Destaques

TIM cria instituto em prol da Inovação e fecha acordo com MCTI

O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e a operadora de telefonia TIM Brasil assinaramn nesta quarta-feira, 28/08, termo de parceria que prevê a instalação de plataformas de coleta de dados pluviométricos em Estações Rádio Base (ERB) localizadas nas proximidades de áreas de risco de desastres naturais. Numa primeira fase, a expectativa é instalar pluviômetros automáticos em cerca de 200 antenas da TIM. Algumas delas já foram aprovadas para a instalação do equipamento, nos estados do Ceará, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo.

Nesta parceria, a instalação e a manutenção dos equipamentos serão de responsabilidade de técnicos do Cemaden, enquanto a TIM oferece, além do local para a instalação do pluviômetro, os chips para a transmissão dos dados.“Com os dados, será possível registrar, a cada cinco minutos, a quantidade de chuva sobre as áreas de risco de deslizamentos e de inundações bruscas, a fim de oferecer mais segurança às comunidades que vivem nessas áreas”, afirma o Secretário de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento do MCTI, Carlos Nobre.

Atualmente, o governo federal, por meio do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) do MCTI, monitora mais de 340 municípios, enviando alertas de risco de deslizamento e inundação. A meta do governo é instalar um total de 2.800 pluviômetros automáticos em todo o País, além de ampliar para 821 o número de municípios monitorados, até o final de 2014.

Para o presidente da TIM Brasil, Rodrigo Abreu, este tipo de iniciativa é um marco para TIM e para o setor. “A telefonia móvel e sua infraestrutura podem contribuir muito para a melhoria da vida das pessoas e para o desenvolvimento do país. Continuaremos a investir em ações como estas”, afirmou o executivo.

Observação virtual

A TIM também fechou um projeto de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação inédito na América Latina que será realizado em parceria com a o Planetary Skin Institute (PSI) e com instituições líderes em P&D, parceiras do MCTI e da TIM. O PSI é uma organização global, independente, de pesquisa e desenvolvimento sem fins lucrativos que visa aprimorar o desenvolvimento de plataformas nacionais para a gestão proativa de riscos de desastres naturais e de gestão sustentável de recursos naturais.

Nesta parceria, a TIM irá liberar para o PSI e para o CEMADEN/MCTI os dados dos links de rádio da operadora para o desenvolvimento de uma capacidade inovadora de observação pluviométrica virtual em todo o país, sem a necessidade de uma cobertura alta de estações meteorológicas físicas. Com as informações coletadas pela rede móvel de telefonia, será possível criar mapas pluviométricos em alta resolução, em tempo real.

“Nossa expectativa é aproveitar os dados dos links de micro-ondas da rede celular da TIM, neste primeiro ano de parceria de pesquisa e desenvolvimento, para criar e validar as aplicações inovadoras de uma Estação Meteorológica Virtual com cobertura nacional, priorizando as áreas com alto risco de desastres naturais”, explica Juan Carlos Castilla-Rubio, presidente do Planetary Skin Institute (PSI). De acordo com o executivo, a expectativa é que o acordo sirva de exemplo de melhores práticas internacionais e seja replicado no tempo para outros países da América Latina, de África e do Sudeste Asiático.

Instituto TIM

Operadora móvel também lançou o Instituto TIM, tendo como principal objetivo criar e potencializar recursos estratégicos para a democratização da ciência e inovação, promovendo o desenvolvimento humano, utilizando a tecnologia móvel como um dos principais habilitadores. A iniciativa será presidida pelo executivo Manoel Horacio e tem quatro pilares que definem sua atuação: Ensino, que tem como foco a educação e a ciência; Aplicações, com o objetivo de desenvolver novas soluções tecnológicas; Inclusão, com a difusão do conhecimento de tecnologias de informação e de comunicação; e Trabalho, criando novas formas de atuação através do conhecimento tecnológico.

O projeto já nasce com oito projetos em andamento, quatro em fase de implantação, com o apoio a quatro museus e centros tecnológicos, além de seis ONGs.Dentre os projetos em andamento estão: o Círculo da Matemática do Brasil, que desenvolve competências matemáticas em crianças nos primeiros anos do ensino fundamental; a parceria com a Pastoral da Criança, que consiste em usar o potencial da tecnologia móvel para coleta e envio de dados sobre a saúde de crianças e gestantes; o TIM Tec, com foco em ampliar a oferta de cursos gratuitos de educação profissional e tecnológica; o TIM faz Ciência, com difusão do pensamento cientifico nas escolas de ensino fundamental; TIM na UPP Social, com capacitação de jovens em comunidades pacificadas.

O Instituto participa também do importante programa do governo Federal, Ciência Sem Fronteiras, que amplia os conhecimentos e competências dos estudantes brasileiros de graduação e pós-graduação. Além de apoiar renomados Centros e Museus de Ciência e Tecnologia como: o Espaço TIM UFMG do Conhecimento, Museu de Astronomia e Ciências Afins (RJ), Museu de Ciências Naturais (PR), Museu de Ciência e Tecnologia PUC (RS) e Museu Paraense Emílio Goeldi (PA).

“Nosso objetivo é que o Instituto TIM que está nascendo agora se torne um importante interlocutor e difusor de políticas públicas de inclusão e de educação. Com essa premissa, estamos abertos a analisar a participação em novos projetos, ampliando cada vez mais a atuação do Instituto, contribuindo assim para o desenvolvimento do nosso país”, concluiu Rodrigo Abreu, presidente da TIM Brasil.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos