Destaques

Morre Frederick Sanger, duas vezes Nobel de Química

O bioquímico britânico Frederick Sanger, duas vezes ganhador do prêmio Nobelde Química, em 1958 e em 1980, morreu ontem, terça-feira, aos 95 anos, informou hoje a emissora pública de televisão BBC.

Nascido em Gloucestershire, na Inglaterra, em 13 de agosto de 1918, Sanger foi uma das quatro pessoas que receberam duas vezes o prêmio Nobel, ao lado de Marie Curie, Linus Pauling e John Bardeen.

Considerado na comunidade científica como o “pai da genômica”, Sanger trabalhou até os 65 anos, quando se aposentou, e foi o único britânico a ganhar dois prêmios Nobel e também o único a conseguir dois desses prêmios em Química.

Sanger, que se mudou em 1939 para Cambridge, onde estudou Bioquímica, determinou a sequência dos aminoácidos da insulina em 1955.

Neste aspecto, Sanger demonstrou que as proteínas têm estruturas específicas e concluiu que a proteína da insulina tinha uma sequência precisa de aminoácidos, um resultado que lhe valeu seu primeiro Nobel, em 1958.

Em 1975, o bioquímico desenvolveu o método de sequenciamento de DNA, conhecido como “Método de Sanger”, trabalho que foi base para importantes projetos, como o do Genoma Humano, e que lhe rendeu o segundo Prêmio Nobel, em 1980, partilhado com Walter Gilbert.

O cientista, que vivia na cidade de Swaffham Bulbeck, a treze quilômetros de Cambridge, estava doente há dois anos.

“A morte de uma grande pessoa normalmente provoca uma hipérbole, mas é impossível exagerar o impacto do trabalho de Fred Sanger na ciência biomédica moderna”, afirmou hoje à “BBC” o cientista Colin Blakemore, ex-diretor do Conselho de Investigação Médica do Reino Unido.

Blakemore ressaltou que a invenção de Sanger de “dois avanços técnicos críticos – o sequenciamento de proteínas e ácidos nucleicos – abriu caminho à biologia molecular, genética e genômica”.

Fonte: Exame

Próximos Eventos