Destaques

Operação contra desvios no MEC atinge secretário de prevenção à corrupção da CGU

O secretário de prevenção à corrupção da CGU (Controladoria-Geral da União), Sérgio Nogueira Seabra, foi um dos alvos de operação deflagrada nesta quinta-feira (8) pela Polícia Federal, que apura desvio de recursos federais para educação no Paraná.

A PF cumpriu mandado de busca e apreensão na casa em Brasília do secretário da CGU, que era parceira da investigação. Ele é suspeito de vazar informação privilegiada para o grupo investigado.

Funcionário de carreira da CGU, Seabra assumiu a secretaria de prevenção à corrupção e informações estratégicas da CGU em fevereiro deste ano. Entre agosto de 2011 e fevereiro, ele trabalhou como assessor de controle interno do MEC (Ministério da Educação).

Segundo a CGU, conversas telefônicas de Seabra foram interceptadas pela polícia, com autorização da Justiça, no período em que ele trabalhava no MEC.

Responsáveis pela investigação informam que não há, a princípio, indícios de que Seabra fazia parte do esquema de desvio de recursos. Mas ele teria sido flagrado advertindo os investigados, o que atrapalhou parte da investigação na avaliação da PF.

A Operação Sinapse foi deflagrada nesta terça para desarticular quadrilha que desviava recursos do MEC repassados para o IFPR (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Estado do Paraná. De acordo com a PF, foram cumpridos 18 mandados de prisão e 43 de busca e apreensão contra o grupo suspeito de ter desviado R$ 6,6 milhões.

O MEC divulgou nota dizendo que afastou os três servidores do IFPR. A CGU diz que o servidor prestou depoimento à PF e que a função dele no MEC previa não apenas repassar informação ao órgão de controle como também cobrar do IFPR respostas aos questionamentos da auditoria. Seabra, a princípio, será mantido no cargo.

Fonte: Folha de São Paulo

Próximos Eventos