufac) com uma palestra do professor Creso Machado Lopes, do Centro de Ciências da Saúde (CCSD). Natural de Ribeirão Preto, o professor está na instituição desde a aula inaugural do curso em […]

The post Palestra conta trajetória do curso de Enfermagem da Ufac appeared first on CONSECTI.

]]>
O dia internacional da Enfermagem, celebrado no último dia 12, foi comemorado nesta sexta-feira, 15, no campus sede da Universidade Federal do Acre (Ufac) com uma palestra do professor Creso Machado Lopes, do Centro de Ciências da Saúde (CCSD). Natural de Ribeirão Preto, o professor está na instituição desde a aula inaugural do curso em 28 de agosto de 1976.

De lá pra cá, Creso tem se dedicado a colecionar um vasto e completo acervo de documentos que contam a trajetória de evolução do primeiro curso de Enfermagem do Acre. Uma narrativa que se mistura à história da saúde pública no Estado. “Eu vim em 1974, com o projeto RondoN. Voltei em 1975 quando fui avisado pelo reitor sobre o curso de Enfermagem na Ufac e em janeiro de 1976 retornei já pra me estabelecer e dar início aos preparativos para instalação do curso que aconteceu em agosto”, conta.

Numa Rio Branco ainda sem Secretaria Municipal de Saúde, com quatro hospitais e com uma unidade para atender o Programa Nacional de Imunização (PNI), Creso diz que os desafios eram enormes naquele primeiro momento. A instalação do curso representava um salto na qualidade de assistência e cuidado à saúde. “O Estado inteiro contava com três enfermeiros. A média era de um enfermeiro para cada 50 mil habitantes. Era um desafio enorme. Os alunos só tinha o PNI para estagiar. Nossa ações de educação em saúde eram realizadas nas escolas”, recorda.

Com conceito 4 do Ministério da Educação (MEC), o curso de enfermagem da Ufac já formou 38 turmas. Com carga horária total de 4200 horas distribuídas em quatro anos e meio de regime integral, o curso conta atualmente com um quadro de docentes formado por 14 doutores, 14 mestres e 2 especialistas. Por ano, são oferecidas 30 vagas a estudantes oriundos do ensino médio. Atualmente há quatro turmas em curso.

“O curso de enfermagem é um curso rígido. Há uma carga horária prática bastante intensa e o estudante precisa se dedicar dentro e fora da universidade. Ainda assim, o curso ao longo dos anos se consolidou dentro da instituição, hoje, o maior desafio para quem deseja fazer enfermagem é a vocação. É preciso já entrar no curso sabendo que é aquilo mesmo que se deseja fazer”, acredita a coordenadora do curso, Suleima Pedroza Vasconcelos.

Fonte: UFAC

The post Palestra conta trajetória do curso de Enfermagem da Ufac appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/palestra-conta-trajetoria-do-curso-de-enfermagem-da-ufac/feed/ 0
Semana de Tecnologia do IFAL contou com palestra sobre a Ciência e Tecnologia em Alagoashttp://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/semana-de-tecnologia-do-ifal-contou-com-palestra-sobre-a-ciencia-e-tecnologia-em-alagoas/ http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/semana-de-tecnologia-do-ifal-contou-com-palestra-sobre-a-ciencia-e-tecnologia-em-alagoas/#comments Mon, 18 May 2015 21:00:58 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25601 Cerca de 100 estudantes do Curso de Informática do IFAL – Instituto Federal de Alagoas participaram de palestra com o secretário da Ciência, Tecnologia e Inovação, Pablo Viana, sobre a área de CT&I no Estado. O  encontro ocorreu na quinta-feira, 07, à noite, no auditório do IFAL, dentro da programação da Semana de Tecnologia, coordenada […]

The post Semana de Tecnologia do IFAL contou com palestra sobre a Ciência e Tecnologia em Alagoas appeared first on CONSECTI.

]]>
Cerca de 100 estudantes do Curso de Informática do IFAL – Instituto Federal de Alagoas participaram de palestra com o secretário da Ciência, Tecnologia e Inovação, Pablo Viana, sobre a área de CT&I no Estado. O  encontro ocorreu na quinta-feira, 07, à noite, no auditório do IFAL, dentro da programação da Semana de Tecnologia, coordenada pelo Curso de Informática daquela instituição federal.

O secretário fez uma retrospectiva histórica desde a importância da Revolução Industrial até os dias atuais. Viana também  falou sobre o papel estratégico do Parque Tecnológico de Alagoas e especificamente do Polo de Tecnologia da Informação, Comunicação e Serviços, em Jaraguá e as perspectivas de parcerias com o IFAL. “O IFAL é nosso parceiro no Polo Agroalimentar de Batalha, uma integração que tem dado certo. Agora, temos novas possibilidades de desenvolvimento de projetos conjuntos, aproveitando, inclusive,  a estrutura e a equipe de pesquisadores do  Laboratório de Sensoriamento Óptico e de Informática e do Laboratório de Eletroquímica do IFAL, os quais estão prontos para novas demandas de pesquisa”, disse.

O evento contou com a presença do  pró-reitor de Pesquisa e Extensão do Instituto Federal, Carlos Henrique Almeida.   

Fonte SECTI AL

The post Semana de Tecnologia do IFAL contou com palestra sobre a Ciência e Tecnologia em Alagoas appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/semana-de-tecnologia-do-ifal-contou-com-palestra-sobre-a-ciencia-e-tecnologia-em-alagoas/feed/ 0
Governador do Tocantins pede agilidade na expansão da Rede de fibra óticahttp://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/governador-do-tocantins-pede-agilidade-na-expansao-da-rede-de-fibra-otica/ http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/governador-do-tocantins-pede-agilidade-na-expansao-da-rede-de-fibra-otica/#comments Mon, 18 May 2015 20:58:19 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25599 O governador Marcelo Miranda recebeu na tarde desta quarta-feira, 13, o presidente da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), Nelson Simões, o coordenador a Rede Metropolitana de Ensino e Pesquisa de Palmas (Metrotins), Gentil Veloso, o presidente da Agência Tocantinense de Ciência, Tecnologia e Inovação, (Agetec), George Brito, e o prefeito de Palmas, Carlos Amastha. A […]

The post Governador do Tocantins pede agilidade na expansão da Rede de fibra ótica appeared first on CONSECTI.

]]>
O governador Marcelo Miranda recebeu na tarde desta quarta-feira, 13, o presidente da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), Nelson Simões, o coordenador a Rede Metropolitana de Ensino e Pesquisa de Palmas (Metrotins), Gentil Veloso, o presidente da Agência Tocantinense de Ciência, Tecnologia e Inovação, (Agetec), George Brito, e o prefeito de Palmas, Carlos Amastha. A audiência foi para apresentar o projeto de expansão da Rede Metrotins, de forma que venha atender a todos os órgãos da administração Estadual e municipal. O projeto também prevê expansão do cabo ótico até o Parque Agrotecnológico de Palmas, onde é realizada a Feira de Tecnologia Agropecuária do Tocantins (Agrotins).

Segundo o presidente da Agetec, George Brito, o governador se mostrou interessado no projeto e determinou que fosse agilizado o processo de adesão dos demais órgãos da administração. “O governador quer que nós tenhamos uma participação efetiva na Metrotins, e pediu agilidade na conclusão desse processo de expansão até a Agrotins. A ideia é que a partir do próximo ano todos os participantes, visitantes e os centros de pesquisa, que desenvolvem atividades permanentes na feira, tenham acesso à internet de alta qualidade”, destacou George Brito.

Metrotins

Com um cabo de fibra ótica de 43 km, a Rede interliga 10 instituições no Estado, dentre elas, a Universidade Federal do Tocantins (UFT), a Fundação Universidade do Tocantins (Unitins), o Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Tocantins (IFTO), o Tribunal de Justiça do Tocantins, o Hospital Geral de Palmas (HGP), a Agetec, a Universidade Católica, entre outros. “Com essa expansão além de integrar as diversas instituições públicas, também poderá ser realizadas videoconferências e projetos de internet gratuita e de inclusão digital”, explica Gentil Veloso, coordenador da Metrotins.

No Brasil já existem 41 rede de Ensino e Pesquisa contemplando todos os estados. Para o presidente da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), Nelson Simões, “essa rede, que tem um custo bem menor do que uma rede comercial, precisa ser um bem público no sentindo de beneficiar a população melhorando os serviços prestados para a comunidade”, conclui.

Fonte: Agetec

The post Governador do Tocantins pede agilidade na expansão da Rede de fibra ótica appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/governador-do-tocantins-pede-agilidade-na-expansao-da-rede-de-fibra-otica/feed/ 0
FAPESP e Ohio State University anunciam nova chamada de propostashttp://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/fapesp-e-ohio-state-university-anunciam-nova-chamada-de-propostas/ http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/fapesp-e-ohio-state-university-anunciam-nova-chamada-de-propostas/#comments Mon, 18 May 2015 20:52:04 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25597 A FAPESP e a Ohio State University (OSU), nos Estados Unidos, lançam a segunda chamada de propostas no âmbito do acordo de cooperação científica assinado pelas duas instituições. O objetivo da chamada é financiar pesquisa e intercâmbio de equipes em todas as áreas do conhecimento. Pesquisadores vinculados à OSU e a instituições de ensino e […]

The post FAPESP e Ohio State University anunciam nova chamada de propostas appeared first on CONSECTI.

]]>
A FAPESP e a Ohio State University (OSU), nos Estados Unidos, lançam a segunda chamada de propostas no âmbito do acordo de cooperação científica assinado pelas duas instituições. O objetivo da chamada é financiar pesquisa e intercâmbio de equipes em todas as áreas do conhecimento.

Pesquisadores vinculados à OSU e a instituições de ensino e pesquisa no Estado de São Paulo são convidados a submeter propostas conjuntas em duas modalidades de apoio:

Mobilidade: destinada a novas submissões, vinculadas a esta chamada de propostas. Serão apoiadas propostas de até US$ 20,000 (ou o equivalente em reais, sendo 50% FAPESP e 50% OSU), para custear passagens aéreas, seguro-saúde e diárias para pesquisadores em missões científicas entre São Paulo e Estados Unidos, durante um ano.

Projeto de Pesquisa Regular: destinada a pesquisadores com projetos previamente financiados via Chamada FAPESP-OSU 2013 e/ou a equipes formadas por pesquisadores da OSU e de instituições de ensino e pesquisa no Estado de São Paulo, cuja colaboração já esteja estabelecida. Nesses casos, o financiamento será de até US$ 100,000 por proposta (ou o equivalente em reais, sendo 50% FAPESP e 50% OSU), para custear despesas diretamente relacionadas à execução do projeto de pesquisa, bem como passagens aéreas, seguro-saúde e diárias para pesquisadores em missões científicas entre São Paulo e Estados Unidos, durante dois anos.

Na categoria Mobilidade, a FAPESP considera elegíveis pesquisadores responsáveis por auxílios à pesquisa vigentes nas seguintes modalidades: Auxílio à Pesquisa – Regular, Projeto Temático, programas Jovens Pesquisadores em Centros Emergentes, Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID), Melhoria do Ensino Público, Pesquisa em Políticas Públicas e Programa de Apoio à Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica (PITE). Pesquisadores Principais de Projetos Temáticos, CEPIDs e PITEs vigentes também são elegíveis.

Para a categoria Projeto de Pesquisa Regular, aplicam-se as normas estabelecidas para Auxílio à Pesquisa – Regular, disponíveis em www.fapesp.br/137.

O prazo para submissão de projetos vai até 13 de julho de 2015.

A chamada de propostas está disponível em www.fapesp.br/9457.

Fonte: Agência Fapesp

The post FAPESP e Ohio State University anunciam nova chamada de propostas appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/giro-nos-estados/fapesp-e-ohio-state-university-anunciam-nova-chamada-de-propostas/feed/ 0
Olimpíada Brasileira de Astronomia deve reunir 1 milhãohttp://www.consecti.org.br/destaques/olimpiada-brasileira-de-astronomia-deve-reunir-1-milhao/ http://www.consecti.org.br/destaques/olimpiada-brasileira-de-astronomia-deve-reunir-1-milhao/#comments Mon, 18 May 2015 20:00:34 +0000 http://www.consecti.org.br/?p=25595 A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) chega à 18ª edição. A prova de 2015 será realizada no dia 15 de maio, voltada para estudantes dos ensinos fundamental e médio. Nesse ano, foram cadastradas 16.575 escolas, número recorde para a organização. Espera-se um total de 1 milhão de participantes. A olimpíada tem como missão […]

The post Olimpíada Brasileira de Astronomia deve reunir 1 milhão appeared first on CONSECTI.

]]>
A Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) chega à 18ª edição. A prova de 2015 será realizada no dia 15 de maio, voltada para estudantes dos ensinos fundamental e médio. Nesse ano, foram cadastradas 16.575 escolas, número recorde para a organização. Espera-se um total de 1 milhão de participantes.

A olimpíada tem como missão debater e compartilhar práticas pedagógicas voltadas a essas disciplinas, além de divulgar o valor dessa ciência em âmbito regional.

“Queremos levar a maior quantidade de informações sobre as ciências espaciais para a sala de aula, despertando o interesse nos jovens”, disse o astrônomo João Canalle, coordenador da OBA.

A olimpíada é dividida em quatro níveis – os três primeiros são para alunos do ensino fundamental e o quarto, para os do médio – e a prova é composta por dez perguntas: sete de Astronomia e três de Astronáutica. A maioria das questões é de raciocínio lógico. As medalhas serão distribuídas conforme a pontuação obtida.

Os melhores classificados representarão o país nas olimpíadas Internacional de Astronomia e Astrofísica e Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica de 2016. E os participantes dessa edição vão ainda concorrer a vagas nas Jornadas Espaciais, que ocorrem em São José dos Campos (SP) e em Natal (RN). Nelas, os alunos recebem material didático e assistem a palestras de especialistas.

Em 2014, a OBA teve a participação de 772.257 estudantes e distribuiu cerca de 43 mil medalhas, um aumento de 26% em relação à edição anterior. Foram 10.412 de ouro, 14.451 de prata e 17.693 de bronze.

A OBA é coordenada por uma comissão formada por membros da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB) e da Agência Espacial Brasileira (AEB). A coordenação da olimpíada ainda organiza, desde 2009, os Encontros Regionais de Ensino de Astronomia (EREAs).

São promovidos de 10 a 12 encontros por ano. O programa é realizado com parcerias locais e principalmente com recursos obtidos junto ao Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Quem quiser organizar um EREA em sua região, basta entrar em contato com a secretaria (oba.secretaria@gmail.com).

Mais informações: www.oba.org.br

Fonte: EBC Brasil

The post Olimpíada Brasileira de Astronomia deve reunir 1 milhão appeared first on CONSECTI.

]]>
http://www.consecti.org.br/destaques/olimpiada-brasileira-de-astronomia-deve-reunir-1-milhao/feed/ 0