+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Ministro defende inovação pela competitividade e geração de emprego no País

Em cerimônia de inauguração do Centro Empresarial II do Parque Tecnológico – São José dos Campos, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, ressaltou a importância de o ministério apoiar iniciativas que promovam o desenvolvimento de produtos e técnicas inovadoras para o mercado. Ele explicou que investir nas atividades de pesquisa e desenvolvimento (P&D) aumenta a competitividade do País e gera emprego.

“Inovar nos faz manter a indústria de vanguarda e a capacidade de produzir e exportar produtos de alta tecnologia”, disse o ministro Aldo na solenidade que ocorreu, neste sábado (28), em São José dos Campos (SP). “A geração de emprego, de renda e de tributos, ou seja, a economia de um país e de uma cidade, gira em torno da capacidade de desenvolver produtos com alto valor agregado de conhecimento”, afirmou o ministro ao destacar a vocação de São José dos Campos.

O diretor geral do parque, Marco Antonio Raupp, agradeceu os esforços e os atores envolvidos na idealização, construção e consolidação do complexo. A obra é resultado da parceria entre o Parque Tecnológico – São José dos Campos e os governos federal, estadual e municipal, que investiram R$ 17,7 milhões.

Por meio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI), foram aplicados R$ 7,1 milhões na obra. O governo do Estado de São Paulo e a prefeitura do município paulista investiram, respectivamente, R$ 6 milhões e R$ 2,5 milhões. A associação do parque, por sua vez, direcionou R$ 2,1 milhões ao empreendimento.

De acordo com Raupp, o apoio das três esferas governamentais ao projeto demonstra que o País está decidido a investir em ciência, tecnologia e inovação (CT&I). “Os governos entenderam a importância da CT&I para a sociedade e para o desenvolvimento regional e da indústria”, salientou. Ele também informou que já estão assegurados mais R$ 11,5 milhões da Finep para a terceira etapa do projeto de expansão do centro empresarial do parque.

O presidente da Finep, Luis Fernandes, que também participou da solenidade, destacou o modelo inovador de gestão e de governança do parque. Fernandes reforçou a necessidade de o País ampliar os investimentos empresariais na área de CT&I e avaliou a importância de apoiar os parques tecnológicos.  “Esse é um investimento estratégico, que procura disseminar e intensificar as atividades de inovação”, disse.

O prefeito de São José dos Campos, Carlinhos Almeida, e o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação de São Paulo, Márcio França, ressaltaram que o parque tecnológico do município é referência para o País. “Ele aproveitou o ambiente favorável para a pesquisa que existe na cidade para organizar e sistematizar o processo de inovação”, explicou Almeida. “O parque [tecnológico] aproxima o conhecimento das universidades ao que é produzido nos institutos de pesquisa e às empresas, que geram produtos e criam empregos e oportunidades.”

Também participaram da solenidade, o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do MCTI, Armando Milioni, o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), José Raimundo Coelho, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI), Leonel Perondi, o diretor Geral do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI), Carlos Nobre, os deputados federais Eduardo Cury (PSDB-SP) e Flavinho (PSB-SP), entre outras autoridades da região.

Após o descerramento da placa de inauguração do Centro Empresarial II, as autoridades visitaram as instalações da nova unidade que possui 12 mil metros quadrados (m²), distribuídos em dois pavimentos.

Expansão

Instalado em um dos mais importantes polos tecnológicos do Brasil, o Parque Tecnológico – São José dos Campos tem como objetivo fomentar o surgimento, o crescimento e a consolidação de empresas inovadoras, atuando em segmentos de elevada densidade tecnológica. Em 2010, o Centro Empresarial I do parque começou a operar com 6 mil m². O complexo atende 25 empresas, que desenvolvem atividades pesquisa e desenvolvimento em segmentos como informática, aeronáutica, cadeia de óleo e gás, saúde, química, aeroespacial, entre outros.

Recentemente, o Centro de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden/MCTI) inaugurou no local o novo ambiente de trabalho. A unidade é responsável pelas ações preventivas para redução do efeito de desastres naturais e identificar vulnerabilidades no uso e ocupação do solo.

Com o Centro Empresarial II, o parque triplica a área destinada a abrigar novos empreendimentos de base tecnológica.  O espaço tem capacidade para abrigar até 50 empreendimentos empresariais, até o momento 21 companhias já se instalaram no local, e contempla também um centro de serviços de apoio às empresas e área para instalação de laboratórios multiusuários.

Fonte: MCTI

Próximos Eventos