Destaques

Novo ministro de Ciência e Tecnologia sinaliza que manterá equipe

O novo ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Clélio Campolina Diniz, promete “continuidade” durante sua gestão. Foi o que afirmou em sua primeira declaração logo depois de assinar o termo de posse em cerimônia liderada pela presidenta Dilma Rousseff, nesta segunda-feira, 17/3.

Ainda assim, Diniz diz ter recebido uma missão especial da presidenta: “Vou dar continuidade, mas também recebi uma delegação da presidenta de levar a ciência e tecnologia brasileira ao mesmo nível dos países desenvolvidos”, explicou ele ao Convergência Digital.

Entre os secretários do MCTI que estiveram na cerimônia de posse de seis novos ministros – simples e rápida, para os padrões do Planalto – a sinalização é de que tudo continua como está, permanecendo em seus postos os integrantes da equipe que chegou ao ministério ainda com Aloizio Mercadante, em 2011.

Dilma Rousseff, a única a discursar na cerimônia, costurou gentilezas aos ministros que saem e que chegam agora ao governo. Em geral, os titulares deixam os postos a tempo de disputarem novos mandatos eletivos este ano. A exceção é Marco Antonio Raupp, único citado que sai “para novos desafios”.

Depois de elogiar Raupp – “deu amplo estímulo à política de inovação, implantou a Embrapii e o plano Inova Empresa” – a presidenta listou que o novo ministro do MCTI “vem de um bem sucedido mandato como reitor da UFMG, que se destaca pela internacionalização e pela pós-graduação, cujos cursos estão entre os mais bem conceituados”.

Clélio Diniz é doutor em ciência econômica pela Unicamp e professor aposentado da UFMG, que dirige desde 2010. Formado em engenharia mecânica e em engenharia de operação, presidiu o Parque Tecnológico de Belo Horizonte e integrou o Conselho Técnico-Científico da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos