Destaques

Sai a relação das novas Aceledoras do programa Start-Up Brasil

O programa Start-Up Brasil divulgou hoje (27) a relação das 12 aceleradoras selecionadas para o ciclo de 2014 da iniciativa do governo federal de o desenvolvimento de empresas nascentes de base tecnológica. Falta ainda o governo anunciar a criação uma rede de parceiros e investidores de capital de risco.

Das instituições qualificadas, seis participaram da primeira edição do programa, no ano passado: 21212 e Papaya Ventures, do Rio de Janeiro (RJ); Aceleratech e Wayra, de São Paulo (SP); Acelera MGTI, de Belo Horizonte (MG); e Start You Up, de Vitória (ES). A nova seleção amplia a abrangência geográfica do Start-Up Brasil, com as novatas Acelera Cimatec, de Salvador (BA); Baita Aceleradora, de Campinas (SP); C.E.S.A.R. Labs, de Recife (PE); TechMall (PDITec), de Belo Horizonte; e Ventiur e WOW, de Porto Alegre (RS).

Todas as instituições selecionadas no ciclo anterior participaram da disputa atual, mas três delas ficaram fora da lista para este ano. “Mantivemos seis aceleradoras iniciais e adicionamos outras seis novas”, ressalta o diretor de Políticas de Tecnologias da Informação e Comunicação do MCTI, Rafael Moreira.

Segundo o diretor de operações do Start-Up Brasil, Felipe Matos, a instituições se prepararam melhor para o segundo ciclo. “Ficamos bem impressionados com a qualidade das propostas, que aumentou muito nesta segunda edição”, comenta. “Percebemos uma maturidade na elaboração das projetos.”

Promessa de mais investimentos de risco

Durante a realização do U-Start Conference Brazil, no dia 8 de fevereiro, Felipe foi convidado para palestrar sobre o programa. Lá ele garantiu àinvestidores europeus que o Brasil teria uma rede própria de ‘Venture Partners’ – ou seja, de investidores de ‘capital de risco’ com foco nas empresas nascentes. A conferência promovida pela U-Start, selecionou quatro startups nacionais para o evento global que o grupo realizará em Milão, na Itália, entre os dias 13 e 14 de maio.

“Vamos formar uma rede de Venture Partner da Startup Brasil. Faremos parceria com grandes fundos de investimentos, investidores anjos, grupos-anjo, não apenas do Brasil, mas também internacionais, e vamos trazê-los para nossa rede de investidores”, disse Matos – ele mesmo ‘recrutado’ pelo governo pela experiência de 17 anos como empreendedor e investidor.

“Esses investidores terão acesso ao nosso portfolio, não apenas das empresas que foram selecionadas, mas todas as startups que aceitaram compartilhar suas informações quando se inscreveram no programa. Entendemos que assim criamos ainda mais valor no programa, dando informações qualificadas para investidores qualificados. O objetivo é gerar mais negócios e interesse no nosso mercado”, explicou.

Além do dinheiro, o programa busca fornecer outras ferramentas, como uma rede de mentores, eventos, aprendizado, troca de experiências com outras startups; um escritório no Vale do Silício para contatos com investidores lá; temos um Demo-Day [dia de demonstração], e com parcerias com outros países, como o Startup Chile; e acesso ao mercado e investidores, o governo ajuda a abrir portas

O programa Start-Up Brasil está neste momento selecionando novas ‘aceleradoras’ – 24 se inscreveram, das quais serão escolhidas 12, com resultados que devem ser divulgados até o fim deste fevereiro. Em seguida recomeça a seleção das novas startups.“No ano passado atraímos o interesse de 1.208 candidatos nacionais, 414 internacionais, de 37 países, e aprovamos 118 Startups”, listou Matos.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos