Destaques

Inauguração de laboratório de testes dá inicio às atividades de TI dos Jogos Olímpicos

O Comitê Olímpico Internacional (COI) inaugurou nesta quarta-feira, 8, o Integration Test Lab (ITL) – Laboratório de Testes de Integração dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, montado pela Atos. A cerimônia dá início a um programa que somará 200 mil horas de testes a partir do segundo semestre, quando acontecerão os primeiros 21 eventos esportivos onde os sistemas serão utilizados na prática. Até o começo dos jogos, serão 44 ao todo.

Também foi anunciada que pela primeira vez será construída uma cloud privada, que possibilitará acesso aos cerca de 300 mil profissionais envolvidos na organização, a chamada “família Olímpica”, que terão acesso ao portal de voluntários e ao sistema de credenciamento.

O laboratório ocupa uma área de 1.272 m2, dentro do complexo do Comitê Organizador no Rio de Janeiro, composto por 42 células que abrangem cada uma das modalidades esportivas, além de 12 células específicas para os sistemas de credenciamento e de informação de resultados.

Cada célula tem sistemas redundantes, operando o sistema ORIS- Olympics Results Information Services, no qual todas as informações sobre as competições, provas, classificações serão disponibilizadas para os administradores, atletas e jornalistas em até 30 segundos após a realização das mesmas. Antes de entrar em operação, as federações cada esporte farão a homologação do sistema, de acordo com as normas de cada um deles.

Também estarão disponíveis conteúdos e resultados das competições anteriores, fornecidas pela Infostrata, empresa responsável por esse tipo de informação. Após as competições, os dados serão liberados para os comentaristas esportivos para que possam fazer suas avaliações antes de aparecer na TV, para o público, websites e para a “família Olímpica”.

“O Integration Test Lab é um marco importante para a organização dos Jogos. Em um mundo de alta tecnologia precisamos estar à bordo do que há de mais moderno. A parceria com a Atos nos traz uma experiência olímpica importantíssima”, afirma Sidney Levy, diretor geral do Comitê organizador dos Jogos Rio 2016.

Cloud privada

A cloud privada Canopy — nome da marca da solução desenvolvida pela Atos em parceria com a EMC Corporation — ficará em data centers da Embratel em São Paulo e no Rio de Janeiro. Depois da Rio 2016, todas as operações de testes de TI, a partir dos Jogos de Pyeongchang, na Coreia do Sul, em 2018, passarão a ser realizadas pela Atos diretamente em um laboratório fixo localizado na Espanha, uma vez que a empresa tem contrato com o COI até 2024.

“A Rio 2016 assinala nossa oitava Olimpíada, nossa quarta Olimpíada de Verão e, o que é significativo, o primeiro e importante passo da jornada do COI em direção ao digital, com nossa mudança para um novo modelo de fornecimento de TI, saindo de um esquema de ‘construir a cada vez’ e passando a um esquema de ‘construir uma vez e reutilizar'”, explica Patrick Adiba, vice-presidente executivo comercial do Grupo Atos e da Divisão de Jogos Olímpicos e Grandes Eventos. “Isso trará benefícios em termos de eficiência não só para os Jogos do Rio 2016, como também para todos os Jogos futuros. Para nós, é um prazer trabalhar com a equipe dos Jogos Rio 2016 para gerar essa estimulante transformação.”

Credenciamento

Além de fornecer os sistemas de informação para transmissão dos jogos, cujos direitos são da Rede Globo no Brasil e para o Exterior, a Atos também é responsável pelos sistemas que incluem o Portal do Voluntário, onde acontece o recrutamento e o treinamento de 70 mil voluntários, e a gestão das 300 mil credenciais emitidas com código de barras para que todas as pessoas envolvidas nos Jogos tenham acesso às áreas operacionais durante as competições. As soluções fornecem ainda o visto de entrada no Brasil às pessoas da “família Olímpica” (mídia, parceiros, atletas e autoridades esportivas) que chegam do exterior.

Para garantir a integridade desses profissionais, do público e dos jogos, não só do ponto de cibersegurança, está sendo montado um comitê interdisciplinar com várias organizações governamentais, como a Abin, por exemplo.

“Ter a Atos ao lado da nossa equipe ao construirmos alguns dos aplicativos e sistemas de TI, pela primeira vez em Cloud, é algo muito valioso. Com o histórico da empresa em fornecer TI para os Jogos Olímpicos desde 2002, a companhia traz experiência, expertise e conhecimento especializado, o que nos permite fornecer a TI para os Jogos do Rio 2016 dentro dos padrões mais modernos que existem”, avalia Elly Resende, diretor de tecnologia do Rio 2016.

PowerPoint Presentation

O jogos olímpicos movimentarão 80 sistemas aplicativos, 250 servidores, 55 terabytes de armazenamento, cobrirá 37 locais de competição com infraestrutura de TI completa, atingirá 4,8 bilhões de espectadores no mundo todo, contará com 14.850 atletas, 70 mil voluntários, a emissão de 300 mil credenciais, das quais 30 mil para veículos da mídia.

O orçamento do COI é de R$ 7 bilhões em TIC, que envolve a Atos que trabalha em colaboração com outros parceiros de tecnologia: Omega — relógios, sistemas e serviços de cronometragem, cronometragem eletrônica, sistemas e serviços de pontuação e placar; Panasonic — equipamentos visuais e audiovisuais. Samsung — comunicações sem fio; Embratel / Claro — telecomunicações fixas e móveis; Cisco — equipamentos de rede e comunicações sem fio e serviços de hardware especializado; Symantec — software de segurança; EMC — infraestrutura de armazenamento e Microsoft — software de sistemas.

Fonte: TI Inside

Próximos Eventos