+55 (61) 9 7400-2446

Destaques

Há vagas em TIC. Mas onde estão os interessados?

A crise econômica não eliminou os empregos em Tecnologia na Europa. Tanto é assim que, apesar dos altos níveis de desemprego em outras áreas, a Comissão Europeia admitiu que há oportunidades -e muitas – disponíveis em TIC.

Segundo o presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, há cerca de 900 mil vagas não preenchidas no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), mas tal como aqui no Brasil, o número de recém-formados e de profissionais capacitados não atende a demanda de governos e empresas. Para reverter o quadro, a Europa lançou esta semana, o programa ‘Grande Coalizão Digital’.

“Este programa é uma parte essencial para colocar a economia europeia novamente nos trilhos e encontrar empregos para os mais de 26 milhões de desempregados na Europa”, sustentou Barroso. Segundo o executivo, preencher essas vagas terá um impacto em toda a economia, disse ele, e prepara os “europeus para preencher as vagas que irá conduzir a nova revolução de TIC”. O programa conta com o apoio de gigantes como Telefonica, Cisco e SAP.

No Brasil, o cenário não é diferente. A escassez de mão de obra no setor de Tecnologia da Informação (TI) no Brasil pode fazer com que o país deixe de arrecadar R$ 115 bilhões em receitas até 2020, segundo dados divulgados pela Softex.  Também a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) tem números preocupantes sobre a falta de profissionais no setor.

Segundo a organização, em 2014, o Brasil vai precisar de 78 mil novos profissionais, mas apenas 33 mil terão formação na área. Levantamento da Softex, publicado no ano passado, mostra ainda que as empresas do setor disputam os talentos humanos em TI com a academia, com o mercado externo e com as empresas de diferentes setores econômicos que mantêm atividades internas de software e serviços de TI.

Fonte: Convergência Digital

Próximos Eventos