+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Serpro, Dataprev e Telebras propõem alternativa à fusão

O presidente do Serpro, Marcos Mazoni, afirmou hoje em reunião na sede da Fenadados, que o Serpro, a Dataprev, e a Telebras estão negociando uma parceria para otimizar seus produtos e serviços. “Devemos já na primeira semana de janeiro fazer uma reunião técnica para discutir contratações cruzadas – coisas que podemos usar uns dos outros”, contou Mazoni.

O compartilhamento de infraestrutura das empresas é outro objetivo da parceria. “Vamos usar a rede da Telebras como a nossa infraestrutura de telecomunicações. Se migrarmos metade do que gastamos com telecom para a Telebras, serão R$ 100 milhões que entram em uma empresa pública”, disse o presidente do Serpro na reunião com os sindicalistas.

A ideia, segundo a Fenadados, é que a Telebras e a Dataprev (DTP) possam, por exemplo, utilizar os telecentros de comando do Serpro, que utilizaria transbordo de tráfego sobre a estrutura da DTP. Outra possibilidade seria a Telebras utilizar hospedagem na Dataprev. “Tem uma série de infraestruturas que vamos usar em conjunto. O objetivo é chegar até 2017 com um governo eletrônico mais qualificado e atendido pelas três empresas”, explicou Mazoni.

No dia 12/1, ocorre reunião de planejamento entre a Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação (SLTI), o Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais (DEST) e as três empresas para tratar das otimizações e também para averiguar que serviços dos ministérios estão entregues à iniciativa privada e poderiam estar sendo prestados pela Dataprev, Serpro e Telebras. “Queremos avançar na prestação de serviço dentro do governo federal”, conclui o Marcos Mazoni.

Essa será a resposta das estatais ao estudo que está em andamento dentro do governo, que prevê a fusão de empresas ou a criação de uma nova companhia de capuital aberto, a partir da extinção das três principais estatais de TI e Telecom, que foi denunciada pelo portal Convergência Digital.

Ato do dia 18

Esta reunião com Mazoni, segundo os sindicalistas, foi importante para compreender alguns dos rumos que o Serpro tomará. No entanto, afirmam que ainda faz-se necessário mostrar para a sociedade brasileira e para alguns setores do governo o papel-chave do Serpro para o funcionamento e desenvolvimento do Brasil, contribuindo com a sua economia e organização e arrecadação do governo. “Por isso, reafirmamos a realização do ato em defesa da empresa na próxima sexta-feira (18), em todos os estados. Este ato dará visibilidade para a empresa e seus trabalhadores e fortalecerá o Serpro enquanto patrimônio da sociedade”, afirma a direção da Fenadados.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos