Destaques

Telebras diz não ter orçamento para assumir redes do governo

Para resgatar uma das missões originais da Telebras no Plano Nacional de Banda Larga – a responsabilidade pelas redes de comunicações dos órgãos governamentais – será preciso bem mais recursos do que o que já está previsto para a estatal no projeto de Orçamento para 2014.

No plano orçamentário do próximo ano a Telebras tem previsto R$ 520 milhões. Um pouco mais da metade é para o satélite geoestacionário, cerca de R$ 60 milhões para a Copa do Mundo e outros R$ 156 milhões para ‘infraestrutura da rede nacional de banda larga’. Segundo a estatal, será preciso mais.

“Construímos o backbone e algumas redes metropolitanas para atender a RNP [Rede Nacional de Ensino e Pesquisa] e a Copa do Mundo. Vamos ainda definir quais os investimentos que faremos. Não tínhamos previsto e no Orçamento de 2014 o que está colocado é para o satélite”, diz o presidente da estatal, Caio Bonilha.

“Estamos retornando ao plano original da Telebras. É que houve um ‘vazio jurídico’, agora resolvido”, emendou Bonilha. Há um mês foi publicado o Decreto 8135/13, que prevê o atendimento das comunicações de governo por redes estatais e, especialmente, dispensando de licitação a contratação desse serviço..

Segundo ele, já é possível adquirir equipamentos nacionais que evitem os problemas de ‘backdoors’. “Temos intranets totalmente seguras, com equipamentos nacionais e auditáveis”, diz Bonilha. E pelo menos uma empresa nacional está próxima de um roteador de grande porte.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos